'
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues A Grelha da Semana

Notícia

27 segundos

Em suma, os Globos de Ouro da SIC deste ano tinham tudo para ser um grande show. Porém, tiveram também um erro técnico infantil. A certo ponto, o espetáculo parou e durante 27 longos segundos todo o País pôde ver cabos e um técnico a falar ao telemóvel. A partir daí toda a equipa se enervou. É inglório uma estação passar meses a preparar tudo, para tudo se desvanecer em 27 segundos. Serão estes 27 segundos que ficarão na memoria.
07 de outubro de 2021 às 10:57
...
Clara de Sousa nos Globos de Ouro Foto: Rui Valido

Este ano os Globos de Ouro tiveram tudo. Em primeiro lugar, tiveram público na plateia, uma sala cheia, e no fim da pandemia já sabemos como as coisas que nos parecem evidentes afinal são muito valiosas. Portanto, público. Tiveram Clara de Sousa, muito bem no seu papel de anfitriã. Os Globos tiveram o melhor cenário de todas as emissões do género, com um misto de luz e ecrãs gigantes que deram dimensão superlativa ao espetáculo. Tiveram um guião eficaz, em que o humor refinado ia a par com o andamento do alinhamento, em vez de ser um enxerto artificial no meio da emissão. O espetáculo de domingo fez uma homenagem muito bonita a Maria João Abreu, e acabou por homenagear também Sara Carreira por força dos discursos. A realização teve um ritmo competente. Houve tudo, até um número com as vacinas misturadas com a nostalgia do Big Show SIC. Em suma, os Globos de Ouro da SIC deste ano tinham tudo para ser um grande show. Porém, tiveram também um erro técnico infantil. A certo ponto, o espetáculo parou e durante 27 longos segundos todo o País pôde ver cabos e um técnico a falar ao telemóvel. A partir daí toda a equipa se enervou. É inglório uma estação passar meses a preparar tudo, para tudo se desvanecer em 27 segundos. Serão estes 27 segundos que ficarão na memoria.

 

INFORMAÇÃO - FIM DA TVI24

...
Fim da TVI24 Foto: TVI

Não é todos os dias que chega ao fim a vida de um projeto jornalístico. Felizmente é uma notícia rara, razão pela qual tem de ser assinalada nesta coluna, que pretende ser uma espécie de cartografia das grandes rotas da televisão. A anunciada morte da TVI24 é má para a indústria, para os seus profissionais, e é sobretudo uma péssima notícia para os espectadores. Mal ou bem, a TVI24 foi um canal que marcou a personalidade jornalística da TVI. Com a morte da TVI24, a concorrência no cabo fica mais pobre, os espectadores ficam mais mal servidos, e a TVI perde um enorme ativo. 

 

PROGRAMAÇÃO - FORÇA DISCRETA

...
Força discreta

É o diretor-geral da TVI desde que Nuno Santos foi recolocado noutro posto da empresa. Hugo Andrade tem um perfil discreto, mas uma carreira que fala por si, e da qual consta a direção de programas da RTP, entre outros cargos de relevo, inclusive na anterior passagem pela TVI, nos anos 90. Com Hugo Andrade, a TVI logrou agora atingir um equilíbrio entre os diversos poderes que mandam na estação, e desse equilíbrio vem o crescimento sustentado, só travado porque a aposta em Cláudio & Goucha para domingo à noite, aposta que não é sua, teve o desfecho previsível – destruiu a força do Big Brother.

SOBE - CLARA DE SOUSA

...
Clara de Sousa Foto: Rui Valido

A apresentação dos Globos de Ouro deu-lhe um destaque mediático que extravasa o seu papel de jornalista. Tem conseguido manter o bom senso e a sensatez nas mensagens a que foi obrigada para promover o show de domingo. Mas não deve ter ilusões – com este passo deu um salto na carreira e dificilmente poderá voltar para trás.

SOBE - MARIA DO CÉU GUERRA

...
Maria do Céu Guerra Foto: Presidência da República

Festa É Festa é uma daquelas apostas que se fazem na vida quando não há nada a perder. Uma novela que surge de um momento de desespero da ficção da TVI – quando arrancou, era o produto do tudo ou nada – e que resultou em pleno. Toda a equipa da novela merece estar a subir – e muito. Foi um sucesso.

SOBE - RICARDINHO

...
Ricardinho

Com o panorama desportivo e mediático monopolizado por Ronaldo, Portugal esquece-se de outra estrela maior. No futsal, Ricardinho é o melhor de sempre. Pôs os portugueses a vibrarem com uma final do Mundial da modalidade. Uma despedida em grande.

Mais notícias de Grelha da Semana

O melhor apresentador

O melhor apresentador

Fernando Mendes está de pedra e cal na RTP1, com quem renova mais uma vez. Ele é, hoje em dia, verdadeiramente, o espírito do serviço público. Apresenta com ritmo, com graça, com inteligência, e com afeto. Os quatro ingredientes que fazem com que parte da população organize as suas rotinas de maneira a estar em frente ao ecrã da RTP1 todos os dias, às 7 da tarde.
27 segundos

27 segundos

Em suma, os Globos de Ouro da SIC deste ano tinham tudo para ser um grande show. Porém, tiveram também um erro técnico infantil. A certo ponto, o espetáculo parou e durante 27 longos segundos todo o País pôde ver cabos e um técnico a falar ao telemóvel. A partir daí toda a equipa se enervou. É inglório uma estação passar meses a preparar tudo, para tudo se desvanecer em 27 segundos. Serão estes 27 segundos que ficarão na memoria.
Filme de suspense

Filme de suspense

A crise grave que o canal público está a atravessar prejudicou o desempenho nas eleições autárquicas, visto que o canal 1 ficou claramente em último, a grande distância das concorrentes privadas. Está a consolidar-se a ideia de que a RTP já não conta para a liga principal de televisão, o que é injusto sobretudo para o pivô, José Rodrigues dos Santos.
Uma bazuca eleitoral

Uma bazuca eleitoral

O facto verdadeiramente novo e interessante é a divulgação de uma imensidade de propostas, candidatos e discursos muito locais, através da proliferação de vídeos e de transmissões em direto nas redes sociais. Tais vídeos e transmissões em direto têm sempre um impacto limitado, quer porque chegam a pouca gente, quer porque a generalidade dos portugueses gosta de ver as redes sociais, mas não confia nelas, e bem.
Má ideia

Má ideia

O domingo à noite é o horário tipicamente familiar. Os formatos programados para este horário procuram fazer o arco das idades e dos géneros, para agradar a novos e velhos, homens e mulheres, público citadino e rural. Ora, é precisamente no horário mais transversal da televisão que a TVI faz a escolha disruptiva de colocar dois homens lado a lado? Não se entende.
Pela liberdade

Pela liberdade

Diz José Gomes Ferreira: "Não me revejo nesta sociedade em que não há uma censura oficial, mas há uma autocensura promovida pela vigilância mútua das redes sociais. Ou dizes o que a mediana das pessoas dizem ou estás queimado. Não entro nesse jogo. Há mais censura hoje nas redes sociais do que nos anos 30 nos jornais em relação a investigação histórica."

Mais Lidas

+ Lidas