'
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Grelha da Semana

Notícia

A Tempestade Perfeita

E se o resultado baixar ainda mais, aproximando-se da casa de um dígito, fruto da profunda desadequação do produto ao horário em que está? Cristina decidirá acabar com o seu próprio programa, a benefício do canal?
22 de abril de 2021 às 00:00
...
Cristina ComVida Foto: Instagram

A TVI está com um enorme problema às 7 da tarde. Recordemos, para benefício do espectador, a quem nos cabe servir e para quem tentamos descodificar os principais movimentos televisivos: trata-se de uma faixa essencial para a conquista do horário nobre, porque é a essa hora que uma enorme multidão de portugueses chega a casa e escolhe o canal que vai ficar ligado na sala, pelo menos até ao jornal das 20 horas, muitas vezes até ao fim do serão.

Porque, não haja ilusões, é assim que se comporta o público da televisão generalista. Produto forte às 19 horas é meio caminho andado para a tranquilidade de um projeto – a RTP1 aí está para o provar, que praticamente só tem bons resultados nesse horário, com O Preço Certo, de Fernando Mendes, mas isso, sendo muito pouco, chega mesmo assim para dar energia e manter a cabeça à tona da água (sem O Preço Certo a média diária da RTP1 desceria uns 10% adicionais).  Ora, o fracasso de Cristina Ferreira, a bater sucessivos mínimos de audiência no ComVida, e com tendência constante de queda, cria à TVI um novelo difícil de desfazer. Para poder subir, terá de acabar com o programa, mas acabar com o programa representará o fracasso final de quem tem a responsabilidade de fazer subir o canal.

O problema, no momento em que escrevo, está nos 13% de share, registados quinta e sexta-feira passada. E se o resultado baixar ainda mais, aproximando-se da casa de um dígito, fruto da profunda desadequação do produto ao horário em que está? Cristina decidirá acabar com o seu próprio programa, a benefício do canal? Trata-se de uma equação irresolúvel no atual contexto da empresa. Vem aí uma tempestade perfeita: acionista e diretora de programas (que acumula com apresentadora) não é um bom ‘mix’ quando há um problema sério para resolver.

 

INFORMAÇÃO - CHEGA

...
Chega

O conjunto de reportagens que a SIC tem emitido sobre o partido Chega e o líder, André Ventura, é de enorme qualidade, com muita informação nova e relevante, e justifica uma atenção redobrada aos circuitos do dinheiro e de ideias em redor dos movimentos extremistas que crescem em Portugal. Porém, a insistência e as repetições da temática, se absolutamente legítimas, como é óbvio, num projeto jornalístico, fazem perigar o limiar, sempre impreciso, entre a atenção e a indiferença do espetador, que pode ser levado a confundir a investigação jornalística com o mero, e neutro, ruído da repetição. Pedro Coelho, um jornalista com provas dadas, deve ter cuidado com a excessiva aposta monotemática, que até pode nem ser da sua responsabilidade.

 

PROGRAMAÇÃO - LINHA ABERTA

...
Linha Aberta Foto: Instagram

Quando abandonou o jornalismo, transformou-se num bom comentador de segurança. Conhecedor da área ao longo da sua carreira, juntou um tom mais assertivo à comunicação, e ganhou um lugar muito próprio nos programas de day time. Faz sempre grandes resultados, pelo que lhe foram sempre entregues os horários mais difíceis na SIC, mesmo nos tempos de Júlia Pinheiro de manhã. Agora tem um programa próprio depois de almoço, e cumpre os objetivos com enorme profissionalismo: a linguagem aproximada ao jornalismo, com reportagens e comentários em estúdio, faz com que funcione na prática como uma espécie de prolongamento do Primeiro Jornal. É um elemento essencial na grelha da SIC.

 

SOBE - NUNO ANDRÉ FERREIRA

...
Nuno André Ferreira Foto: Nuno André Ferreira

Um fotojornalista de eleição, agora reconhecido mundialmente com o terceiro lugar no World Press Photo, e que também faz televisão, tratando de colocar a fotografia em movimento, como repórter de imagem. A sensibilidade é uma linguagem própria para a captação da realidade, e isso acontece seja em que meio for. Está de parabéns. Portugal pode esperar muito dele.

 

SOBE - JOSÉ ALBERTO CARVALHO

...
José Alberto Carvalho

Conseguiu fazer uma boa entrevista a José Sócrates, apesar da hostilidade do entrevistado e da tentativa permanente de fazer da fuga às questões a principal  arma para tornear os temas mais difíceis. Sabendo-se a dificuldade de JAC na entrevista, é justo reconhecer a qualidade desta prestação, uma das melhores que já conseguiu na sua longa carreira.

 

SOBE - SOFIA ARRUDA

...
Sofia Arruda

A atriz diz que ficou vários anos sem trabalho numa estação por recusar uma situação de assédio. Sucessivos gritos de alerta, nos últimos tempos, indiciam que, por baixo da superfície, há todo um universo de supostas situações abusivas na indústria televisiva. As denúncias pecam, para já, pela falta de concretização, mas são um sintoma relevante. As palavras de Sofia Arruda devem ser escutadas com atenção.

Mais notícias de Grelha da Semana

E o vencedor é a RTP1

E o vencedor é a RTP1

No fecho de junho, há um grande vencedor, a RTP1, um grande derrotado, a TVI, e um canal que, descendo, fica certamente satisfeito. Falo da SIC, porque desce mas alarga a vantagem sobre a concorrência.
Terramoto na televisão

Terramoto na televisão

Eis a chave que contraria a ideia de crise da televisão. Grandes jogos de futebol, acompanhamento em direto de notícias, espetáculos grandiosos para toda a família, e a sacrossanta ficção.
A TVI desistiu

A TVI desistiu

Enigma: porque se rende e se retira do jogo a TVI? Abdicar será uma estratégia do diretor-geral Moniz? Se for, é preciso ter cuidado com a passagem à prática.
Jubileu

Jubileu

Há momentos em que alguns canais de notícias e telejornais desatam a imitar-se uns aos outros. Pior: há momentos em que essas imitações desenfreadas não têm qualquer razão de ser. Costumo chamar a esses momentos de imitação, em que os jornalistas decisores desistem de pensar pela sua cabeça e as emissões se replicam umas às outras sem critério aparente.
Verão difícil

Verão difícil

O verão vai ser uma "prova dos 9" para a TVI, para podermos avaliar até que ponto o canal de Moniz e Cristina Ferreira está dependente de um só formato.
7 minutos

7 minutos

Sete minutos antes do golo do FC Porto, aconteceram dois lances quase simultâneos em Oeiras e em Manchester: o FC Porto reclamou um penálti por causa de uma mão que levou exatos 7 minutos a ser analisado pelo VAR e pelo árbitro da partida, e a equipa de Guardiola reduzia para 1-2, dando assim início à recuperação histórica.

Mais Lidas

+ Lidas