'
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Grelha da Semana

Notícia

O fim de Vieira em direto

O País viu através das televisões o líder de um clube de futebol detido, algo que todos dizíamos ser impossível entre nós, e não houve um esgar de espanto, nem de choque, nada. Foi como se já estivéssemos todos à espera, e nos limitássemos a assistir ao espetáculo do mundo.
15 de julho de 2021 às 11:39
...
Luís Filipe Vieira
O advogado de Vieira saiu do edifício e disse que o seu cliente já tinha saído pelos seus próprios meios, porque era um homem livre. O conjunto de acontecimentos que se desenrolou nas horas seguintes mostra que Magalhães e Silva não receberia o selo de qualidade que os censores que inventaram a Carta dos Direitos Online querem impor.

O advogado tinha criado aquilo a que se chama por comodidade fake news, conceito erróneo e que devia ser erradicado porque se é fake não é notícia, pelo contrário, é boato ou simples mentira. O aparato policial que envolveu a deslocação até casa do mais duradouro presidente da história do clube expôs a todo o País a prisão domiciliária a que Luís Filipe Vieira vai estar sujeito pelo menos até pagar a caução milionária. Era o culminar de 4 dias de uma operação da justiça em que o mais inesperado foi a forma como todo o País encarou a situação. Tantos anos de falências bancárias, prisões entre as mais variadas elites e megaprocessos judiciais parecem ter tido o efeito de normalizar o espanto.

O País viu através das televisões o líder de um clube de futebol detido, algo que todos dizíamos ser impossível entre nós, e não houve um esgar de espanto, nem de choque, nada. Foi como se já estivéssemos todos à espera, e nos limitássemos a assistir ao espetáculo do mundo. Eis um efeito sociológico a justificar análise. Com tudo aquilo por que passámos, teremos perdido a capacidade de nos surpreendermos.

INFORMAÇÃO - JÚDICE

...
Júdice

A intensidade dos acontecimentos tem atrasado a oportunidade para este elogio. Todas as semanas, um comentador heterodoxo tem meia hora de antena na SIC Notícias. Tão heterodoxo que no início da pandemia começou a ser desconfortável para o canal. Era das poucas vozes críticas dos confinamentos e outras estratégias falhadas antipandemia. Afinal, na generalidade das matérias, tinha razão. Não terá muito público, porque hoje em dia na SIC Notícias nada tem muito público, mas é um nicho de liberdade que continua a incomodar os jornalistas da estação. Isso nota-se demasiado.

ENTRETENIMENTO - TROCAR AS VOLTAS

...
Trocar as voltas Foto: Twitter/@tvi


A TVI troca-lhe as voltas. Foi assim anunciado um movimento de mudança pontual de horário de vários apresentadores da TVI, supostamente para ver como reagirá o público. Trata-se de uma promoção do canal mas mais parece uma crítica verrinosa de alguém que não gosta da TVI. Fazer um canal de televisão é criar laços com os espectadores. Isso ganha-se sobretudo com o hábito: à mesma hora acontecem todos os dias as mesmas coisas. Trocar as voltas ao espectador é a maior proibição de todas para um canal generalista. Quem teve a ideia merece despedimento com justa causa.

SOBE - MARCO PAULO

...
Marco Paulo Foto: Cofina Media


A cada semana que passa está a melhorar o desempenho, e o programa com que a SIC o cativou domina as tardes de sábado. Quem disse que Marco Paulo estava acabado enganou-se redondamente. Pelo contrário, talvez esteja a iniciar uma nova juventude com uma carreira diferente.


SOBE - FERNANDO MENDES

...
Fernando Mendes


Agora foi o Agricultor, da SIC. Os adversários d’O Preço Certo chegam em revoadas, e são sucessivamente derrotados. Quem vê a audiência de Fernando Mendes na RTP1 e a compara com a de Cristina Ferreira, na TVI, tem dificuldade em compreender como a apresentadora já foi uma ameaça para O Gordo, no passado.

SOBE - RUI COSTA

...
Rui Costa

No meio da tempestade que envolve o clube, o discurso do novo presidente do Benfica foi feito no relvado do estádio, e esse simbolismo foi dos poucos sinais positivos para a instituição nos últimos tempos. Rui Costa tem aqui o desafio da sua vida, e, se triunfar, o relvado foi o início de tudo.

Mais notícias de Grelha da Semana

RTP. Mais dinheiro para quê?

RTP. Mais dinheiro para quê?

Vejamos: é preciso mais dinheiro, dizem. Para quê? Não é explicado. O serviço da RTP é tão bom que deve crescer? Falso. Olhando para o serviço público inexistente no canal 1, para as audiências residuais da RTP2, para a irrelevância da RTP3, fazendo o balanço de tudo isto, diria que a empresa até devia devolver dinheiro.
Alta Velocidade

Alta Velocidade

Eduardo Cabrita pura e simplesmente ignorou a pergunta. Respondeu a tudo, e ignorou esta questão. Nem sequer referiu que não ia responder. Pior: o seu staff, apagadas as câmaras, ainda criticou o jornalista, nos bastidores. Ora isto representa a tal manifestação do grande vírus da atualidade. O momento em que o poder deixa de responder às perguntas do povo, mediadas pelo jornalista, marca a fronteira entre a democracia e a prepotência.
O fim de Vieira em direto

O fim de Vieira em direto

O País viu através das televisões o líder de um clube de futebol detido, algo que todos dizíamos ser impossível entre nós, e não houve um esgar de espanto, nem de choque, nada. Foi como se já estivéssemos todos à espera, e nos limitássemos a assistir ao espetáculo do mundo.
Comunicar é uma arma

Comunicar é uma arma

Numa altura em que está a ficar difícil para o poder político explicar que a existência de infeções pela doença covid não significa que o país tenha de fechar, antes é algo com que vamos ter de lidar ninguém sabe durante quanto tempo mais, a presença do vice-almirante no processo é um sinal de esperança.
Balanço do EURO

Balanço do EURO

A RTP3 teve aquilo que acabou por marcar a diferença. Na noite da derrota portuguesa, não embarcou no discurso complacente. Colocou em estúdio comentadores inesperados e exteriores ao sistema, como Blessing Lumueno e Marta Massada, que analisaram de forma desassombrada e com espírito crítico o que tinha corrido mal. Dois comentadores com foco e sem medo.
Cláudio e Teresa

Cláudio e Teresa

Com o "reality dos realitys", a TVI voltará a dar luta nalguns horários fulcrais. Se pensar muito bem na adequação dos produtos aos horários, coisa que é rara na estação, pode voltar a competir com a SIC em várias faixas horárias – pelo menos às 7 da tarde e à meia-noite, além da noite de domingo, naturalmente.

Mais Lidas

+ Lidas