'
Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

O insulto racista

De repente, a raiva as redes sociais deram vazão à insatisfação culpando os dois ‘pretos’ pela derrota inglesa. Os ‘pretos’ destruíram a Inglaterra. Os ‘pretos’ não deviam estar em jogo porque não amam a Inglaterra. E, assim, de uma assentada, quem só tenha lido as redes sociais, ficaria com a ideia de que a seleção britânica jogou contra os ‘pretos’.
18 de julho de 2021 às 07:00
...
O penálti de Marcus Rashford foi um dos três que não foram convertidos pela seleção inglesa, tornando a Itália na nova campeã europeia, pela primeira vez desde 1968. Foto: Getty Images

O final do Campeonato da Europa, disputado em Wembley, entre a Inglaterra e a Itália, parecia ter todos os condimentos para que a equipa anfitriã pudesse celebrar um título que lhe escapa desde 1966, o ano em que Portugal mostrou Eusébio ao mundo. Jogava em casa, o entusiasmo dos adeptos era extraordinário. Quando digo extraordinário significa que às primeiras horas da manhã já havia centenas de bêbados e, muitos  deles, envolvidos em pancadaria. É conhecida a euforia dos ‘hooligans’ e a maneira de a celebrar – cervejas e murros. Ainda há pouco os vimos em acção no Porto, a propósito da taça de campeões europeus. Verdadeiros cavalheiros com muitos miolos desperdiçados.

A Itália iria ser cordeiro imolado na ara de Wembley.

A coisa não correu bem. Depois de uma entrada de leão, com um golo nos primeiros minutos, que fez estremecer a ilha com gritos, aplausos e cânticos, a Inglaterra começou a perder-se perante a Itália que reagiu indiferente à festa que se fazia nas bancadas. Empatou o jogo. Foi necessário um prolongamento. O empate manteve-se e chegaram as grandes penalidades. E aqui, os italianos foram mais certeiros, levando o troféu em disputa para o seu País.

A Inglaterra engoliu em seco. Ou melhor, fez o luto emborcando mais cerveja e voltando a raiva contra a sua equipa. Foram dois atletas negros que falharam as penalidades que lhes garantiria a vitória. Dois grandes jogadores, diga-se.

De repente, a raiva as redes sociais deram vazão à insatisfação culpando os dois ‘pretos’ pela derrota inglesa. Os ‘pretos’ destruíram a Inglaterra. Os ‘pretos’ não deviam estar em jogo porque não amam a Inglaterra. E, assim, de uma assentada, quem só tenha lido as redes sociais, ficaria com a ideia de que a seleção britânica jogou contra os ‘pretos’. Se o futebol já é um desencanto com negociatas e moscambilhas, por esta forma, corre o risco de tornar num nojo.

Mais notícias de Piquete de polícia

Propaganda populista

Propaganda populista

Só existe uma explicação para a drástica diminuição da actividade criminosa no ano de 2020 – a pandemia. A Covid-19 alterou profundamente os nossos quotidianos. Desertificou o espaço público. Diminuiu o número de pessoas em movimento, subtraiu a invasão turística a que o País estava habituado, reduziu multidões, festas, megaencontros para espectáculos ou para outro tipo de actividades. Encerrou estádios de futebol, restaurantes, hotéis, bares e discotecas.
O insulto racista

O insulto racista

De repente, a raiva as redes sociais deram vazão à insatisfação culpando os dois ‘pretos’ pela derrota inglesa. Os ‘pretos’ destruíram a Inglaterra. Os ‘pretos’ não deviam estar em jogo porque não amam a Inglaterra. E, assim, de uma assentada, quem só tenha lido as redes sociais, ficaria com a ideia de que a seleção britânica jogou contra os ‘pretos’.
Soldados da paz

Soldados da paz

Por estes dias morreu uma jovem bombeira. Mãe e bombeira.
O carro do ministro

O carro do ministro

É de uma crueldade inuma aquilo que se tem vindo a passar. Desde logo pela atribuição da responsabilidade da morte à própria vítima, sem que esteja concluído qualquer inquérito. Depois porque esse mesmo inquérito não devia ser conduzido por uma autoridade policial sob a tutela de Eduardo Cabrita.
O pesadelo-milagre

O pesadelo-milagre

Tudo está bem quando acaba bem. Mas estará? É certo que a PJ descartou a possibilidade de ter ocorrido qualquer crime. Porém, a proteção de crianças não se consome no mero plano do direito criminal.
O fantasma da morte

O fantasma da morte

Como é que atletas altamente vigiados clinicamente, transpirando saúde, morrem desta maneira tão inacreditável?

Mais Lidas

+ Lidas