'
Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

Tony Carreira e o luto

Sara viverá aconchegada na memória de todos quantos a amam, como lembra Teófilo Braga. Até que todos os destinos se cumpram. Um abraço solidário, Tony Carreira. 
06 de junho de 2021 às 19:48
...
Tony Carreira
A entrevista que Tony Carreira deu à TVI, cinco meses após a morte da filha Sara, é de uma coragem incalculável. Embora o conheça mal, tenho a ideia de um homem gentil, doce, dedicado aos filhos, orgulhoso da sua condição de pai.

Foi uma entrevista no pico do luto pela trágica perda. A sua condição de figura pública, com centenas de milhares de fãs que desesperam pelo seu bem estar, que esperam, ansiosas, os seus concertos obrigou-o a revelar a dor num momento em que procura o recolhimento e os afetos.

Morrer é um ato de desespero, de dor profunda, de mágoa infinita para os vivos. Que cresce conforme é mais próxima a relação entre o vivo e o desaparecido e culmina na dor mais aguda quando se perde um filho jovem, ainda quase criança, para a Morte.
É de tal modo doloroso que a vida parece já não fazer sentido. Aliás, Tony Carreira sublinhou várias vezes esta ideia.

Porém, o luto é uma processo de renovação, passo a passo, mais ou menos moroso, uma caminhada lenta, com faseados estados psicológicos, que começa na recusa e revolta para com a evidência subitamente construído e caminhará para a aceitação, conforme o tempo passa, tornando-se numa inapagável saudade.
Apesar do que ele disse, não esqueçamos que está ainda numa fase aguda do luto, está-lhe garantido um futuro com alegrias. A chegada dos netos, os seus sucessos musicais, as carreiras dos outros dois filhos serão motivo para apaziguar a dor e tornar a viver, longe do inferno por onde está a passar.

Por outro lado, a morte para os entes queridos que ficam, é apenas (e é muito) o desaparecimento do corpo, a ausência do abraço, das vozes, dos passos, dos momentos de dor e alegria vividos em conjunto. Porém, Sara viverá sempre no coração dos seus pais e irmãos.
Para ser mais preciso, viverá aconchegada na memória de todos quantos a amam, como lembra Teófilo Braga. Até que todos os destinos se cumpram. Um abraço solidário, Tony Carreira.

Mais notícias de piquete de Polícia

Tony Carreira e o luto

Tony Carreira e o luto

Sara viverá aconchegada na memória de todos quantos a amam, como lembra Teófilo Braga. Até que todos os destinos se cumpram. Um abraço solidário, Tony Carreira. 
O futebol indigno

O futebol indigno

Com o decorrer do campeonato, nas televisões, nos jornais, nas rádios, emergiram novos protagonistas que acenderam a quezília, o confronto, a balbúrdia. Os árbitros transformaram-se em astros. Sujeitos a um escrutínio inimaginável. E os dirigentes e adeptos no espaço público em verdadeiros comandantes da dissolução do resto de ética.
As noivas do Além

As noivas do Além

A crer numa decisão proferida pelo Tribunal que sentenciou uma angariadora de noivas a uma pensa suspensa de prisão, a coisa anda agora pelos trezentos euros. A procura é, sobretudo, de imigrantes ilegais que, fugidos da fome, da guerra, da miséria mais cruel, receosos de serem expatriados, procuram noiva por uma hora. Não lhes tocam, ou melhor, nem as conhecem.
Jovens em Rede

Jovens em Rede

Será a Internet um bem tão absoluto que leva a jovens, ainda menores, a viverem libertos da tutela dos pais? Ou será que os pais, confortado pelo silêncio e o recato dos filhos entendem a obsessão pelas redes sociais como um processo educativo equilibrado?
A Furiosa Internet

A Furiosa Internet

Os verdadeiros génios da informática são jovens. Jovens talentos que jamais ganharão nas Polícias, os valores que lícita ou ilicitamente ganham no mercado virtual. Estamos, assim, dentro de um grande incêndio descontrolado.
A inveja

A inveja

Cristiano Ronaldo insurgiu-se perante tão grande injustiça, protestou, gritou, furioso, e sabendo que não podia responder ao árbitro como merecia, num gesto de raiva atirou fora a braçadeira de capitão de equipa. Foi o pretexto. O País invejoso, servil e incapaz ignorou o ‘roubo’ a Portugal.

Mais Lidas

+ Lidas