Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

A ESTÁTUA de Ronaldo

A principal razão para os directos serem momentos tão especiais de televisão é que, a qualquer momento, pode acontecer algo inesquecível. Foi assim com o golo de bicicleta.
13 de abril de 2018 às 07:00
...
A ESTÁTUA de Ronaldo

Naquela noite, pouco depois das 21:00, no meio da redacção, mesmo os que olhavam para o computador, como era o meu caso, sentiram de imediato, pelo bruá colectivo, que alguma coisa de especial tinha acontecido. Quando olhei, no televisor em frente, o jogo estava parado, porque os jogadores do Real celebravam um golo.

À minha volta, os telespectadores mais atentos continuavam a emitir sons de espanto. A atenção estava conquistada. Eis que a repetição demonstra o milagre a que, desgraçadamente, como vimos, não assisti em directo: tinha acontecido o golo que constrói a estátua imortal de Cristiano Ronaldo, aquele que, de entre todos os futebolistas que vi jogar, considero o melhor de sempre.

E, sim, tenho idade para ter assistido ao Mundial de Maradona, em 1986. O aplauso operático que se seguiu, como se uma qualquer soprano tivesse finalizado uma área brilhante perante uma plateia rendida, funcionou como um autêntico "bravo" colectivo, que se espalhou pelo planeta, percebeu-se de imediato, através do directo televisivo global.

CR7, sempre tão bélico no festejo dos seus golos, fruto, talvez, do sentimento de injustiça que vem das raízes da vida de pobre, na Madeira, transmutou o rito guerreiro em agradecimento, primeiro com um aperto no coração, e logo depois de mãos postas, em prece, com uma leve vénia em que, também ele, agradeceu a magia com que aquele público culto aplaudiu um génio à sua frente. Por mais anos que passem, jamais esqueceremos aqueles minutos de televisão.

Mais notícias de Televisão Meu Amor

Costa tem mais audiência

Costa tem mais audiência

No balanço da primeira semana de debates televisivos, o duelo entre o líder do PS e o líder do PCP foi o mais visto até ao momento. Curiosamente, a coordenadora do Bloco de Esquerda é quem tem menos espectadores nos debates emitidos em antena aberta.
O ruído de Raminhos

O ruído de Raminhos

O programa da SIC no domingo à noite é uma experiência totalmente diferente para o espectador português. O ponto fraco é o apresentador, que brinca com o seu próprio conteúdo, menorizando o projeto.
Audiências de agosto: RTP1 e TVI, DUELO final

Audiências de agosto: RTP1 e TVI, DUELO final

Se alguém tivesse previsto um fenómeno assim, teria sido apelidado, no mínimo, de lunático. A televisão de Queluz de Baixo, líder absoluta durante 150 meses, pode cair este mês para último lugar.
O futebol é para ricos?

O futebol é para ricos?

O Benfica-Sporting deu um resultado histórico ao canal 1 da RTP, mas os jogos constituem um dos maiores erros de percepção do universo televisivo: dão muita audiência, mas têm fraca rentabilidade.
O fogo ao pescoço

O fogo ao pescoço

As golas inflamáveis ameaçam “queimar” o governo. Desprezo pelo interior, falta de verificação da eficácia do Estado, negócios em família, compadrio: o mais recente escândalo no combate aos fogos tem todos os ingredientes para ficar no anedotário nacional.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!