Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

Cristina e o 'chef' a dividir

A SIC recuperou a liderança, a TVI afundou-se e a RTP estabilizou em 2019. Mas. no final, foi o furacão Ljubomir Stanisic que acabou por se impor como um dos protagonistas.
27 de dezembro de 2019 às 21:25
...
Cristina e o 'chef' a dividir
É quase injusto para Cristina Ferreira que o prémio de figura do ano na programação e no entretenimento tenha de ser dividido com outra personalidade, mas esta não seria uma análise objetiva se não reconhecesse ao chef Ljubomir Stanisic o direito a partilhar esta distinção com a senhora das manhãs da SIC.

Se Cristina Ferreira entrou de rompante em 2019, com a vitória incontestável desde que se estreou, logo em janeiro, Ljubomir chega ao fim do ano a marcar a agenda e a deixar uma promessa à TVI de que na vida tudo muda, o que sobe pode baixar, o que cai acabará por reviver, mais tarde ou mais cedo. E assim, se Cristina faz audiências ao longo de todo o ano e acaba por ser o ponto de apoio que leva a SIC à liderança ao fim de mais de década e meia atrás da concorrência, Ljubomir fecha 2019 com uma herança virtuosa, a recuperar os domingos para a TVI e a prometer talento, trabalho e humildade, os três ingredientes que fazem o sucesso de qualquer projeto.

Destas duas estrelas se faz o principal da memória de um ano que assistiu ao drama de um ator que quase morreu à procura do corpo perfeito, Ângelo Rodrigues, em que a ficção da SIC chegou à liderança e consagrou Carolina Loureiro como nova coqueluche das novelas, em que a RTP encontrou um rumo para a programação, um ano, finalmente, com formatos criativos de grande qualidade, como A Árvore dos Desejos e Esta Mensagem..., não por coincidência ambos na SIC. Os talent shows do canal 1 aguentaram-se, os reality shows também, mas em 2020 tudo indica que voltará o Big Brother, veremos se para mudar tudo outra vez, como há 20 anos.

1. Fragoso na informação

A solução veio do interior da empresa, o que é sensato. José Fragoso tem cada vez mais poder na RTP e reforça o papel de "presidente-sombra", que já lhe apontámos. Pacificar a equipa e colocar o jornalismo acima de tudo - eis as tarefas mais urgentes, após a tormenta que representou o período de Flor Pedroso.

2. Opinião bizarra

As conversas com Sócrates a articular decisões na ERC já tinham sido um ato ilegítimo e um pecado moral grave. Mas a tese de Arons de Carvalho de que o Sexta às 9 não tem lugar no serviço público é bizarra para um professor da área dos media. Em que modelo de serviço público se baseará para dizer uma coisa assim? Ou falava apenas o político inimigo do jornalismo livre?

3. Futebol reinventado

Eis a mais recente maravilha na galeria imortal de CR7. Ronaldo reinventou o futebol. Revi há dias o famoso jogo de estreia do novo estádio de Alvalade. No final, reza a lenda, o Manchester decidiu contratá-lo. Visto agora, parece impossível o deslumbramento que sentimos naquela noite. Nunca tínhamos visto nada assim, mas na verdade era apenas um esboço ainda pobre do que veio a acontecer. Hoje, olhamos para o futebol já do ponto de vista do que fez Ronaldo, por isso tudo aquilo, no passado, nos parece pouco. Quando acabar CR7, o futebol vai ter um problema.

4. Tragédias no país real

A mudança de paradigma trazida pela CMTV melhorou a televisão portuguesa. Na recente tempestade, todos os canais de informação já saíram à rua e estiveram junto das populações. Ficamos todos a ganhar. É certo que o poder odeia ver o estado em que está o País, a pobreza dos muros e das paredes que caem, das folhas de zinco a fazerem de teto, das estradas sem manutenção. Mas a democracia agradece.

Mais notícias de Televisão Meu Amor

Cristina e o 'chef' a dividir

Cristina e o 'chef' a dividir

A SIC recuperou a liderança, a TVI afundou-se e a RTP estabilizou em 2019. Mas. no final, foi o furacão Ljubomir Stanisic que acabou por se impor como um dos protagonistas.
Eu, abaixo-assinado

Eu, abaixo-assinado

Nos moldes em que foi feita, a defesa da ex-diretora da RTP procura consagrar o jornalismo como uma espécie de sistemas de castas, com valores e normas éticas à parte do resto da sociedade. Isso é intolerável.
O ano do 'Sexta às 9'

O ano do 'Sexta às 9'

Consegue manter no ar um programa com investigações relevantes, e a fazer audiências. Enfrenta com coragem a tentativa de condicionamento por parte da direção da RTP. Sandra Felgueiras é uma das figuras do ano.
Manual de realização

Manual de realização

TVI derrota a SIC. Baratas, fogões imundos, comida apanhada do chão, um cozinheiro muçulmano que não pode provar os petiscos. O Pesadelo... tinha tudo para arrasar. Mas teve, sobretudo, um realizador de eleição.
Da Amadora para o RIO

Da Amadora para o RIO

Durante a homenagem na Câmara da cidade, Jesus bem perguntou, à esquerda e à direita: "Então e o hino de Portugal?"A bandeira das quinas ostentada pelo treinador não chegou para aproximar os países irmãos.
O Polígrafo e a SIC

O Polígrafo e a SIC

O conjunto de suspeitas éticas e deontológicas que recaem sobre o criador do site é grave e não deve ser menosprezado pela classe jornalística. Rubrica faz parte do 'Jornal da Noite', à segunda-feira

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;