Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

Mundial e Eurovisão

A RTP pode ter um 2018 de sonho, com a transmissão de dois mega-eventos. Talvez a administração do canal do Estado consiga fazer o que anda a tentar há muito: exterminar o 'Preço Certo'.
29 de dezembro de 2017 às 12:26

O ano de 2018 será um ano de decisões. A venda da TVI terá de se resolver, para um lado, ou para o outro. Entretanto, a estação de Queluz de Baixo vai continuar a ganhar, mas com muitas áreas cinzentas de decisão, à espera de saber se haverá novos patrões.

Já a SIC voltará a viver um ano turbulento. A anunciada mudança de instalações vai juntar-se às dificuldades financeiras do grupo proprietário, dificuldades essas que se vão manter depois de as revistas serem entregues ao novo dono. O mais provável é a SIC continuar abaixo da TVI, com uma estrutura debilitada, com poucas ideias e sem capacidade de investimento.

Diferente será o ano da RTP, cheio de optimismo e festa. O Festival da Eurovisão será um dos grandes acontecimentos do ano. Logo a seguir, o Mundial de futebol vai mobilizar o país, e a RTP beneficiará dos direitos exclusivos. Em suma: a RTP, sendo a televisão com menos resultados e com maior dificuldade de posicionamento relativamente àquilo que representa para o país, é quem vive uma fase mais afirmativa.

E, claro, com todos estes eventos, nenhum poder político teria coragem para proporcionar uma mudança da administração, pelo que a equipa que tem dirigido a televisão do Estado tem o lugar garantido. Nessa altura, talvez a administração de Artur Silva tenha coragem para fazer o que anda a tentar há muito tempo: acabar com o fenómeno do 'Preço Certo'.

Em 2018, com os mesmos problemas de sempre, com grelhas de continuidade em relação ao passado, e com as estrelas habituais, os espectadores continuarão a fugir das generalistas, rumo ao cabo.

Mais notícias de A Grelha da Semana

O morgado e o deserdado

O morgado e o deserdado

Também a televisão tem horror ao vazio, como a natureza e a política. Grande ideias, formatos maravilhosos, apresentadores geniais, quantas vezes de nada valem porque alguém trabalha mais.
Cristina e o 'chef' a dividir

Cristina e o 'chef' a dividir

A SIC recuperou a liderança, a TVI afundou-se e a RTP estabilizou em 2019. Mas. no final, foi o furacão Ljubomir Stanisic que acabou por se impor como um dos protagonistas.
Eu, abaixo-assinado

Eu, abaixo-assinado

Nos moldes em que foi feita, a defesa da ex-diretora da RTP procura consagrar o jornalismo como uma espécie de sistemas de castas, com valores e normas éticas à parte do resto da sociedade. Isso é intolerável.
O ano do 'Sexta às 9'

O ano do 'Sexta às 9'

Consegue manter no ar um programa com investigações relevantes, e a fazer audiências. Enfrenta com coragem a tentativa de condicionamento por parte da direção da RTP. Sandra Felgueiras é uma das figuras do ano.
Manual de realização

Manual de realização

TVI derrota a SIC. Baratas, fogões imundos, comida apanhada do chão, um cozinheiro muçulmano que não pode provar os petiscos. O Pesadelo... tinha tudo para arrasar. Mas teve, sobretudo, um realizador de eleição.
Da Amadora para o RIO

Da Amadora para o RIO

Durante a homenagem na Câmara da cidade, Jesus bem perguntou, à esquerda e à direita: "Então e o hino de Portugal?"A bandeira das quinas ostentada pelo treinador não chegou para aproximar os países irmãos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;