Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

O abc do serviço público

Relatório anual faz o levantamento das críticas e dos elogios dos espectadores à RTP, e deixa recomendações de fazer inveja às sucessivas administrações da empresa. Jorge Wemans é o provedor do telespectador.
06 de abril de 2018 às 13:05
...
O abc do serviço público

O futebol e a televisão são duas áreas em que todos gostamos de opinar. Isso é natural: falamos do que nos está próximo. Já aqui tive ocasião de defender que os espectadores portugueses são televisivamente muito cultos, porque a oferta é muito boa, capaz de se adequar à falta de meios, e os espectadores acompanham tudo, muitas horas por dia.

As 80 mil queixas recebidas pelo provedor do Telespectador, em 12 anos, conforme consta do relatório de 2017 agora noticiado pelo CM, são um bom sintoma da vitalidade da televisão e dos espectadores. São também um sinal da relevância que Jorge Wemans conseguiu imprimir ao papel do cargo que ocupa como provedor do espectador. O relatório citado é exemplar, e quase configura um plano estratégico de qualidade para a RTP – o que tem faltado, e provavelmente continuará a faltar, às administrações da empresa.

Wemans defende a língua portuguesa, nas notícias, no site e no entretenimento; insta a empresa a cumprir o serviço público e a dar atenção às populações atingidas pelos fogos, no comentário à tragédia do ano passado; recomenda equilíbrio entre comentadores políticos, e defende que devem ser identificados como políticos que são; defende que cada canal deve ter um perfil bem definido, para "evitar sobreposições e perda de diversidade" na oferta da RTP.

Conceitos simples e que provam que, por vezes, a melhor forma de definir serviço público é dizer coisas simples e evidentes, que todos percebem. Sinais de puro bom senso tão claros, mas que estão a fazer falta a quem dirige a empresa. Aconselho a leitura.  

A rede social global na TV
O escândalo do Facebook ameaça alterar a relação das democracias com a Internet, mas pouco. Na verdade, o uso que é dado às redes sociais pelas estrelas de TV constitui um pilar fundamental do sistema de criação de modas: é a ditadura dos likes, que fazem e desfazem estrelas num ápice. Ora, isto dificilmente mudará. 

Eurovisão bem guardada
O Festival da Eurovisão vai colocar Lisboa nas bocas do mundo. Razão mais que suficiente para que a operação de segurança que vai ser montada seja de grande envergadura. Na verdade, anuncia-se semellhante ao dispositivo preparado para a visita do Papa Francisco. Boa notícia. Mais vale prevenir...

Vidas Opostas
Vem aí nova batalha na ficção nacional. Quando se começa a ouvir um ruído de fundo sobre um produto que aí vem, é sintoma de que o marketing está a ser bem feito. Ora, a SIC está a lançar Vidas Opostas, a próxima novela portuguesa, com uma eficácia muito superior ao que é habitual na estação. Começa já segunda-feira, e vai substituir Espelho d’Água, uma novela que chega a esta altura do campeonato com uma média a rondar os 23%, só este ano, um bom valor para a estação. Veremos no que dá mais esta oportunidade para a ficção nacional, em Carnaxide.  

"Somos todos Centeno"
Há frases que ganham vida própria, passam a ser uma espécie de símbolo da realidade que tentaram espelhar. A democracia tem vários  exemplos: "no jobs for the boys", disse Guterres, e ficou na História como o governo dos "boys". "Vem aí o Diabo", disse Passos, e assim ficou preso ao dito para sempre. Agora, há o "somos todos Centeno", dito pelo ministro da Saúde. Fica baptizado o tempo de António Costa.

Mais notícias de Televisão Meu Amor

Costa tem mais audiência

Costa tem mais audiência

No balanço da primeira semana de debates televisivos, o duelo entre o líder do PS e o líder do PCP foi o mais visto até ao momento. Curiosamente, a coordenadora do Bloco de Esquerda é quem tem menos espectadores nos debates emitidos em antena aberta.
O ruído de Raminhos

O ruído de Raminhos

O programa da SIC no domingo à noite é uma experiência totalmente diferente para o espectador português. O ponto fraco é o apresentador, que brinca com o seu próprio conteúdo, menorizando o projeto.
Audiências de agosto: RTP1 e TVI, DUELO final

Audiências de agosto: RTP1 e TVI, DUELO final

Se alguém tivesse previsto um fenómeno assim, teria sido apelidado, no mínimo, de lunático. A televisão de Queluz de Baixo, líder absoluta durante 150 meses, pode cair este mês para último lugar.
O futebol é para ricos?

O futebol é para ricos?

O Benfica-Sporting deu um resultado histórico ao canal 1 da RTP, mas os jogos constituem um dos maiores erros de percepção do universo televisivo: dão muita audiência, mas têm fraca rentabilidade.
O fogo ao pescoço

O fogo ao pescoço

As golas inflamáveis ameaçam “queimar” o governo. Desprezo pelo interior, falta de verificação da eficácia do Estado, negócios em família, compadrio: o mais recente escândalo no combate aos fogos tem todos os ingredientes para ficar no anedotário nacional.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!