Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues A Grelha da Semana

Notícia

O morgado e o deserdado

Também a televisão tem horror ao vazio, como a natureza e a política. Grande ideias, formatos maravilhosos, apresentadores geniais, quantas vezes de nada valem porque alguém trabalha mais.
06 de setembro de 2020 às 13:27
...
O morgado e o deserdado
Também a televisão tem horror ao vazio, como a natureza e a política. Grande ideias, formatos maravilhosos, apresentadores geniais, quantas vezes de nada valem porque alguém trabalha mais. Vejamos: a TVI tem os melhores formatos, tem o imbatível Big Brother, deixou-se de invenções e tem a Teresa Guilherme, tem a Cristina que vai ganhar as manhãs desde o primeiro dia.

A TVI tem tudo – ou pelo menos assim parece em resultado das mexidas de verão. A isto responde a SIC com três armas simples e valiosas – trabalho, trabalho e mais trabalho. E assim, um formato sofrível, com uma apresentadora claramente fora do seu palco – falo de O Noivo é que Sabe e de Cláudia Vieira – começa mais cedo que o BB, ocupa o espaço vazio, e triunfa pela antecipação.

A cigarra TVI e a formiga SIC. Não houvesse um fosso tão grande na vontade de vencer e arriscar-me-ia a predizer que a TVI ia acabar o ano novamente na liderança. Mas prever novo líder não é tão fácil como foi prever a vitória da SIC quando Daniel Oliveira entrou para a programação.

Nessa altura demorou sete meses, mas desde o primeiro dia os dados estavam lançados. Desta vez, contra o novo rico chamado TVI, há a capacidade de trabalho do aristocrata que se reinventa, a SIC. A TVI, de súbito rica, está obrigada a ganhar, mas enfrenta uma enorme capacidade de trabalho. O morgado contra o deserdado – eis o duelo que pode mudar o mundo dos media em Portugal.

INFORMAÇÃO - IMAGENS REAIS

Estas imagens são reais – frase-chave de um programa de Artur Albarran, na SIC. O mesmo se pode dizer de Costa a chamar "gajos cobardes" a médicos. Imagens reais, que os jornalistas têm obrigação de noticiar se as tiverem na sua posse. É o registo de um desabafo politicamente relevante, em ambiente de pós-entrevista (nada a ver com o off, ao contrário do que foi afirmado). O problema é que se criou uma espécie de pacto de silêncio nas tv’s generalistas, o qual envergonha o jornalismo. A SIC chegou a dizer que eram "palavras alegadamente ditas pelo primeiro ministro". Francamente!

ENTRETENIMENTO - TERESA SOS 'BIG BROTHER'

Foram os resultados do 'BB20' que tiraram Cláudio Ramos da apresentação da nova série. Ao contrário do que acontece na generalidade dos canais que emitem o 'BB', e mesmo na TVI quando o estreou, em 2000, desta vez não houve inversão de liderança, as galas só muito para o final lograram derrotar a concorrência, e a grelha semanal não foi varrida por nenhum furacão. Seria interessante saber se há mais algum país no mundo onde o 'Agricultor' tenha derrotado uma só vez que seja uma gala 'BB'. Resultado: volta, Teresa! E desta vez vai ser diferente.

MANHÃS DA TVI

É Maria Cerqueira Gomes que aqui aparece a ilustrar a subida das manhãs da TVI por uma questão de justiça histórica. Escolhida
para suceder a Cristina, os acontecimentos subsequentes provam que não é a Maria que cabe a responsabilidade pela derrota enquanto esteve no ar. Cristina é imbatível no horário.

MARQUES MENDES

Pode ser uma das vítimas do duelo SIC-TVI que se avizinha. Entalado entre o jornal e os formatos de domingo à noite da SIC,
Araújo Pereira e 'Noivos' ou Ljubomir, Marques Mendes pode ser vítima das audiências e acabar sacrificado para o cabo ou, Previsivelmente, para uma rubrica muito mais curta.

MARCO HORÁCIO

Por circunstâncias do acaso, pegou no horário de domingo à noite numa altura de transição, em que a TVI está mais preocupada com o futuro do que propriamente com o dia a dia. Além disso, não conseguiu dar ânimo ao péssimo formato que lhe entregaram. Não fez os mínimos olímpicos.




Mais notícias de Grelha da semana

A televisão salva vidas

A televisão salva vidas

Cristina foi ao 'Você na TV' e contou o seu isolamento profilático. Os afortunados espetadores terão aprendido mais sobre a Covid naqueles minutos do que em meses de comunicação institucional. O programa contribuiu para salvar vidas.
O morgado e o deserdado

O morgado e o deserdado

Também a televisão tem horror ao vazio, como a natureza e a política. Grande ideias, formatos maravilhosos, apresentadores geniais, quantas vezes de nada valem porque alguém trabalha mais.
Cristina e o 'chef' a dividir

Cristina e o 'chef' a dividir

A SIC recuperou a liderança, a TVI afundou-se e a RTP estabilizou em 2019. Mas. no final, foi o furacão Ljubomir Stanisic que acabou por se impor como um dos protagonistas.
Eu, abaixo-assinado

Eu, abaixo-assinado

Nos moldes em que foi feita, a defesa da ex-diretora da RTP procura consagrar o jornalismo como uma espécie de sistemas de castas, com valores e normas éticas à parte do resto da sociedade. Isso é intolerável.
O ano do 'Sexta às 9'

O ano do 'Sexta às 9'

Consegue manter no ar um programa com investigações relevantes, e a fazer audiências. Enfrenta com coragem a tentativa de condicionamento por parte da direção da RTP. Sandra Felgueiras é uma das figuras do ano.
Manual de realização

Manual de realização

TVI derrota a SIC. Baratas, fogões imundos, comida apanhada do chão, um cozinheiro muçulmano que não pode provar os petiscos. O Pesadelo... tinha tudo para arrasar. Mas teve, sobretudo, um realizador de eleição.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;