Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues

Notícia

Um Verão com CR7

Com mais crianças em casa, o cabo vai continuar a subir. Nas generalistas, a RTP1 vai ter dois meses de ouro por causa da Selecção, e isso vai acentuar o nervosismo na SIC.
09 de junho de 2017 às 15:12

O Verão chega com as audiências dos 3 canais em sinal aberto estabilizadas, mas todos com enormes desafios pela frente. Vamos por partes: a TVI está inamovível na liderança. De janeiro a maio, oscilou sempre entre os 21 e os 22 pontos de share diário mensal.

Conquistado o horário das 19 horas, o grande desafio para Queluz de Baixo é, agora, combater o desgaste das noites de domingo, com o fim do Pesadelo na Cozinha (que se despediu com mais um recorde no último episódio).

A tarefa está facilitada pela fraqueza da SIC neste horário. Já no day time, a liderança da TVI está menos sólida, com fragilidades na manhã, devido à nova aventura de Cristina Ferreira, e a tarde a aguentar bem, mas sem arrasar. Para a RTP, o Verão vai trazer nova barrigada de jogos da Selecção, e isso vai mexer com as audiências.

Em junho e julho, o canal 1 da RTP terá, pelo menos, duas dezenas de jogos, sendo que, no mínimo, quatro deles terão a equipa de Portugal, quer na Letónia, onde se joga o apuramento para o Mundial, quer na Rússia, onde CR7 e companhia vão jogar a Taça das Confederações. A RTP1, que já atravessou enormes dificuldades em 2017, teve em maio o melhor resultado do ano, com 13,7% de share médio diário.

Com tanto futebol, a televisão do Estado não conseguirá chegar à liderança, mas vai continuar a crescer nos próximos meses, até morder os calcanhares à SIC. Isso acentuará o nervosismo em Carnaxide. Vem aí um Verão em cheio para Ronaldo, mas sem grandes novidades televisivas: desgaste das generalistas, crecimento do cabo. As grandes revoluções nos canais só chegam em setembro. 

Mais notícias de A Grelha da Semana

O morgado e o deserdado

O morgado e o deserdado

Também a televisão tem horror ao vazio, como a natureza e a política. Grande ideias, formatos maravilhosos, apresentadores geniais, quantas vezes de nada valem porque alguém trabalha mais.
Cristina e o 'chef' a dividir

Cristina e o 'chef' a dividir

A SIC recuperou a liderança, a TVI afundou-se e a RTP estabilizou em 2019. Mas. no final, foi o furacão Ljubomir Stanisic que acabou por se impor como um dos protagonistas.
Eu, abaixo-assinado

Eu, abaixo-assinado

Nos moldes em que foi feita, a defesa da ex-diretora da RTP procura consagrar o jornalismo como uma espécie de sistemas de castas, com valores e normas éticas à parte do resto da sociedade. Isso é intolerável.
O ano do 'Sexta às 9'

O ano do 'Sexta às 9'

Consegue manter no ar um programa com investigações relevantes, e a fazer audiências. Enfrenta com coragem a tentativa de condicionamento por parte da direção da RTP. Sandra Felgueiras é uma das figuras do ano.
Manual de realização

Manual de realização

TVI derrota a SIC. Baratas, fogões imundos, comida apanhada do chão, um cozinheiro muçulmano que não pode provar os petiscos. O Pesadelo... tinha tudo para arrasar. Mas teve, sobretudo, um realizador de eleição.
Da Amadora para o RIO

Da Amadora para o RIO

Durante a homenagem na Câmara da cidade, Jesus bem perguntou, à esquerda e à direita: "Então e o hino de Portugal?"A bandeira das quinas ostentada pelo treinador não chegou para aproximar os países irmãos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;