Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do Amor

Notícia

O amor é...

...é tão inocente como culpado.
08 de julho de 2019 às 21:28
...
O amor é...

As mulheres são um inferno inocente,

dizia-lhe ele com a cabeça pousada no ombro dela, o cigarro aceso pousado na mesa, esquecido enquanto o fogo ardia nos lençóis,

A alegria é feita do que não podemos provar,

respondeu ela, e passou a língua pela boa dele, lentamente, como se não quisesse provar o que estava a provar,

Todo o fogo é juvenil,

escreveu ele, horas mais tarde, num papel que lhe deixou debaixo da almofada, com o seu número de telemóvel, para que quando acordasse se sentisse outra vez dele,

Vistos de longe todos nos amamos,

ela falava com uma amiga no café e criticava aquele homem com quem passara umas horas e que nunca mais dissera nada, nem uma palavra, nem uma mensagem, nada,

O amor às vezes tem de se subir pelos degraus,

era o que ele pensava enquanto se encaminhava para a casa dela para tentar perceber porque é que ela não lhe disse nada, tanto tempo já tinha passado e nada, sabia que provavelmente não valia a pena ir lá, pois se ela nada dissera é porque nada quereria com ele, mas não custava tentar, não custava ouvir mais um não, ele que passara a vida toda a ouvi-los, um atrás do outro,

Quando quero explicar o meu futuro a tua imagem aparece-me nas palavras,

começou por explicar, não sabia bem o que aquilo queria dizer mas era exactamente aquilo que queria dizer,

Quero que sejas os aposentos da minha loucura,

ela entendeu, abraçou-o, passaram algumas horas a entender que às vezes os corpos são necessários para que as almas se conheçam,

Os corpos nas luzes suspensas são como uma cidade em chamas,

foi o título do livro dele, lançado um ano depois, mais coisa menos coisa, com o silêncio dela (e a saída curta dela, sobretudo) na primeira fila,

Entre mortos e feridos salvam-se os que amam,

e naquele dia não houve mortos nem feridos, mas houve os que se amam,

e que se salvaram, claro.

 

Tangível: adj. Tudo o que sentes, e não apenas tudo o que tocas; é mais real um sonho do que muitos beijos.  

Mais notícias de No meu Sofá

Os murros de José Alberto Carvalho

Os murros de José Alberto Carvalho

Morreu-lhe uma tia, de 93 anos, e não pôde despedir-se dela. Era a sua segunda mãe. O jornalista da TVI partilhou os seus sentimentos em direto, no Jornal das 8, e deu-nos uma lição. A chorar por dentro, mas de pé. Como as árvores.
Venceremos!

Venceremos!

A TVI copiou a ‘Terra Brava’? E a SIC copiou quem? O que interessa é que ‘Quer o Destino’ é uma boa novela. Quando o balão de Bárbara Guimarães começa a esvaziar e Cristina Ferreira se fechou em casa, Jorge Gabriel ou Tânia Ribas de Oliveira assumem uma missão. Parabéns!
Vou ali e já venho

Vou ali e já venho

Tenho 44 anos e herdei um andar no Dafundo, perto da estação. Era a casa dos meus avós, como sou filha única e neta única do lado da minha mãe, ela ofereceu-mo quando me licenciei. Agora estou fechada em casa como o resto do mundo e dou aulas aos meus alunos pelo computador.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
ciao ciao 09.07.2019

o amor e ................................................ seres tao pateta

;