Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

A pergunta-chave de Cristina Ferreira a Bruno de Carvalho: "De que é que vive agora?"

Acusado de dezenas de crimes, incluindo terrorismo e sequestro, o ex-presidente do Sporting deu uma maratona de entrevistas em que falou pouco do processo e muito de futebol. Só Cristina esteve ao seu nível 
22 de fevereiro de 2019 às 14:21
...
A pergunta-chave de Cristina Ferreira a Bruno de Carvalho: "De que é que vive agora?"

No espaço de uma semana, a proliferação de conversas e entrevistas com o presidente destituído do Sporting, Bruno de Carvalho, teve dois méritos principais. Em primeiro lugar, serviu para avaliar o verdadeiro peso mediático do homem que está acusado de 98 crimes, incluindo terrorismo e sequestro. Em segundo lugar, provou que Cristina Ferreira é uma profissional cada vez mais completa.

Vamos por partes. Bruno de Carvalho esteve no jornal de horário nobre da TVI, sexta-feira. A seguir, ocupou quase todo o horário nobre da TVI24, entre a entrevista e a análise que se seguiu. A rubrica de Moniz no Jornal das 8 foi desalojada de sexta para sábado. Consequência principal: a TVI perdeu os dois dias para a SIC, algo que não acontece todas as semanas. Também no cabo, a TVI24 perdeu todo o horário nobre de sexta-feira, a larga distância da CMTV, o que, sendo habitual, terá surpreendido os responsáveis da estação, que apostaram alto, sem resultados. Mais um dia, mais uma entrevista: SIC Notícias, noite de sábado, entrevistadora e entrevistado de pé, e de perfil. Mais uma derrota.

Finalmente, chegou O Programa da Cristina, na SIC. Curiosamente, entre tantas entrevistas jornalísticas e conversas de teor variado, foi ali que apareceu a pergunta mais relevante, com verdadeiro interesse público: afinal, "de que é que vive agora?" Os segundos de silêncio que se seguiram foram um grande momento de televisão proporcionado por Cristina Ferreira, uma apresentadora completa e corajosa, que melhora todos os dias.

 

Manzarra dá alento à TVI

Uma derrota impensável no domingo, por 6 pontos percentuais de diferença na média do dia, faz perigar, de súbito, a vitória da SIC no mês de fevereiro, que já se anunciava histórica. Programas como o Lip Sync e apresentadores como João Manzarra não têm lugar na SIC como está a ser redesenhada pela nova direção.    

 

Óscares no cabo

Este ano, os prémios da academia de Hollywood passam nos canais Fox, o que será uma estreia. Este é um produto televisivo muito apetecido, e que tem sido disputado pela SIC e pela TVI. A mudança dos diretos para canais de cabo é mais um passo na delapidação simbólica de valor da televisão generalista. São opções como esta que afastam os espectadores.

 

Enfermeiros feridos

A princípio, a greve dos enfermeiros foi olhada com condescendência, e até com alguma simpatia. Aos poucos, tudo foi mudando, sobretudo devido a uma certa indiferença perante o sofrimento causado aos doentes. A bastonária dos enfermeiros apareceu como líder do processo, e ficará na História como a grande responsável por hipotecar e ferir por muitos anos a imagem da classe junto dos portugueses. Líderes de plástico, construídos na televisão, é na televisão que acabam a expor a sua fragilidade essencial. A greve, pode dizer-se hoje, será justa, mas falhou.  

 

A mesa da SIC

A forma das mesas que servem para jornais, programas e debates da SIC e da SIC Notícias é um dos principais erros da nova imagem da estação. A mesa é antitelevisiva, não possibilita o frente a frente e é demasiado visível na generalidade dos planos televisivos. Ou seja, é um ruído tremendo. Como é possível? É a prova de que não houve quem pensasse de forma integrada a nova imagem dos canais SIC.  

Mais notícias de O Tal Canal

Cheira a mentira

Cheira a mentira

As casas dos agricultores no ‘reality show’ de Andreia Rodrigues, sabe-se agora, são todas falsas. Resta dizer: é lamentável a SIC enganar o espectador desta maneira. Já o ‘Big Brother’, que parte sempre em desvantagem na TVI, começa a cantar vitória.
Bruno Nogueira na TVI

Bruno Nogueira na TVI

O protagonista de ‘E Como É Que O Bicho Mexe?’ prendeu no último live, no Instagram, 170 mil pessoas, incluindo Cristiano Ronaldo e Bruno Fernandes. Seria uma grande contratação da estação de Queluz de Baixo para fazer frente a Ricardo Araújo Pereira, na SIC, mas será que o dinheiro e a estabilidade só chegam para ir buscar Marco Horácio?
A TVI tem (bom) destino

A TVI tem (bom) destino

A nova novela da estação de Queluz de Baixo, gravada no Ribatejo, é um bálsamo na ficção nacional, com Pedro Teixeira em bom plano e outros atores a assinarem interpretações fantásticas. Luís Esparteiro, Marina Mota e Pedro Sousa são três rostos deste sucesso.
O dia mau de Rodrigo Guedes de Carvalho

O dia mau de Rodrigo Guedes de Carvalho

O que sobrou de útil da entrevista do jornalista da SIC à ministra da Saúde, Marta Temido, na SIC? Muito pouco, comparado com o ruído criado – e as centenas de insultos. E quando assim é, alguém fez mal o seu trabalho.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;