Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

Assim NASCE uma Estrela

Para a edição deste ano, a RTP refrescou o júri e acertou em cheio. O formato ficou mais forte do que nunca, e por isso mesmo morde os calcanhares à SIC.
25 de outubro de 2019 às 14:13
...
Assim NASCE uma Estrela
A RTP acertou em cheio no novo júri do 'The Voice'. O movimento parece simples: saem dois, entram outros dois. Mas dessa decisão simples resultou um enorme acréscimo de qualidade, senão musical, pelo menos ao nível do entretenimento proporcionado pelo programa. Vamos ao detalhe: saíram Mickael Carreira e Anselmo Ralph. Eram os elementos com menor capacidade de comunicação, quer pela dificuldade de explicitação dos valores musicais, digamos assim, quer pela falta de empatia com concorrentes, público e restantes elementos.

Quando o programa chegava a eles, como que travava, abrandava, proporcionava ao espectador momentos para ir aos outros canais, ver o que estava a dar. Agora, a Marisa Liz e a Aurea juntaram-se António Zambujo e Diogo Piçarra. Ambos acrescentam espontaneidade ao espetáculo, sobretudo Zambujo, um músico que fala, avalia e se relaciona com toda a gente, fazendo uso da mesma sonoridade pura com que canta. Já Diogo Piçarra acrescenta outra dimensão.

Piçarra encanta, relaciona-se com os concorrentes, provoca e puxa pelos restantes elementos do júri, em suma, demonstra uma energia comunicativa que contagia todo o show e faz The Voice subir a um novo patamar. Está a nascer mais uma estrela, ao domingo à noite. O jurado Diogo Piçarra, a continuar com esta sinceridade de comportamento (ele está no estúdio como numa sala de estar), tem uma carreira televisiva à sua espera.

Sexta Às 9
A entrevista foi rasgadinha. O sorriso de Sandra Felgueiras não obstou a que fossem feitas as perguntas mais duras, nem evitou que a jornalista dissesse ao secretário de Estado, uma ou outra vez, que ele estava a mentir. O caso do lítio reforçou o peso interno do programa, que assim ganha uma nova vida nesta RTP.

O finca-pé
"Haja o que houver", Felipa Garnel diz que vai manter o concurso das 7 na antena da TVI. Eis algo que um programador deve evitar dizer. Garnel fica presa, não só a uma opção, mas também ao discurso sobre essa opção. Ver P’ra Crer não é solução, e prova-o todos os dias. Com esta frase, chegará o dia em que, ou acaba o concurso, ou deixa de haver diretora.

Tudo bem feito, menos o ritmo
Analisemos os dois primeiros episódios de Luz Vermelha. A série da RTP1 dá a Joaquim Monchique o papel da sua vida: que grande ator em potência ali está, se encontrar papéis adequados. O elenco é bom, a história, sólida, e apela à memória coletiva do caso das Mães de Bragança, que se revoltaram contra a invasão de mulheres estrangeiras que lhes levavam os maridos. Problema: que falta de ritmo, na montagem, de narração... no primeiro episódio, nada acontece! Assim não vai lá.

Vilhena contra a TVI
Trata-se de um autor que, no passado, teve sucesso nas novelas. Depois de regressar do Brasil, lançou mãos à obra, e estreou Na Corda Bamba, que é um verdadeiro desastre. Na segunda-feira, fez metade da audiência da sua concorrente direta na SIC. Agora, Vilhena responsabiliza a estratégia da TVI pela derrota da sua novela. Só falta culpar, a seguir, o público, "tão ingrato..."

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Balada dos Monstros

Balada dos Monstros

Para os monstros não há regras nem limites, apenas desejos e obsessões, para eles o próximo não tem valor humano, porque só existe para os servir.
O poder da fé

O poder da fé

Na década de 90 Marco Paulo fintou o destino. A crença, a vontade de viver e servir uma autêntica legião de fãs agarraram-no à vida. Agora não será diferente.
COMO F*DER UM CASAMENTO  18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

COMO F*DER UM CASAMENTO 18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

Saíste. E nem um beijo. Simplesmente foste. Tinhas certamente muito em que pensar, a empresa, as preocupações, as contas para pagar, os desafios que te esperam, mas foste sem um beijo. Deixaste um até logo distante, que quando foi falado já não estava aqui.
Cláudio Ramos atacado por cobardes

Cláudio Ramos atacado por cobardes

Deixou Cristina Ferreira e a SIC e partiu para a TVI, onde vai começar por apresentar o ‘Big Brother’. Fez bem, apesar do que muitos lhe estão a fazer.
Retrato de um namorado parasita

Retrato de um namorado parasita

A minha mulher é um furacão. É mais bonita do que eu, mais nova do que eu, mais bem educada do que eu, mais forte do que eu. Mas sou eu quem manda, porque ela gosta mais de mim do que dela e essa regra, meus amigos, só se aprende depois dos quarenta.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;