Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Cresce, Lourenço

O actor de “A Herdeira” decidiu apoiar o amigo Rui Patrício, nas redes sociais, insultando Bruno de Carvalho, o presidente do Sporting. A TVI permite este comportamento às suas estrelas?
21 de abril de 2018 às 16:13
...
Cresce, Lourenço

1. Vem de quem vem, vale o que vale, mas não posso passar ao lado de um comentário de Lourenço Ortigão, esse nome sonante da ficção nacional, no Instagram de Rui Patrício, sobre Bruno de Carvalho. "Forte abraço, mano. Não sou do Sporting, mas és meu amigo e o teu presidente é um idiota de m*rda que só mancha a imagem do futebol português." Desconhecendo se já tomou uma posição pública sobre os polémicos e-mails trocados entre dirigentes do seu clube, Benfica, e alguns responsáveis pela arbitragem, que envergonham o futebol português, ou, por exemplo, se se indignou com a falta de apoios do Governo à cultura, que levou tantos colegas seus a protestar no Rossio, é inaceitável que o actor tenha este tipo de discurso.

Lourenço Ortigão é maior e vacinado – garantem-me que é uma pessoa "muito bem formada, e de boas famílias" –, tem, naturalmente, direito à sua opinião, mas não deve, não pode, ir para as redes sociais insultar seja quem for. Mesmo que a cegueira clubística fale mais alto. Mesmo que a sua "vítima" seja o maior monstro no mundo. Afinal, há regras básicas para uma sociedade que se quer civilizada. Espero sinceramente que, em Queluz de Baixo e em Bucelas, onde há responsáveis com uma educação e comportamentos únicos, alguém explique, com sucesso, a Lourenço Ortigão que tem de respeitar os outros. Isto, claro, se quiser ser também respeitado, um dia.

2. A novela "A Herdeira", da TVI, é líder incontestável de audiências, desde o dia de estreia (24 de Setembro de 2017) até hoje, registando uma média de quase 1 milhão e meio de espectadores. Impressionante, quando já vamos numa segunda temporada, que provoca (quase) sempre algum desgaste junto daqueles que seguem com atenção as peripécias desta história de ciganos. Se, no regresso à estação de Queluz de Baixo, José Eduardo Moniz teve como principal prioridade resistir ao sustentado e perigoso crescimento da ficção nacional da SIC, o consultor, hoje, já conseguiu afastar-se (e bem) do rival: para se ter uma ideia, "Vidas Opostas", a nova aposta em Carnaxide, protagonizada por cinco actores (Sara Matos, Renato Godinho, Joana Santos, Diogo Amaral e João Jesus), prende menos 300 mil espectadores ao pequeno ecrã. Tempos difíceis, os da directora Gabriela Sobral.

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Venceremos!

Venceremos!

A TVI copiou a ‘Terra Brava’? E a SIC copiou quem? O que interessa é que ‘Quer o Destino’ é uma boa novela. Quando o balão de Bárbara Guimarães começa a esvaziar e Cristina Ferreira se fechou em casa, Jorge Gabriel ou Tânia Ribas de Oliveira assumem uma missão. Parabéns!
Vou ali e já venho

Vou ali e já venho

Tenho 44 anos e herdei um andar no Dafundo, perto da estação. Era a casa dos meus avós, como sou filha única e neta única do lado da minha mãe, ela ofereceu-mo quando me licenciei. Agora estou fechada em casa como o resto do mundo e dou aulas aos meus alunos pelo computador.
Cláudio Ramos arrasa SIC

Cláudio Ramos arrasa SIC

Depois de dizer que tem “a certeza” de que um dos melhores momentos da vida de Cristina Ferreira foi trabalhar consigo, o apresentador revelou que não foi valorizado na estação de Paço de Arcos. A guerra começou.
Às vezes

Às vezes

Eu era a imediata da minha mãe, era assim que me chamava, és o meu braço direito e esquerdo, dizia.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;