Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de polícia

Notícia

Da Violência

Não tenho dúvidas de que qualquer debate, abaixo-assinado, manifestação, contra a violência doméstica não tem efeitos imediatos no que respeita aos seus resultados.
24 de fevereiro de 2019 às 19:19
...
Da Violência

Porém, são sementes para um cultivo cujas colheita só chegaram quando assumirmos, de forma convicta, que o problema essencial diz respeito à consciência de que a igualdade de género é mesmo uma realidade.

Hoje, não é. E não é porque as relações de poder são marcadamente masculinas, produto de uma civilização e culturas que cresceram e consolidaram, tendo o homem como único protagonista. Podem as elites forçar o rompimento desta estrutura ideológica. Por exemplo, o caso de quotas para mulheres no acesso a cargos públicos. É uma oferenda mas não é uma partilha de poder dominante.

Basta ver as réplicas desta decisão na administração pública. Apesar das quotas, são abundantes os conselhos de administração, os conselhos directivos onde nem uma mulher existe. A lei não muda um poder historicamente assumido milenarmente.

O problema é complexo. E tudo contribui para que se mantenha, apesar da maquilhagem legal de algumas medidas importantes. Na verdade, basta ler o último estudo sobre as mulheres da Fundação António Manuel dos Santos para se compreender a dificuldade em saltar para um patamar superior de reconhecimento de poder falado no feminino.

Embora haja mais mulheres a estudar, que estejam a crescer nas profissões tradicionalmente ocupadas por homens, como é o caso da Justiça, das engenharias e por aí adiante, a verdade é que a diferenciação substantiva é a seguinte: O combate contra a violência doméstica tem obrigatoriamente passar pela domesticação cívica da cultura inoculada nos homens. Ceder direitos historicamente enraizados na moral dominante é um problema civilizacional. Não se compadece com leis e qualificações.

Daí que as vítimas não sejam apenas os simples. Toda a hierarquia social é atingida pelo fenómeno. Tanto são mortas médicas, como advogadas, como engenheiras. Nem o sistema escolar, nem os instituintes sociais estão preocupados com o caso. Veja-se o caso da Igreja, para não falar de todas as igrejas. Vejam-se as organizações familiares. Vejam-se os arremedos de entusiasmo do Estado.

Estamos perante um caminho longo. Que passará de geração em geração até à socialização definitiva da ideia de igualdade e de não violência. Até lá, muitas serão mortas. Em nome do poder dos machos.

Mais notícias de O Tal Canal

Teresa Guilherme em perigo

Teresa Guilherme em perigo

A apresentadora substitui Cláudio Ramos no ‘Big Brother’, após longa travessia no deserto, mas há cuidados a ter. Os inimigos estão aí
A menina Clarinha e eu

A menina Clarinha e eu

Não sei quantas vezes tentei esquecer-te, talvez menos do que tu e mais do que o meu coração aguenta, a única que sinto é que, cada vez que a dou espaço à razão, o meu coração começa a encolher-se como um bolo sem fermento, a vida fica sem açúcar e os dias sem sabor.
SIC ataca (e bem) a TVI

SIC ataca (e bem) a TVI

O ‘Big Brother’ ganha ao ‘Agricultor’? Não faz mal: aposta-se em ‘Nazaré’. O ‘Somos Portugal’ é uma marca? Não faz mal: faz-se uma coisa igual. Na guerra vale tudo, e a estação de Queluz de Baixo não tem muito tempo…
Impossível baixar a guarda!

Impossível baixar a guarda!

Infelizmente basta ligar a televisão ou ler as manchetes dos principais jornais e meios de comunicação online para perceber que as festas ilegais continuam a acontecer de norte a sul do país; que os convívios multinucleares são cada vez mais encarados como autênticas festas de desconfinamento, que o sol, o calor e o mar estão a toldar os sentidos conduzindo-nos para o precipício.
Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Aos domingos, o ‘Big Brother’ parte sempre muito atrás de ‘Quem Quer Namorar com o Agricultor?’, mas tem conseguido vencer o rival, o que é notável. Tudo numa semana em que as escolas fecharam e a emoção tomou conta de todos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;