Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Matar ou morrer

A ficção da TVI continua a perder para a da SIC. A estranha ausência de Manuel Luís Goucha. A doença grave e a dispensa de um ator. A guerra entre Serginho e Cláudio Ramos. Para onde vamos?
22 de junho de 2019 às 07:00
...
Matar ou morrer
Foto: Cofina Media
1. No momento em que escrevo esta crónica, passou só um episódio de 'Amar depois de Amar', e os números da estreia da novela da TVI foram estes: 1 milhão e 95 mil e 40 espectadores, menos 29 mil do que 'Golpe de Sorte'. Não sei o que aí virá: se a série da SIC continua segura na liderança, ou se, pelo contrário, esta trama protagonizada por Pedro Lima, Dina Félix da Costa, Maria João Pinho e Filipe Vargas consegue cativar os portugueses e voltar a dar a vitória à estação no horário nobre. Num dos momentos mais difíceis da sua história de 26 anos, joga-se aqui muito, para o bem e para o mal, a influência de José Eduardo Moniz, consultor da Ficção e Entretenimento em Queluz de Baixo.

2. Na apresentação de 'Amar depois de Amar' à imprensa, na segunda-feira, 17, precisamente o dia de estreia da novela da TVI, a estação deu uma imagem de força no Parque Eduardo VII: além do elenco e autores, estavam no local do evento alguns dos principais rostos da informação e do entretenimento de Queluz de Baixo: Judite Sousa, José Alberto Carvalho e Maria Cerqueira Gomes. Perante o silêncio dos três, senti a falta de Manuel Luís Goucha e de Fátima Lopes, que tem desculpa, pois estava a apresentar 'A Tarde É Sua'.

3. Em entrevista à TV Guia, Ângelo Torres desmente ter esclerose múltipla: diz ter "apenas" uma hipertrofia no joelho esquerdo, que o leva a deslocar-se de canadiana. Se assim for, é uma ótima notícia, uma vez que este problema de saúde será resolvido com uma cirurgia. Já a sua dispensa da novela 'A Prisioneira' é uma má notícia. O ator é dos bons.

4. Serginho é um dos vários comentadores de social da TVI e, nos últimos dias, no Você na TV!, decidiu insultar Cláudio Ramos, seu velho conhecido desde 'Noites Marcianas', em 2001, na SIC. "Depois de a dona lhe ter posto a trela, quase que parece gente." Contactado pela TV Guia, o parceiro de Cristina Ferreira recusou-se a comentar a polémica: "Não falo sobre essas coisas." Fez bem. Isso seria descer o nível, em primeiro lugar, e seria dar-lhe palco, depois, quando o programa das manhãs da estação de Queluz de Baixo luta, hoje, com 'Praça da Alegria', da RTP 1, pelo segundo lugar do pódio.

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Balada dos Monstros

Balada dos Monstros

Para os monstros não há regras nem limites, apenas desejos e obsessões, para eles o próximo não tem valor humano, porque só existe para os servir.
O poder da fé

O poder da fé

Na década de 90 Marco Paulo fintou o destino. A crença, a vontade de viver e servir uma autêntica legião de fãs agarraram-no à vida. Agora não será diferente.
COMO F*DER UM CASAMENTO  18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

COMO F*DER UM CASAMENTO 18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

Saíste. E nem um beijo. Simplesmente foste. Tinhas certamente muito em que pensar, a empresa, as preocupações, as contas para pagar, os desafios que te esperam, mas foste sem um beijo. Deixaste um até logo distante, que quando foi falado já não estava aqui.
Cláudio Ramos atacado por cobardes

Cláudio Ramos atacado por cobardes

Deixou Cristina Ferreira e a SIC e partiu para a TVI, onde vai começar por apresentar o ‘Big Brother’. Fez bem, apesar do que muitos lhe estão a fazer.
Retrato de um namorado parasita

Retrato de um namorado parasita

A minha mulher é um furacão. É mais bonita do que eu, mais nova do que eu, mais bem educada do que eu, mais forte do que eu. Mas sou eu quem manda, porque ela gosta mais de mim do que dela e essa regra, meus amigos, só se aprende depois dos quarenta.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;