Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

Moniz, Deus ou Diabo?

A nova tendência da informação da TVI é multiplicar rubricas. Depois de Sousa Tavares à segunda-feira, agora é a vez do antigo director-geral executar mais de 20 minutos do noticiário principal da estação.
07 de dezembro de 2018 às 18:32
...
Moniz, Deus ou Diabo?

Ainda não há consenso entre os historiadores dos media sobre quem tem o verdadeiro mérito pela escolha do 'Big Brother' para a TVI. Terá sido decisão de José Eduardo Moniz, ou imposição do presidente da empresa, Miguel Paes do Amaral? Ao jeito dos grandes enigmas da humanidade, provavelmente só os dois homens saberão a verdade toda, e a nós, comuns mortais, resta-nos ficar conformados com o eterno cruzamento entre as duas versões.

Intuição de Moniz, ou teimosia genial de Paes do Amaral, a verdade é que forçou o fim da era de Rangel na SIC, e lançou quase duas décadas de liderança da TVI. Dezoito anos depois, Moniz estreou 'Deus e o Diabo' no 'Jornal das 8'. Todos os que têm menos de 40 anos não se recordarão do 'Jornal de Sábado' que fez a fama de Moniz na RTP. Era um magazine de informação. Na altura era um achado, mas, para os padrões de hoje, seria uma banalidade.

É a essa herança que se procura fazer jus. 'Deus e o Diabo' junta entrevista, comentário, perguntas colocadas por espectadores via skype, e o que mais se vai ver. Uma autêntica caldeirada de informação, num estilo peripatético, ou seja, Moniz deambula pelo estúdio enquanto navega entre estilos, géneros e conteúdos.

A estreia liderou, pouco acima dos 23%, com um milhão de espectadores. Mas há muito a corrigir, algo natural para uma primeira emissão. A começar pela interactividade. Quando alguém entra por skype e ninguém em casa percebe o que foi dito, a não ser o pivô, algo se quebra na verosimilhança da emissão. Uma boa ideia não pode morrer assim. É preciso intervir urgentemente.

50 HORAS NA TVI
Quando uma estação improvisa num horário-chave, isso é, no mínimo, algum amadorismo. Quando essa estação era conhecida por trabalhar todos os assuntos de forma profissional, isso significa que algo se perdeu no caminho. Domingo à noite, sem o chef Ljubomir, a TVI improvisou, e foi humilhada pela SIC.

JOSÉ SÓCRATES
Um antigo primeiro-ministro acusado de corrupção vive numa casa oferecida por um primo, também ele suspeito de ser um dos testas-de-ferro do ex-governante. À SIC, Sócrates ataca o jornalismo que revela as verdades, alegando tratar-se de um "acto banal" da sua vida privada. Seria útil se Sócrates pudesse explicar porque considera que se trata da sua vida privada.

OS PERIGOS DOS APOIOS
O Presidente Marcelo lançou um debate útil, mas de alguma forma perigoso. O apoio do Estado ao jornalismo é o sonho húmido de políticos autoritários, corruptos ou opositores da liberdade. Cabe à democracia criar condições para que o jornalismo seja exercido livremente, e cabe à sociedade seleccionar o jornalismo que consome e que, por essa razão, é rentável. Todas as intervenções estatais para lá destas duas fronteiras comprometem essa liberdade e reduzem a qualidade da democracia. O único patrão do jornalismo é, sempre, o cidadão.


Mais notícias de Por Detrás da Câmara

'Alguém Perdeu'

'Alguém Perdeu'

A história escrita pelo argumentista António Barreira já começou a ganhar vida e promete surpreender na forma e no conteúdo. O arranque oficial das gravações da trama que vai apaixonar os portugueses aconteceu há poucos dias e não podia ter melhor combustível do que o entusiasmo do elenco.
As vítimas e a lei

As vítimas e a lei

A Assembleia da República, com carácter excepcional, devia aceitar legislar no sentido de escutas, gravações de voz, gravações de imagem fossem consideradas legítimas para provar uma naipe de crimes que vão do assédio, à violência doméstica, passando pelos crimes sexuais.
O Amor é...

O Amor é...

...aquilo que não tem fórmula e a mais infalível de todas as fórmulas.
RTP1: o poço sem fundo 

RTP1: o poço sem fundo 

O primeiro canal da TV do Estado teve apenas 7,7% de share, no domingo. Foi um dia com uma grelha perfeitamente normal. Isso indicia que estamos perante um fenómeno de queda sustentada, e sem fim à vista.
Enquanto a primavera não chega

Enquanto a primavera não chega

"Uma senhora nunca desce do salto", dizia a minha tia Dinora, impassível perante as repetidas manobras de charme do meu tio Luís.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!