Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

Mundial e Eurovisão

A RTP pode ter um 2018 de sonho, com a transmissão de dois mega-eventos. Talvez a administração do canal do Estado consiga fazer o que anda a tentar há muito: exterminar o 'Preço Certo'.
29 de dezembro de 2017 às 12:26

O ano de 2018 será um ano de decisões. A venda da TVI terá de se resolver, para um lado, ou para o outro. Entretanto, a estação de Queluz de Baixo vai continuar a ganhar, mas com muitas áreas cinzentas de decisão, à espera de saber se haverá novos patrões.

Já a SIC voltará a viver um ano turbulento. A anunciada mudança de instalações vai juntar-se às dificuldades financeiras do grupo proprietário, dificuldades essas que se vão manter depois de as revistas serem entregues ao novo dono. O mais provável é a SIC continuar abaixo da TVI, com uma estrutura debilitada, com poucas ideias e sem capacidade de investimento.

Diferente será o ano da RTP, cheio de optimismo e festa. O Festival da Eurovisão será um dos grandes acontecimentos do ano. Logo a seguir, o Mundial de futebol vai mobilizar o país, e a RTP beneficiará dos direitos exclusivos. Em suma: a RTP, sendo a televisão com menos resultados e com maior dificuldade de posicionamento relativamente àquilo que representa para o país, é quem vive uma fase mais afirmativa.

E, claro, com todos estes eventos, nenhum poder político teria coragem para proporcionar uma mudança da administração, pelo que a equipa que tem dirigido a televisão do Estado tem o lugar garantido. Nessa altura, talvez a administração de Artur Silva tenha coragem para fazer o que anda a tentar há muito tempo: acabar com o fenómeno do 'Preço Certo'.

Em 2018, com os mesmos problemas de sempre, com grelhas de continuidade em relação ao passado, e com as estrelas habituais, os espectadores continuarão a fugir das generalistas, rumo ao cabo.

Mais notícias de Piquete de polícia

Espanto

Espanto

A ser verdade esta história, Bruno de Carvalho, que ainda não há um ano era o pastor maior de um rebanho de servos acríticos, é o exemplar único que a história do desporto vai mostrar como o maior inimigo do Sporting.
Presidente (quase) na rua

Presidente (quase) na rua

Gonçalo Reis diz hoje uma coisa aos precários da RTP… e no dia seguinte faz outra. As contratações de Cândida Pinto e de Helena Garrido para a direcção de Informação incendiaram a empresa. O Governo vai ter de intervir.
Meia noite para Bruno

Meia noite para Bruno

RTP deixou-se usar para vergonhosa limpeza de imagem. Apenas duas semanas antes de ser detido no âmbito do processo de Alcochete, indiciado por 56 crimes, o antigo presidente do Sporting esteve no '5 para a Meia-Noite'.
Editar a vida

Editar a vida

O escritor é um espelho da sua época. Quase sempre um espelho com imperfeições, manchas e estilhaços, e no entanto, talvez por isso mesmo, ainda mais fiel à realidade, também ela repleta de defeitos.
Perdeu o futebol

Perdeu o futebol

É tempo de acabar com o “chico-espertismo” que intoxica e compromete a paixão pelo futebol. A liderança despótica de Bruno de Carvalho e respectivas consequências negativas não afetam apenas o Sporting. Com ele perdeu o futebol.
O amor é...

O amor é...

Continuar apaixonado, todos os dias, pela vontade de te apaixonares.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!