Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

O pior negócio

Onde é que já vi isto? A resposta à minha pergunta, ao mesmo tempo que franzia os olhos para o ecrã, foi imediata. 'Biggest Deal' não será mais do que um sucedâneo do 'Bar da TV', um programa apresentado por Jorge Gabriel e de má memória para a SIC em 2001.
05 de outubro de 2017 às 19:20
...
O pior negócio

A aposta recorrente da TVI em reality shows não mereceria qualquer tipo de reparo, caso não fossem por demais conhecidos os efeitos negativos dessa mesma estratégia para a estação de Queluz de Baixo. Tamanha bizarria só pode ser justificada pelo deserto de ideias que popula nos canais generalistas e que tantas vezes já identifiquei.

Embora conhecedor-porque também trabalho todos os dias para isso-da exponecial dificuldade em conseguir persaudir e agradar a milhares de telespetadores, não consigo ficar indiferente ao autismo de quem continua a dar vida a formatos moribundos e totalmente desprovidos de conteúdo. O programa ‘Biggest Deal’, apresentado por Teresa Guilherme é o último da sua espécie e já provou à nascença que o seu ADN não será diferente dos ascendentes. 

Juntar 16 pseudo-figuras públicas numa casa com o objetivo de mostrar ao mundo as suas valências na gestão de negócios é algo que repele todo e qualquer mortal. Os telespetadores estão saturados de frivolidade no pequeno ecrã, as suas vidas precisam de muito mais e esse estado de espírito ficou bem demonstrado pelos números.

No dia 1 de outubro, a primeira gala de 'Biggest Deal', não foi além dos 700 mil espetadores, uma marca que fica para a história como o pior resultado de sempre em termos de estreias de um reality show a um domingo. E não, os culpados para mais este rotundo fracasso, tal como algumas vozes já procuraram fazer eco ao longo da semana, não foram o clássico entre o Sporting e o FC Porto, as eleições autárquicas ou Teresa Guilherme que será substituida por Cristina Ferreira.

Onde é que já vi isto? A resposta à minha pergunta, ao mesmo tempo que franzia os olhos para o ecrã, foi imediata. 'Biggest Deal' não é mais do que um sucedâneo de 'Bar da TV', um programa apresentado por Jorge Gabriel e de má memória para a SIC em 2001.

O vazio – e quedo-me por aqui em termos de análise – que marcou toda a hora e meia de emissão só podia resultar num mau resultado. Longe de querer ser o profeta da desgraça presumo que, ao invés das expetativas de Bruno Santos, o diretor de antena da TVI, o novo reality show que acarinha fará tudo menos jus ao nome. 'Biggest Deal', por tudo o que oferece e representa será um, senão o pior negócio dos últimos tempos.

Mais notícias de No meu Sofá

Pessoas que nos fazem felizes de forma simples

Pessoas que nos fazem felizes de forma simples

Foi a transformar a televisão numa festa que João Baião cresceu e ganhou popularidade. Porque rapidamente percebeu que TV é entretenimento no seu estado mais puro, é fazer rir e chorar, é esquecer dramas do quotidiano, é alienar.
O Último Pôr do Sol

O Último Pôr do Sol

Ficámos mais um pouco a olhar para o mar, duas vidas em paralelo que voltavam a cruzar-se por breves e preciosos instantes para assinar um tratado de paz há tanto tempo esperado.
Goucha na Segunda Liga?

Goucha na Segunda Liga?

Quem deseja construir uma televisão familiar não pode empurrar Manuel Luís Goucha para fora das manhãs sem apresentar uma solução à altura.
Já ganhou!

Já ganhou!

Quem nos dera Ricardo Araújo Pereira num 'late night show' com este sentido de humor. A televisão generalista, cada vez mais "estupidificada", sairia a ganhar.
Globos pariram um rato

Globos pariram um rato

A cerimónia foi líder de audiências e isso chega para a SIC. Mas quando, no dia seguinte, só se fala dos cinco vestidos de Cristina Ferreira e de Bárbara Guimarães, algo vai mal na televisão portuguesa.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!