Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Notícia

Ombro

Ombro: s.m. Região mais rica do planeta; pobre é apenas aquele que não tem um ombro para pousar os medos.
08 de janeiro de 2018 às 07:00
...
Ombro
Foto: Getty Images

Dá-me um abraço, foda-se,

ela pede com as palavras que sente, ao lado um homem de fato e gravata reprova aquilo com a cabeça, do outro lado uma mulher esboça um sorriso de paternalismo,

o paternalismo é uma maldade educada, uma maldade hipócrita,

e por isso muito pior do que a maldade em si mesma,

dá-me um abraço, foda-se,

ele dá, aperta-a com força,

o amor usa palavras, e é só,

um dia alguém dirá que para amar temos de usar palavras bonitas,

amo-te, és tão lindo,

coisas assim,

és o meu sol, casas comigo,

e tal,

mas para amar só temos de usar amor,

mesmo que usemos foda-se, e caralho, e puta que pariu,

não se ama por palavras,

só por amor,  

dá-me um abraço, foda-se,

à porta do hospital,

talvez ela tenha uma doença grave, talvez seja só uma constipação, sabe-se lá,

à porta do hospital ela pede-lhe como se lhe ordenasse um abraço,

pode haver algo melhor do que a pessoa que amamos nos pedir como se nos ordenasse um abraço, mas eu não conheço,

ele olha-a nos olhos, sorri, aperta-a com força nos ombros,

nem uma palavra, o silêncio é obsceno quando se ama assim, não é?,

e o que se vê naquilo é apenas um homem que ama uma mulher, uma mulher que ama um homem, pessoas como as outras,

separar as pessoas pelas palavras que dizem é tão idiota, não achas?,

alguém que diz foda-se é menos que alguém que diz uma palavra cara,

que pobreza,

somos criaturas de uma língua só, mas de vários sotaques,

o sotaque pior é o do vazio,

um sotaque amargo, indigesto, ruidoso,

o sotaque daqueles que ocupam o espaço do que não conseguem ocupar em si com o espaço que querem desocupar nos outros,

chamam-lhe inveja, não é?,

e infelicidade também, certo?,

junto à entrada do hospital, este homem e esta mulher abraçados podem muito bem dizer as piores palavras do mundo mas amam-se como poetas,

dá-me um

abraço, foda-

se,

e podiam muito bem ser as duas pessoas que mais se amam no mundo,

podiam, podiam,

não fosse dar-se o caso de eu te amar como te amo,

e mais ainda de teres saído agora mesmo da consulta de onde esperava que viesses,

e está tudo bem contigo,

tão bom, foda-se,

nada a assinalar, os exames impecáveis, as radiografias impecáveis, estás livre dele,

dá-me um abraço, foda-se,

estás livre do bicho, livre da sombra,

tão bom,

fo

da

-

se.

Ombro: s.m. Espaço mais forte de qualquer corpo humano; é quando tudo o resto se cansa que mais o ombro que te ampara se fortalece. 

Mais notícias de O Tal Canal

A menina Clarinha e eu

A menina Clarinha e eu

Não sei quantas vezes tentei esquecer-te, talvez menos do que tu e mais do que o meu coração aguenta, a única que sinto é que, cada vez que a dou espaço à razão, o meu coração começa a encolher-se como um bolo sem fermento, a vida fica sem açúcar e os dias sem sabor.
SIC ataca (e bem) a TVI

SIC ataca (e bem) a TVI

O ‘Big Brother’ ganha ao ‘Agricultor’? Não faz mal: aposta-se em ‘Nazaré’. O ‘Somos Portugal’ é uma marca? Não faz mal: faz-se uma coisa igual. Na guerra vale tudo, e a estação de Queluz de Baixo não tem muito tempo…
Impossível baixar a guarda!

Impossível baixar a guarda!

Infelizmente basta ligar a televisão ou ler as manchetes dos principais jornais e meios de comunicação online para perceber que as festas ilegais continuam a acontecer de norte a sul do país; que os convívios multinucleares são cada vez mais encarados como autênticas festas de desconfinamento, que o sol, o calor e o mar estão a toldar os sentidos conduzindo-nos para o precipício.
Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Aos domingos, o ‘Big Brother’ parte sempre muito atrás de ‘Quem Quer Namorar com o Agricultor?’, mas tem conseguido vencer o rival, o que é notável. Tudo numa semana em que as escolas fecharam e a emoção tomou conta de todos.
Quem é do mar regressa sempre ao mar

Quem é do mar regressa sempre ao mar

Do Pedro prefiro guardar o seu sorriso tão doce e tão despojado. Prefiro lembrar o seu trabalho dedicado a cada personagem, o seu tom sempre elegante e de cavalheiro, o seu amor pelo mar. É lá que ele se sentia livre. E é lá que viverá para sempre.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;