Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Notícia

Papiro

Papiro: s.m. Primeiro meio de transporte de alta velocidade da história do mundo. Não é o que não está perto que faz doer; é o que não se sente perto.
16 de abril de 2018 às 07:00
...
Papiro

[as dez ideias em que o meu avô acredita]

1. Acredita ter encontrado, finalmente, o sentido da vida: o sentido proibido.

2. Acredita que tudo se perde quando se transforma.

3. Acredita que, se é certo que a juventude passa com a idade, também não é menos certo que a velhice se passa com a idade.

4. Acredita que o sonho é, de longe, a parte mais interessante da realidade.

5. Acredita que, se é verdade que estar sempre triste não é nada agradável, também não é menos verdade que estar sempre feliz é uma tristeza do caraças.

6. Acredita que a mentira não passa, na verdade, de uma verdade com bastante imaginação.

7. Acredita que a melhor resposta à tradicional questão "o que queres ser quando fores grande?" é, indiscutivelmente, "pequeno outra vez".

8. Acredita que o orgasmo é a Playstation dos adultos. E que é uma pena nem todos os joysticks serem compatíveis com ela.

9. Acredita que o génio é a mais fascinante das formas de beleza.

11. Acredita que é nos caminhos da perdição que, verdadeiramente, é capaz de se encontrar.

[os dez conselhos do meu avô]

1. Não se sinta tentado a ficar parado só porque encontrou um obstáculo. Lembre-se de que só chegou, um dia, junto ao obstáculo porque foi capaz de caminhar.

2. A vida é como uma passadeira. Cabe a si olhar em redor com atenção e perceber quando é o momento certo para avançar.

3. Acredite sempre, mesmo nos momentos mais difíceis, que é possível chegar onde tanto ambiciona. Lembre-se de que até as folhas caídas podem, puxadas pelo vento, chegar bem longe.

4. O poder de uma simples gota é, por mais que se possa pensar que não, imenso – ou não é uma lágrima uma das coisas mais poderosas do mundo?

6. O risco é como um espelho partido. É certo que, se resolver avançar para ele, pode conseguir consertá-lo. Mas também pode, se avançar para ele sem cautela, cortar-se gravemente.

7. Não procure moldar os outros à sua imagem. Há sempre o perigo de ser bem sucedido nesse seu intento. 

8. Procure, todos os dias, oferecer liberdade àqueles de quem mais gosta. Lembre-se de que a grande beleza da água que cai de uma fonte não é o facto de ser água; é o facto, isso sim, de jorrar livremente.

9. Se um dia, por cruel maldade, o obrigarem a rastejar, sorria e agradeça. Nem todos têm, como você está a ter, o privilégio de saborear, de tão perto, o cheiro puro e intenso da terra.

10. O verdadeiro herói não é aquele que luta contra ventos e marés para chegar ao seu destino. O verdadeiro herói é, esse sim, aquele que convence os ventos e as marés a ajudá-lo a chegar ao seu destino.

Papiro: s.m. O pai do papel, que é o mesmo que dizer o pai da escrita, que é o mesmo que dizer o pai do sonho, que é o mesmo que dizer o pai do amor, que é o mesmo que dizer o pai de tudo.

Mais notícias de Televisão Meu amor

Cristina esmaga a TVI

Cristina esmaga a TVI

Nova estrela da SIC foi ao 'Jornal da Noite'. A entrevista da nova rainha de Carnaxide derrotou Rita Pereira, no 'Jornal das 8', e facilitou uma estreia de sonho à nova novela da SIC. As manhãs serão suficientes para o furacão de audiências que aí vem?
Camisa Branca

Camisa Branca

A Beatriz chegou atrasada ao jantar lá em casa. Tínhamos marcado com uma semana de antecedência, miúdas às terças, a ver se depois do Verão conseguimos criar o hábito de nos juntarmos uma vez por semana.
Relógio

Relógio

Relógio: s.m. Objecto inventado para calar vazios; quem não tem o que olhar olha para o relógio.
Desilusão

Desilusão

Cristina Ferreira tem demonstrado ser suficientemente genuína para arregimentar milhares de seguidores, seja na televisão ou nas redes sociais, e não precisa de começar a dizer o que os outros querem ouvir apenas e só para parecer bem.
Dezassete anos depois

Dezassete anos depois

Foi a agonia e morte das Torres Gémeas, onde o psicodrama foi mais intenso, que ficou na memória de todos quantos assistiram ao desenrolar da barbárie. E, desde então, o mundo não voltou a ser igual.
O horror no Montijo

O horror no Montijo

A entrevista da homicida à CMTV, horas antes de ser presa, é um documento perturbador que entra para os compêndios da maldade na História da criminalidade nacional

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável