Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

Tancos, outra vez

O furto de armas em Tancos fez estragos na estrutura militar, levantou forte polémica, obrigou generais a explicarem-se, outros a demitirem-se, e a um ministro da Defesa, sem jeito para a função, justificar o injustificável.
22 de julho de 2018 às 13:07
...
Tancos, outra vez

Depois de um assalto inexplicável a um dos maiores paióis do País, foi com perplexidade que soubemos que o produto desse furto tinha sido devolvido integralmente. Os supostos ladrões até chegaram a ser simpáticos, devolvendo mais material do que aquele que tinham levado.

O furto de armas em Tancos fez estragos na estrutura militar, levantou forte polémica, obrigou generais a explicarem-se, outros a demitirem-se, e a um ministro da Defesa, sem jeito para a função, justificar o injustificável. As rotinas repetiram-se. A Assembleia da República interpelou, o ministro falou, o primeiro ministro, embora esquivo, teve de falar e o Presidente da República fez do assalto ao paiol de Tancos uma das suas bandeiras. Era preciso saber tudo, esclarecer tudo, investigar tudo para que não pairassem dúvidas sobre a transparência e rigor da actividade militar.

Cumpriram-se todos os rituais. Conformados com a recuperação do material, supostamente furtado, a perseguição aos ladrões ficou para segundo plano e parecia que tudo ia ficar num esquecimento conveniente.

De repente, um ano depois, eis que se vem a saber que, afinal, não foi recuperado todo o material desviado do paiol. Que andam por aí, armas e explosivos capazes de provocar crimes hediondos e que todos os responsáveis estavam enganados. Desde generais ao ministro, ninguém sabia ou pouco sabiam sobre este acréscimo de armas desaparecidas. Repetem-se os rituais. O mesmo filme de sempre que não vale a pena repetir. Os mesmos inquéritos, os mesmos relatórios, as mesmas interpelações e, até, as mesmas indignações.

Não se conhece o fim desta história. Porém, aquilo que se sabe, é suficiente para envergonhar o País e para avaliar da competência e eficácia de quem tutela este tão sensível dossier. A soberania do Estado é capaz de valer muito mais do que esta vulgaridade que nos vão impingindo.

Mais notícias de O Tal Canal

Teresa Guilherme em perigo

Teresa Guilherme em perigo

A apresentadora substitui Cláudio Ramos no ‘Big Brother’, após longa travessia no deserto, mas há cuidados a ter. Os inimigos estão aí
A menina Clarinha e eu

A menina Clarinha e eu

Não sei quantas vezes tentei esquecer-te, talvez menos do que tu e mais do que o meu coração aguenta, a única que sinto é que, cada vez que a dou espaço à razão, o meu coração começa a encolher-se como um bolo sem fermento, a vida fica sem açúcar e os dias sem sabor.
SIC ataca (e bem) a TVI

SIC ataca (e bem) a TVI

O ‘Big Brother’ ganha ao ‘Agricultor’? Não faz mal: aposta-se em ‘Nazaré’. O ‘Somos Portugal’ é uma marca? Não faz mal: faz-se uma coisa igual. Na guerra vale tudo, e a estação de Queluz de Baixo não tem muito tempo…
Impossível baixar a guarda!

Impossível baixar a guarda!

Infelizmente basta ligar a televisão ou ler as manchetes dos principais jornais e meios de comunicação online para perceber que as festas ilegais continuam a acontecer de norte a sul do país; que os convívios multinucleares são cada vez mais encarados como autênticas festas de desconfinamento, que o sol, o calor e o mar estão a toldar os sentidos conduzindo-nos para o precipício.
Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Os milagres na TVI… e alunos e professores em lágrimas

Aos domingos, o ‘Big Brother’ parte sempre muito atrás de ‘Quem Quer Namorar com o Agricultor?’, mas tem conseguido vencer o rival, o que é notável. Tudo numa semana em que as escolas fecharam e a emoção tomou conta de todos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;