Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores piquete de polícia

Notícia

Análise criminosa

Não sei se o tormento vivido por esta criança e por esta família, a humilhação do pai e do avô, o clima de dúvida e desconfiança gerado entre pessoas que se amam, estilhaçados por um erro de terceiros vale a condenação.
26 de março de 2017 às 07:00

A história conta-se em meia dúzia de palavras. Um miúdo necessitou de fazer uma análise à garganta. Os vestígios recolhidos foram colocados numa lâmina para exame laboratorial. O resultado desse exame não se conhece. Porém, soube-se que fora detetado um espermatozoide na boca da criança. Daí até à colocação de que o menino estava a ser vítima de abuso sexual foi um passo. A PJ a investigar o caso. O pai e o avô da criança suspeitos de abusarem do miúdo, exames de ADN aos dois,  uma família alvoroçada, notícias sobre notícias da criança abusada. Porém, a PJ não acertava naquela história. Qualquer coisa não estava certo. Aprofundou a investigação e o resultado foi um choque.

A lâmina utilizada pelo laboratório para fazer o exame fora mal lavada e, antes da análise á criança, fora usada para um exame de esperma de alguém estranho a este caso. Veio, agora, o Tribunal da Relação impor uma indemnização de 270 mil euros a pagar pelo referido laboratório à família da criança pelos danos causados.

Admito que não sei quantificar dor e sofrimento e fazer o câmbio para euros. Não sei se o tormento vivido por esta criança e por esta família, a humilhação do pai e do avô, o clima de dúvida e desconfiança gerado entre pessoas que se amam, estilhaçados por um erro de terceiros vale a condenação. A crer na sapiência dos juízes, estará certo.

Porém, aquilo que não está certo é este laboratório continuar de portas abertas. Como não é possível controlar a assepsia dos seus instrumentos de trabalho, não espantará que outras análises saiam trocadas, que alguém com gripe venha de lá com um cancro, alguém com uma infecção pulmonar, não saia com um tumor no estômago. Indemnizar a família, foi uma decisão justa. Permitir que este laboratório continue a trabalhar é inadmissível.

Mais notícias de Piquete de polícia

Adeus, 2019!

Adeus, 2019!

O ano que termina não trouxe grandes notícias.
Escola e violência

Escola e violência

Uma comunidade contaminada pela incapacidade do juízo crítico e fome de saber está condenada ao fracasso e a ser dominada pelos medíocres que se formaram em ‘chico-espertice’.
E se for crime?

E se for crime?

Nos últimos tempos multiplicaram-se movimentos anti-científicos, de índole salvífica. É neste contexto que deve ser compreendida a atitude de certos pais que recusam vacinar os seus filhos, deixando-os expostos a uma imensidão de riscos em que a morte espreita.
O hábito e o monge

O hábito e o monge

Em nome de uma fé cega, e sem vigilância crítica, é possível encontrar resquícios do Portugal antigo, medieval, sujeito à crença, dominado pela crueldade de um sacerdote. Foi assim há muito tempo. É assim hoje.
Meninos sossegados

Meninos sossegados

É vulgar encontrar pais que exaltam as virtudes dos seus filhos – o que não é de estranhar – com um conforto especial. A explicação é invariavelmente a seguinte: é muito sossegadinho. Não brinca na rua e passa o tempo fechado no quarto em frente ao computador.
Maddie. Quem não sabe, teoriza

Maddie. Quem não sabe, teoriza

E passados quinze anos e doze milhões de libras, continua sem se saber do paradeiro da pobre criatura. Mas há coisas que sabemos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;