Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

Cibersegurança

As redes sociais tornaram-se num pântano de mentiras e ‘fake news’ instrumentalizadas e manipuladas para interesse político, manipulação de opinião e, até, decisão de voto.
28 de outubro de 2018 às 07:00
...
Cibersegurança
Foto: Getty Images

Não se passa uma semana que não venha a público documentos furtados de computadores por experimentados ‘hackers’ que, desta forma, transformam em reais, crimes virtuais. Discretos mails transformados em escândalo público. Contas bancárias invadidas a eito. Até os mais complexos sistemas de segurança, no domínio militar, são expostos publicamente. As redes sociais tornaram-se num pântano de mentiras e ‘fake news’ instrumentalizadas e manipuladas para interesse político, manipulação de opinião e, até, decisão de voto. Quer a eleição de Bolsonaro, quer a eleição de Trump estão contaminadas por estas manobras que fazem cair mitos e conseguem construir novos heróis.

Estamos perante um desafio com grande futuro. A velocidade a que se actualizam e adicionam novas técnicas e conhecimentos no domínio da cibernética é de tal modo extraordinária que polícias e autoridades de segurança do Mundo inteiro não fazem outra coisa que não seja correr atrás do prejuízo. Estima-se que nos próximos cinco anos, haverá um incremento de cerda de três milhões de empregos a mais no domínio da cibersegurança. A base de recrutamento são os mais talentosos informáticos, os melhores peritos no domínio e introdução de valor no aperfeiçoamento da internet. Esta auto-estrada da Liberdade leva de tudo. Desde a possibilidade fascinante de acedermos ao conhecimento num instante, como nela circulam poderosas redes criminosas associadas ao tráfico de droga, armamento, branqueamento de capitais, tráfico de mulheres, redes imensas de pedófilos, tornando numa dor de cabeça para as autoridades de cada país.

O erro consiste na incapacidade em pensar a evolução digital de uma forma analógica. De não entender que os recursos necessários para combater, ou pelo menos reduzir danos, exige técnicos, especialistas, peritos cuja possibilidade de pensar e agir como os ‘hackers’  são uma nova geração de funcionários muito bem pago. O Estado não está preparado para isto. Ainda não percebeu o risco que pode transformar a Liberdade no mais terrível caos social e humano.

Mais notícias de Piquete de polícia

Adeus, 2019!

Adeus, 2019!

O ano que termina não trouxe grandes notícias.
Escola e violência

Escola e violência

Uma comunidade contaminada pela incapacidade do juízo crítico e fome de saber está condenada ao fracasso e a ser dominada pelos medíocres que se formaram em ‘chico-espertice’.
E se for crime?

E se for crime?

Nos últimos tempos multiplicaram-se movimentos anti-científicos, de índole salvífica. É neste contexto que deve ser compreendida a atitude de certos pais que recusam vacinar os seus filhos, deixando-os expostos a uma imensidão de riscos em que a morte espreita.
O hábito e o monge

O hábito e o monge

Em nome de uma fé cega, e sem vigilância crítica, é possível encontrar resquícios do Portugal antigo, medieval, sujeito à crença, dominado pela crueldade de um sacerdote. Foi assim há muito tempo. É assim hoje.
Meninos sossegados

Meninos sossegados

É vulgar encontrar pais que exaltam as virtudes dos seus filhos – o que não é de estranhar – com um conforto especial. A explicação é invariavelmente a seguinte: é muito sossegadinho. Não brinca na rua e passa o tempo fechado no quarto em frente ao computador.
Maddie. Quem não sabe, teoriza

Maddie. Quem não sabe, teoriza

E passados quinze anos e doze milhões de libras, continua sem se saber do paradeiro da pobre criatura. Mas há coisas que sabemos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;