Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Dezassete anos depois

Foi a agonia e morte das Torres Gémeas, onde o psicodrama foi mais intenso, que ficou na memória de todos quantos assistiram ao desenrolar da barbárie. E, desde então, o mundo não voltou a ser igual.

Violações

No Seixal, um indivíduo adulto, com quase quarenta anos, raptou e violou uma criança que brincava num parque infantil. Leia a crónica de Francisco Moita Flores.

Igreja e pedofilia

Um escândalo que se multiplica por vários países, sendo dos Estados Unidos que chegam às notícias mais alarmantes, tendo o cardeal McGarrrick apontado como um predador sexual compulsivo.

Há mar e mar

Basta o calor chegar com força e o desejo de temperaturas mais amenas leva às praias milhares de veraneantes. Alguns mais distraídos, outros mais imprudentes tratam as águas com negligência, não sabendo das armadilhas e traições que nelas se escondem.

Boas Férias

Por esta altura do ano, invariavelmente, regresso ao tema das férias.

Tancos, outra vez

O furto de armas em Tancos fez estragos na estrutura militar, levantou forte polémica, obrigou generais a explicarem-se, outros a demitirem-se, e a um ministro da Defesa, sem jeito para a função, justificar o injustificável.

Os sportingados

Este Mundial, disputado com o mesmo entusiasmo, coincide com a crise mais medonha que atravessa o clube que mais jogadores fornece à Seleção Nacional: o Sporting. A criatura insultou e agora pode limpar as mãos à consciência.

Sporting em cacos

Aquilo que se passa em Alvalade é, tão só, a micro-manifestação da construção de uma organização totalitária. Ficar-lhe indiferente, é abrir as portas a aventuras bem mais perigosas.

Sexo e Internet

A redes sociais alteraram radicalmente as relações sociais, sobretudo no domínio interpessoal, fazendo com que milhões de pessoas se cruzem, em chats ou em páginas de encontros.

Jogo de espelhos

Pablo Iglésias, o justicialista e populista de ontem, o defensor de uma moral pretensamente proletária, comprou agora um apartamento pelo mesmo preço que o Luis de Guindos comprara.

Esperando os incêndios

Começa a cheirar a verão e, com ele, os incêndios estão à porta. Entramos nesta época carregando os traumas e o horror das tragédias do ano passado.

Abril e o tempo

A revolução de abril surge, neste contexto, como uma memória gratificante. Dias de sonhos e de quimeras. De paixão por todas as utopias. De confiança emocionada e comovida. Demos passos extraordinários.

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável