Luísa Jeremias
Luísa Jeremias Planeta cor de rosa

Notícia

Já me tramaram com os sapatos!

Já viram os saltos desta nova estação? Parece que recuámos aos romances de Scott Fitzgerald, ao Grande Gatsby, e nos querem ver transformadas em Daisys… mas sem graça nenhuma...
21 de fevereiro de 2017 às 08:15

Vamos falar de uma coisa verdadeiramente importante: sapatos! Eu tenho um armário deles. E não é que sejam muito diferentes uns dos outros. Chego a comprar cores ou materiais diferentes do mesmo modelo. Porquê? Porque gosto, porque me sinto bem com eles. Sim, adoro saltos altos, adoro uma bela plataforma daquelas para sair à noite, linda de morrer. Um compensado que nos coloca nas alturas, estica a perna e dá uma elegância especial. Não gosto de stilletos. São ultra desconfortáveis.  E não, não alonga a perna, alonga sim a ponta do pé, o que nos dá um ar meio apalhaçado. Mas isso… são gostos.

E vem esta conversa a propósito de quê? Pois da Primavera que está à porta e traz péssimas notícias. Meninas: já viram os saltos desta nova estação? Já viram? E os modelos que são "obrigatórios"? Então preparem-se para ir ao armário da bisavó desencantar os sapatos que ela levava a passear ao jardim nos anos 20… do século passado. É verdade: parece que recuámos aos romances de Scott Fitzgerald, ao Grande Gatsby, e nos querem ver transformadas em Daisys… mas sem graça nenhuma. Senão vejamos. Micro-saltos agulha, mules (ou seja, socas, para andarmos a chinelar) com os mesmos saltos, saltos quadrados tipo baixo e, como se tudo isto não bastasse, ténis com lacinhos. Um filme de terror! Ah! Tudo isto em prateado! Ou seja, vamos entrar numa dimensão de pura ficção, que se pode descrever como The Great Gatsby meets Star Wars, para dar um toque futurista à coisa e como se não bastasse já os metalizados que na última estação (esta) invadiram o nosso closet (leia-se, armário).

Bom, não sei da parte que vos toca, mas eu recuso-me a transformar-me numa Miss Marple! Ou numa Mary Poppins! Não vou retirar centímetros aos meus saltos, nem andar a chinelar, nem recuperar sapatos da mãe, nem coisa nenhuma. Mulher que é mulher gosta de se sentir feminina. E uma coisa é usar uns Nike ou Adidas amarelos ao fim-de-semana, outra é ser o Chewbacca com lacinhos e atilhos nos pés. Porque isto é uma colecção para aliens! Quero, pois, acreditar que o bom senso impere e, lá pelo meio, se mantenham aqueles modelos imprescindíveis para a nossa auto-estima. Porque não estou a ver uma Paris Hilton ou uma Kim Kardashian a desfilar nas festas de Miami e Beverly Hills naquela figuras... Bom, ficamos assim: se elas usarem, eu uso. Senão, prefiro passar o verão todo de havaianas, numa barraca na praia até que a maré vire. Havaianas de salto, claro.

 

Mais notícias de No meu Sofá

Em equipa que ganha não se mexe

Em equipa que ganha não se mexe

Se a fórmula 'Quem Quer Namorar com o Agricultor' resultara num simples reality show, por que não dar seguimento no produto mais acarinhado: a novela? Foi o que a SIC fez.
Como aprender com os erros dos outros

Como aprender com os erros dos outros

Se conseguirmos transportar esta história real para Portugal, conseguiremos entender bastante do que se passa com a SIC e a TVI e como se deu a transferência de público do canal tradicional das novelas portuguesas para o "novato" que, de um dia para o outro, descobriu a bola de cristal
'Casados': a novela da vida real ganhou personagens

'Casados': a novela da vida real ganhou personagens

O formato, até ver, sofisticou! Como? Perdida a inocência da primeira série e volvidas duas temporadas de 'Quem Quer Namorar com o Agricultor' - o parente simplório deste novo formato de realities - os candidatos passaram a saber "ao que vão".
Pessoas que nos fazem felizes de forma simples

Pessoas que nos fazem felizes de forma simples

Foi a transformar a televisão numa festa que João Baião cresceu e ganhou popularidade. Porque rapidamente percebeu que TV é entretenimento no seu estado mais puro, é fazer rir e chorar, é esquecer dramas do quotidiano, é alienar.
Já ganhou!

Já ganhou!

Quem nos dera Ricardo Araújo Pereira num 'late night show' com este sentido de humor. A televisão generalista, cada vez mais "estupidificada", sairia a ganhar.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!