Margarida Rebelo Pinto
Margarida Rebelo Pinto Pessoas Como Nós

Notícia

Como esquecer

Se queres mesmo esquecer alguém, treina o dom de perdão. Perdia tudo, porque quem te amou nunca quererá o teu mal. Quem te amou saberá guardar o vosso amor numa caixa azul que ninguém sabe que existe e que é do vossa para sempre.
01 de junho de 2018 às 16:29
...
Como esquecer

Queres esquecer alguém?
Muda tudo o que puderes. Começa por mudar de perfume. Experimenta um novo, se nenhum te der conforto volta ao antigo, anterior ao teu amor perdido. Muda a disposição dos móveis, troca os quadros de lugar, compra almofadas novas. Muda a cor os lençóis e aprende a dormir do outro lado da cama. Se puderes, muda o lugar da cama, ou mesmo de quarto.
Faz novos amigos, experimenta aquelas aulas de dança que tens vontade, compra flores, muda a tua alimentação, descobre como são bons os corações de alcachofra e o sumo de arando.

Se queres esquecer uma pessoa, tens de ir mudando por dentro. Se não conseguires, muda por fora tudo o que puderes até conseguires mudar por dentro. Não leias mensagens antigas, são uma viagem perigosa a um lugar que já não existe. Não oiças as músicas que partilharam. Em vez disso descobre música novas. Liga a Radar para variar. Escolhe um guru que te aconselhe. Pode ser Deus, Alá, Rumi, o teu professor de ioga, o teu cão ou o teu gato. Pode ser um filósofo ou um poeta, um músico ou um idealista, o Mandela ou o Che, a Clarice Lispector ou o Chico Buarque, e aprende. Aprende tudo o que puderes com ele. Aprende a aceitar o que a vida te trouxe, a deixar cair os sonhos sem esfolar os joelhos, a chorar em silêncio.
Se precisares de chorar todos os dias, escolhe uma hora para o fazer. Entre a uma e as duas, por exemplo. Até as lágrimas secarem todas. Até sentires que o coração não poder sangrar mais.

Se queres mesmo esquecer alguém, treina o dom de perdão. Perdoa tudo, porque quem te amou nunca te quererá mal. Quem te amou irá guardar o vosso amor numa caixa azul que ninguém sabe que existe e que é do vossa para sempre. Perdoa as ausências, as omissões, perdoa as traições se as houve, as mentiras pequenas e grandes, mete tudo o que foi mau num saco de lixo, sela-o e esquece. Esquece o mau e guarda o bom, o o que foi mais belo, quando a pureza e o sonho embalavam a paixão.

Se puderes, apanha um avião para um lugar que não conheces. Palmilha uma cidade desconhecida, descobre igrejas e torres, restaurantes e recantos, bares e jardins. Mete conversa com desconhecidos e passeia sem rumo. Antes de adormeceres, toma um duche quente e medita ou reza. A fé também é uma companhia.
Não viajes só, vai com uma amiga, um amigo, uma prima ou sobrinha. Leva a mala vazia para encheres de presentes a tua casa e  aqueles que amas.

Se tens um jardim, planta margaridas e pawolias. As margaridas são as flores mais singelas as pawolias são tão belas como jacarandás mas crescem muito mais depressa.

Se queres esquecer alguém, muda tudo o que conseguires, até mudar o que ainda não consegues. Não precisas de apagar as mensagens e os contactos, mas muda o nome, grava outro, que não tenha a ver com o que aquela pessoa foi para ti. Usa apenas a inciais, serão a reflexo de tudo o que já acabou.

Lembra-te que antes de ti aquela pessoa já tinha uma vida e merece voltar a ter a vida que quer. Pensa que se o outro é feliz, tu também tens direito a ser. Pensa que se o outro é feliz, merece ser feliz. Pensa que nada nem ninguém está acima das nossas escolhas e que amar alguém é querer o bem para essa pessoa para lá do nosso bem.

Talvez o tempo não te ajude, talvez te troque as voltas e te faça sentir preso numa roda estéril, mas confia na vida. Confia que hoje será um bom dia e que amanhã será melhor. Pensa que em algum momento e em algum lugar aquele que tanto amaste, também pensa em ti, também tem saudades, também tem coração.

E deseja-lhe o melhor do mundo, pois aquilo que desejamos para os outros, desejamos antes de mais a nós mesmos.

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Modo avião

Modo avião

Não estou a brincar. No México os cães também contemplam o pôr do sol.
Zona de Conforto

Zona de Conforto

A memória é um computador caprichoso, guarda umas coisas e deita outras fora sem autorização prévia.
Meu Rio, meu amor

Meu Rio, meu amor

Todos temos direito a uma segunda vida, a minha é na Cidade Maravilhosa.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!