Margarida Rebelo Pinto
Margarida Rebelo Pinto Pessoas Como Nós

A lua no capacete

O mundo anda muito focado na conquista fácil e desfocado do essencial, e eu encolho os ombros a tanta futilidade.

As árvores andam malucas

Destaque: As férias no campo não são para todos. É para quem gosta do sossego, de apreciar um bom livro e ter uma coleção de cd’s de música clássica.

Sem Rodinhas

Ter filhos é aprender a viver com o coração fora do peito para sempre.

Ovos Rotos

No amor é muito mais fácil fazer tudo mal do que bem. Entram em jogo o egoísmo, a insegurança, o medo de perder o que está garantido. E o medo vence sempre.

A criada do Ditador

Dona Maria metia o dedo para fazer a vida do Senhor Doutor, como ela se referia a ele, mais confortável e agradável. Era um capacho feliz com a sua condição.

Demónios e dominós

Há mais vida, para lá do bem e do mal, dos sonhos e pesadelos, de quem escolhemos para a nossa vida e de quem se atravessa sem aviso.

Basta Querer

Verdade é o que se sente, por isso para a semana vou visitar a minha querida Tia Luísa que sempre me tratou como sua filha e levar-lhe uma caixa cheia de abraços e de beijos.

Dar a mão

Ao longo da vida aparecem poucos homens que fazem tudo por nós.

Todas as pontes

Na Birmânia monges e monjas não vivem fechados nos mosteiros. Fora dos horários de meditação, podem fazer o que lhes apetecer. Ele gostava de fazer amigos entre os turistas. Devia ter sido um homem bonito quando era novo.

Trapézios e Juízo

Destaque: Nunca fui de voar sem rede, fora de questão correr mais riscos do que aqueles que o juízo me permite

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável