'
Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Bombeiro, meu herói

Nunca os vi queixarem-se de nada, mesmo quando deixam mulheres, filhos e pais para trás, sem saber se regressam ao conforto do lar. Ali não há lugar ao cansaço, ao medo, à fome nem à sede.
24 de junho de 2017 às 08:00

De noite ou de dia. Com temperaturas dignas de um inferno. Num cenário devastador, entre chamas que tocam o céu, eucaliptos e pinheiros, fumo denso, fortes rajadas de vento, cinza e terra queimada. Dezenas e dezenas de carros destruídos. Dezenas e dezenas de casas queimadas.64 mortos e 157 feridos, alguns deles em estado grave. Famílias desfeitas, e em lágrimas. Um País inteiro solidário com esta tragédia em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria. Todas as televisões a acompanharem, em directo, as incidências. E eles, mais de mil, lá, de farda azul, vermelha ou amarela. A combater o fogo, corajosos e destemidos, homens e mulheres, apenas com uma arma nas mãos: uma mangueira.

Nunca os vi queixarem-se de nada, mesmo quando deixam mulheres, filhos e pais para trás, sem saber se regressam ao conforto do lar.Ali não há lugar ao cansaço, ao medo, à fome nem à sede. Andam ali por espírito de missão e de solidariedade. Para ajudar os outros, sem contrapartidas.Sem direito a lágrimas e com uma vontade férrea de dar tudo por um de nós. Sim, (ainda) não é hora de apurar responsabilidades, apesar de sabermos que são exigidas aos sucessivos governos, há anos, medidas de prevenção estrutural, de ordenamento florestal e de defesa da floresta contra incêndios. Apesar de sabermos também que tudo isto se deve à falta de um bom plano nacional de política agrícola e à desertificação do interior do País.

Não, não vou falar de Judite Sousa, directora-adjunta de Informação da TVI, arrasada nas redes sociais por ter feito uma reportagem com um cadáver ao lado, no chão, ela que podia ter decidido ficar no conforto da redacção, como fazem tantos ilustres da RTP, da SIC e da própria estação de Queluz de Baixo. Sim, estou a falar dos nossos bombeiros, de todos eles, homens, mulheres, velhos e novos, Soldados da Paz, sempre tão esquecidos e abandonados durante quase todo o ano. Muito obrigado a cada um de vocês, uns verdadeiros super-heróis… de carne e osso.

 * O autor desta crónica escreve de acordo com a antiga ortografia.

 

Mais notícias de O Tal Canal

As balas e a morte das estrelas da tarde

As balas e a morte das estrelas da tarde

Manuel Luís Goucha deu, em direto, 35 mil euros a um casal que perdeu tudo num incêndio. Júlia Pinheiro levou a estúdio o filho mais velho de Pedro Lima, João, para assumir que anda no psicólogo. A guerra está aí, num ano que ainda agora começou e já nos levou Carlos do Carmo.
Quem lhe põe travão?

Quem lhe põe travão?

"Não há ninguém em Queluz de Baixo que ponha travão a todas as ideias da patroa? ", pergunta Paulo Abreu.
"Qual ética, qual quê?"

"Qual ética, qual quê?"

Mais uma vez, não há responsáveis na TVI, ou na produtora, por comportamentos e ‘castings’ do piorio no ‘Big Brother’. Afinal, a ética não dá dinheiro, sucesso. E enquanto assim for, fecha-se os olhos, veste-se a pele de gente séria, chora-se em frente às câmaras, se for necessário, e aponta-se o dedo aos outros.
Eu gosto de ti… pai Tony

Eu gosto de ti… pai Tony

Da autoria de David Carreira e interpretada pelo próprio e pela irmã, Sara, ‘Gosto de Ti’ está na ‘playlist’ feita pela Isabel para ouvirmos no carro. A Leonor adora-a e canta-a do princípio ao fim, tal como a mãe. Resta-nos acreditar que os pais e os irmãos vão conseguir, um dia, voltar a sorrir.
Aí está ‘Bem Me Quer’!

Aí está ‘Bem Me Quer’!

Considerada como uma novela fraca, por alguns, a verdade é que a história de Kelly Bailey, José Condessa e Bárbara Branco, na TVI, está a crescer nas audiências. Como fim de ‘Nazaré’ e ‘Terra Brava’, na SIC, os números vão subir mais.
O futuro da TVI (também) passa pela união

O futuro da TVI (também) passa pela união

Cristina Ferreira anunciou uma série de novidades da estação para 2021 e acredita que é com elas que vai roubar a liderança das audiências à SIC. Para já, em Paço de Arcos não há uma reação. É natural, porque todos os cuidados são poucos… Afinal, um erro pode deitar tudo a perder.

Saber mais sobre

Mais Lidas

+ Lidas