Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Notícia

O amor é...

...aquilo que só é vergonhoso se não te fizer perder a vergonha.
03 de junho de 2019 às 17:01
...
O amor é...

[a explicação da turba]

Há manifestos para tudo. O que é manifestamente néscio.

Nenhum manifesto muda nada, nenhum manifesto altera o que quer que seja. É só um monte de palavras bonitas e fortes, que elevam a moral de quem as escreve, e nada mais. A opinião pública não vai em cantigas, muito menos em manifestos. Existe a ideia, disseminada pela comunicação social, de que as massas, o povinho, são ignorantes e não sabem escolher. É por isso, por haver essa ideia parva e burra, que acontecem as desgraças. As pessoas têm sempre razão, que se fixe isto de uma vez. As pessoas não são burras, acrescente-se, já agora, isto. Quem não o perceber de forma clara arrisca-se a não ser entendido, e, pior ainda, a viver numa bolha em que tudo parece correr a seu favor. Até que chega um choque de realidade. Respeitar a maioria é respeitar a Humanidade, só os intelectuais, com a sua soberba, com a sua superioridade autoinfligida, o procuram negar até ao último dos seus dias, quanto mais não seja por uma questão de sobrevivência. Querem manter o seu estatuto, a sua capacidade de, acham eles, influenciar decisões. Mas não influenciam a ponta de um corno. Há que falar a linguagem do povo, e entender a linguagem que o povo fala. É o povo que muda o mundo, não quem o lidera. Só os medíocres desvalorizam a sapiência da maioria, querendo, com isso, colocar-se em patamar de superioridade, como quem diz "coitados, não sabem o que fazem", "coitados, são tão incultos", "coitados, não usam palavras caras". As palavras caras que se fodam. Para mudar o mundo não é necessário grande investimento em palavras, apenas em compreensão. Compreender o mundo é respeitar quem o ocupa, e se isto não é a coisa mais simples de entender então sou eu quem já não entende nada. Regressando ao começo: nenhum manifesto muda nada.

[a explicação dos adultos]

As crianças adoram tramar os adultos, mas não tanto como os adultos adoram tramar-se uns aos outros.

[a explicação da celebração]

Celebra-se tudo, até a desgraça alheia.

Correcção: celebra-se tudo, sobretudo a desgraça alheia.

[a explicação da vergonha]

A vergonha é uma das mais poderosas molas para acontecimentos revolucionários. Foi por vergonha que muitas grandes mudanças ocorreram, e que muitas outras deixaram de ocorrer. A vergonha tem um lugar muito próprio na História.

Subir: v. Movimento que só significa ascensão quando não significa alienação; há tanto quem, para subir, se aliene do que é;  estar no topo pode ser o ponto mais baixo a que podes chegar.

Mais notícias de Dicionário do Amor

O amor é...

O amor é...

...aquilo que chega sempre a tempo mesmo que venha tarde.
O amor é...

O amor é...

...a única maneira de realmente teres algo na vida.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!