Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Notícia

Renitência

Renitência: s.f. Constructo psicológico próprio dos humanos; quem nunca tremeu nunca viveu.
09 de outubro de 2018 às 18:36
...
Renitência

Faz de conta que és meu durante dois segundos.

Ele fez.

Já lá vão trinta anos.

Vive-se cada vez mais do que não acontece, antes do que se julga ter acontecido. A realidade é, assim, uma espécie de concurso literário: as criações mais talentosas são as que ganham o prémio de serem vistas como efectivamente verdadeiras. A realidade é a ficção mais competente, digamos. E sintamos, já agora.

Ontem sonhei que eras meu até à morte.

Já lá vão trinta anos.

É certo que ainda não morreste, mas já é um começo.

A ligação entre duas pessoas acontece quase sempre por quase nada. Um olhar distraído, uma folha caída, uma coragem inesperada. A melhor maneira de preparar uma atracção é não a preparar de maneira nenhuma, deixar que seja o improviso a ensinar o beijo. Ligamo-nos ao outro por intermédio de um mecanismo estranho, uma tecnologia de ponta dominada na perfeição por muito poucos, habitualmente designada amor.  As novas tecnologias podem até dominar o mundo, mas é o amor que domina as pessoas. Agora decidam lá no que querem investir.

Foi a única vez que a minha mãe se atrasou.

Já lá vão vinte e seis anos.

Completo-os hoje.

O tempo é uma construção concretamente abstracta, passe a expressão. Somos controlados por algo que nos contabiliza o inútil: o trabalho, as refeições, os compromissos. O que sobra do tempo é o que vale a pena. Melhor: o que nos retira do tempo é o que vale a pena: um abraço, uma euforia, uma paixão. E, claro, um orgasmo. O tempo é o burocrata da vida, o chato de calculadora na mão sempre à espera de fiscalizar a diversão. Todos poderíamos, tínhamos poder para isso, mandar bugiar o tempo, agarrar os momentos sem peso na consciência. Mas não temos tempo.

Decidiram, por mais que fosse doloroso, separar-se.

Foram os dez minutos mais longos da vida deles.

Renitência: s.f. Momento em que não sabes se deves avançar se deves recuar se deves ficar quieto. O mesmo que vida.

 

Mais notícias de COMO F***DER UM CASAMENTO Manual Prático para Mulheres e para Homens

COMO F*DER UM CASAMENTO  18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

COMO F*DER UM CASAMENTO 18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

Saíste. E nem um beijo. Simplesmente foste. Tinhas certamente muito em que pensar, a empresa, as preocupações, as contas para pagar, os desafios que te esperam, mas foste sem um beijo. Deixaste um até logo distante, que quando foi falado já não estava aqui.
COMO F*DER UM CASAMENTO 14. CEDER À PREGUIÇA

COMO F*DER UM CASAMENTO 14. CEDER À PREGUIÇA

CARTA AO PREGUIÇOSO ARREPENDIDO: Meu grandessíssimo burro, como querias tu que a paixão resistisse, que a nossa vida, tal qual a sonhámos resistisse, se simplesmente te deixaste cair na preguiça? Como?
COMO F*DER UM CASAMENTO  15. SER RACIONAL.

COMO F*DER UM CASAMENTO 15. SER RACIONAL.

Eu sei: a culpa é minha. A culpa é minha e desta minha cabeça que não pára de pensar. Que não pára de questionar. Que não pára de querer entender tudo e mais alguma coisa.
COMO F***DER UM CASAMENTO  11. MAGOAR.

COMO F***DER UM CASAMENTO 11. MAGOAR.

Somos do tamanho do que impedimos em nós para magoar quem amamos. Em mim impeço tudo. Se sei que te pode magoar, paro. Se sei que te pode magoar, respiro, acalmo. E não faço.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;