Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

A culpa é da televisão

"A culpa é da televisão! Se não lhe dessem tempo de antena nada disto acontecia." Este desabafo – que tantas vezes ouvi desde que a Academia do Sporting foi invadida no dia 15 de maio – corre o risco, nos próximos tempos, de se tornar numa verdade absoluta.
28 de maio de 2018 às 19:25
...
A culpa é da televisão

Nas últimas semanas, as polémicas que atiraram o Sporting para a lama arrastaram também quase sempre Bruno de Carvalho. O presidente leonino, não obstante o buraco negro que todos os dias suga credibilidade ao clube, teima em estar na berlinda em todos os momentos.

Dos mais prementes, passando pelos mais polémicos, até aos mais frívolos, lá está Bruno de Carvalho a tomar conta da palavra por tempo indeterminado, isento de quaisquer responsabilidades e a apontar o dedo à imprensa.

"A culpa é da televisão! Se não lhe dessem tempo de antena nada disto acontecia." Este desabafo – que tantas vezes ouvi desde que a Academia do Sporting foi invadida no dia 15 de maio – corre o risco, nos próximos tempos, de se tornar numa verdade absoluta.

A televisão, como qualquer outro órgão de comunicação social, tem o dever de informar e não pode jamais sanear conferências de imprensa cujo interesse público é irrefutável; em momento algum pode contribuir para que as notícias deixem de chegar aos espetadores. Para memória futura deve ficar registado que a culpa da agitação, da angústia e da indefinição que se sente no Sporting não pode ser imputada à televisão ou a qualquer jornalista que se limita a fazer o seu trabalho.

Bruno de Carvalho, entre muitas outras tentativas para tentar mitigar a gravidade do autêntico episódio de terror vivido por jogadores e equipa técnica, afirmou que "o crime faz parte do dia a dia". Foi também ele que apontou o dedo à imprensa e qualificou a cobertura jornalística dos factos que têm marcado a atualidade do grande de Lisboa como "um ato criminoso e hediondo".

No dia em que a notícia, sem filtros, desprovida de condicionalismos deixar de fazer eco e chegar aos cidadãos, aí sim, a culpa será da televisão.

 

Mais notícias de POR DETRÁS DA CÂMARA

O poder da fé

O poder da fé

Na década de 90 Marco Paulo fintou o destino. A crença, a vontade de viver e servir uma autêntica legião de fãs agarraram-no à vida. Agora não será diferente.
Não pode valer tudo!

Não pode valer tudo!

Bastet e João Cabeleira são acusados de abandonar seis cães à fome. O alerta foi dado pelos vizinhos das figuras públicas e denunciado por Maya nas redes sociais. A ex-mulher do guitarrista dos Xutos e Pontapés aceitou explicar a situação, em direto, na CMTV mas desistiu no último segundo.
Meghan Markle: vítima ou vilã?

Meghan Markle: vítima ou vilã?

Não me parece justo, nem tão pouco equilibrado que se coloque todo o ónus da decisão de um casal apenas sobre Meghan Markle. E Harry? Afinal foi ele que nasceu com sangue azul e que tem desde o berço obrigações ancestrais para com coroa britânica.
Duas décadas de lealdade

Duas décadas de lealdade

Com Cristina Ferreira a cimentar a liderança nas manhãs, eis que acontece algo que merece aplausos. No dia 22 de novembro, ‘A Praça da Alegria’ foi o programa mais visto na televisão portuguesa, durante 20 minutos, ultrapassando o programa da SIC.
Calvário na televisão

Calvário na televisão

Embora legítima, não deixa de surpreender a opção de Ângelo Rodrigues em aceitar o convite da estação onde trabalha para expor o que já disse prezar acima de tudo: a vida privada.
Audiências: Share e Rating. O que é isso?

Audiências: Share e Rating. O que é isso?

Têm sido cada vez mais os espectadores atentos e interessados que me questionam sobre a diferença entre rating e share. A compreensão destas duas ferramentas é fundamental para melhor perceber o que está em jogo na guerra das audiências televisivas.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;