Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

Aprendiz de "feiticeiro"

O relógio marcava as 03h10, quando a CMTV colocou um ponto final na emissão especial dedicada ao inferno que voltou a deixar marcas profundas e as palavras de António Costa apenas serviram para aumentar ainda mais o meu sentimento de luto.
18 de outubro de 2017 às 07:00
...
Aprendiz de "feiticeiro"
Foto: LUSA

"Os portugueses são adultos e entendem que os governos não têm varinhas mágicas". A frase pertence ao Primeiro-Ministro António Costa e foi proferida ao mesmo tempo que o fogo, inclemente, matava e destruía casas e bens no pior dia de incêndios florestais em Portugal.

Esta era a última coisa que esperava ver e ouvir na régie. O relógio marcava as 03h10, quando a CMTV colocou um ponto final na emissão especial dedicada ao inferno que voltou a deixar marcas profundas e as palavras de António Costa apenas serviram para aumentar ainda mais o meu sentimento de luto pela morte de 41 pessoas (à hora de fecho desta crónica) e a angústia das 71 que ficaram feridas devido às chamas.

Defendo que o problema dos fogos não deva ser utilizado como arremesso político. Repudio todo e qualquer aproveitamento desta tragédia para fins eleitoralistas mas, ainda assim, não consigo ser indiferente à frieza do líder do partido socialista. António Costa teria com certeza outro discurso se, naquela noite, estivesse, ali, sentado ao meu lado.

As imagens que chegavam de Tondela, Penacova, Sertã, Gouveia, entre outras regiões, traziam consigo o choro, o pânico e a frustração de quem havia acabado de perder quase tudo. Àquela hora, a Protecção Civil confirmava a morte de 4 pessoas mas não foi preciso esperar pela confirmação para perceber que o número de vítimas iria aumentar. Em Tondela, o repórter José Luís Oliveira era obrigado a fugir do fogo e o relato do que os seus olhos iam observando foi impressionante.

O desígnio de todos aqueles que amam o seu País não aceitam a preleção de António Costa. Provavelmente, a esta hora, nem ele próprio se sentirá confortável com parte do que disse. Por outro lado, embora tenha sido por demais assertivo na forma como garantiu a réplica da tragédia, acredito que o chefe do governo tem intenções de inverter o filme de terror que nos persegue há décadas.

E não Sr. Primeiro-Ministro. Não é preciso nenhuma varinha mágica. Com a dose certa de coragem-num país onde o poder financeiro claramente ainda se sobrepõe ao político- e o investimento sério em reformas jurídicas e de prevenção, o fogo vai deixar de matar inocentes.       

 

 

Mais notícias de Por Detrás da Câmara

Parabéns CMTV!

Parabéns CMTV!

Sete anos depois a CMTV continua na linha da frente com as notícias que marcam a história do país e do mundo. O canal do 'Correio da Manhã' está mais próximo do que nunca dos portugueses na luta contra o Covid-19.
E agora, Ronaldo?

E agora, Ronaldo?

Cristiano Ronaldo vive talvez o maior drama desde que o pai faleceu em 2005. A mãe, confidente e melhor amiga continua internada no hospital depois de sofrer um AVC.
O poder da fé

O poder da fé

Na década de 90 Marco Paulo fintou o destino. A crença, a vontade de viver e servir uma autêntica legião de fãs agarraram-no à vida. Agora não será diferente.
Não pode valer tudo!

Não pode valer tudo!

Bastet e João Cabeleira são acusados de abandonar seis cães à fome. O alerta foi dado pelos vizinhos das figuras públicas e denunciado por Maya nas redes sociais. A ex-mulher do guitarrista dos Xutos e Pontapés aceitou explicar a situação, em direto, na CMTV mas desistiu no último segundo.
Meghan Markle: vítima ou vilã?

Meghan Markle: vítima ou vilã?

Não me parece justo, nem tão pouco equilibrado que se coloque todo o ónus da decisão de um casal apenas sobre Meghan Markle. E Harry? Afinal foi ele que nasceu com sangue azul e que tem desde o berço obrigações ancestrais para com coroa britânica.
Duas décadas de lealdade

Duas décadas de lealdade

Com Cristina Ferreira a cimentar a liderança nas manhãs, eis que acontece algo que merece aplausos. No dia 22 de novembro, ‘A Praça da Alegria’ foi o programa mais visto na televisão portuguesa, durante 20 minutos, ultrapassando o programa da SIC.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;