Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por Detrás da Câmara

Notícia

Bárbara, a guerreira

Entendo que a violência doméstica sofrida por Bárbara Guimarães é muito mais do que apenas um assunto da vida privada de uma figura pública. É um ato hediondo que deve ser denunciado, noticiado sem eufemismos ou pudores de qualquer espécie.
30 de janeiro de 2019 às 19:54
...
Bárbara, a guerreira

Escrevo estas linhas no dia em que o processo polémico que envolve Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho volta à barra do tribunal. O ex-ministro da cultura havia sido absolvido pela juíza Joana Ferrer, em dezembro de 2017, relativamente ao crime de violência doméstica mas o Ministério Público decidiu reabrir o processo conferindo alguma esperança à apresentadora sobre a possibilidade de acontecer um volte face numa história confrangedora que já se arrasta há cinco anos.

Entendo que a violência doméstica sofrida por Bárbara Guimarães é muito mais do que apenas um assunto da vida privada de uma figura pública. É um ato hediondo que deve ser denunciado, noticiado sem eufemismos ou pudores de qualquer espécie. 

Tapar os olhos, não escrever ou falar sobre o assunto é pactuar, mesmo que de forma indireta, com selvajaria no seu estado mais puro. O Correio da Manhã e a CMTV, ao contrário de outros órgãos de comunicação social, acompanham ao segundo este caso levando até aos telespectadores todas as novidades sobre o diferendo que continua a deixar marcas.

No dia em que o seu nome voltou a estar na berlinda (pelos piores motivos) Bárbara Guimarães, que luta contra um cancro na mama utilizou as redes sociais para assinalar o aniversário do filho, Dinis Maria, que completa, 15 anos. Na imagem partilhada, a apresentadora surge sem peruca e mostra-se visivelmente debilitada.

Afirma, a mulher que me habituei a fitar com respeito no pequeno ecrã, que "os últimos tempos têm sido difíceis". Nunca ninguém, para além dela, conseguirá perceber o sofrimento e a pressão de ver a vida privada exposta na praça pública sem filtros de qualquer espécie. Enquanto houver vida haverá esperança para pessoas como Bárbara, a guerreira.

Mais notícias de Por detrás da Câmara

Sic: Levanta-se e ri…

Sic: Levanta-se e ri…

É sempre fácil aplaudir ou acarinhar um projeto, seja ele qual for, depois de o mesmo ter sucesso. Difícil é ter a coragem, tal como Daniel Oliveira, em apostar num programa que foi fechado a sete chaves no baú das memórias da estação de Paço de Arcos.
Não à violência

Não à violência

Alexandra Lencastre não é mais vítima pelo facto de ser famosa, mas o seu testemunho, bem como a ligação assumida à luta contra a violência, são poderosas armas de arremesso para ajudar a erradicar um verdadeiro problema.
Mentir não compensa

Mentir não compensa

Luciana Abreu é a primeira a assegurar que não suporta rumores e maledicências sobre si. Mas ao omitir aquilo que é impossível esconder compra guerras cujas consequências são difíceis de medir.
Tinder na TV

Tinder na TV

O voyeurismo é uma característica endémica dos portugueses. Ninguém o reconhece à boca cheia, mas espreitar pelo buraco da fechadura já há muito que se transformou num maneirismo, numa espécie de escape para uma sociedade que vive acelerada e rendida ao imediatismo dos reality shows.
'Alguém Perdeu'

'Alguém Perdeu'

A história escrita pelo argumentista António Barreira já começou a ganhar vida e promete surpreender na forma e no conteúdo. O arranque oficial das gravações da trama que vai apaixonar os portugueses aconteceu há poucos dias e não podia ter melhor combustível do que o entusiasmo do elenco.
Bárbara, a guerreira

Bárbara, a guerreira

Entendo que a violência doméstica sofrida por Bárbara Guimarães é muito mais do que apenas um assunto da vida privada de uma figura pública. É um ato hediondo que deve ser denunciado, noticiado sem eufemismos ou pudores de qualquer espécie.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!