Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

Crime público

A violência doméstica sofrida por Bárbara Guimarães é muito mais do que um assunto da vida privada de uma figura pública. É um ato hediondo que deve ser denunciado, noticiado sem eufemismos ou pudores de qualquer espécie.
03 de novembro de 2017 às 21:05
...
Crime público

O desfecho do primeiro processo movido contra Manuel Maria Carrilho por violência doméstica- no qual apenas foram julgados acontecimentos posteriores ao divórcio-acabou por ter o desfecho que há muito presumia.

O ex-ministro da cultura foi condenado a quatro anos e meio de prisão, com pena suspensa. Muito pouco, na minha singela opinião, para quem sempre disse que nunca agrediu a ex-mulher; para quem expôs na imprensa detalhes da vida privada de Bárbara Guimarães e demonstrou total indiferença pela integridade física e psicológica dos filhos.

Resta saber qual será o veredicto da justiça em relação a um segundo processo que está a decorrer e que diz respeito a factos ocorridos durante o casamento. Acompanhei de perto todo este caso e congratulo-me com o facto de a CMTV e o Correio da Manhã, ao contrário de outros órgãos de comunicação social, nunca terem virado a cara a um crime público.

A violência doméstica sofrida por Bárbara Guimarães é muito mais do que apenas um assunto da vida privada de uma figura pública. É um ato hediondo que deve ser denunciado, noticiado sem eufemismos ou pudores de qualquer espécie. Tapar os olhos, não escrever ou falar sobre o assunto é pactuar, mesmo que de forma indireta, com selvajaria no seu estado mais puro.

Ao longo de 3 anos, ouvi, incrédulo, colegas de profissão a afirmar que este tipo de notícias não cabem em jornais ou televisões de referência. Então para que servem esses mesmos jornais e televisões de referência, que estiveram "mudos" desde o final de 2013 até agora? É impossível entender, quanto mais perdoar, um homem que utiliza a força para subjugar e diminuir uma mulher. É impensável ficar em silêncio perante um crime.

Mais notícias de Por detrás da câmara

Desilusão

Desilusão

Cristina Ferreira tem demonstrado ser suficientemente genuína para arregimentar milhares de seguidores, seja na televisão ou nas redes sociais, e não precisa de começar a dizer o que os outros querem ouvir apenas e só para parecer bem.
Escultores da TV

Escultores da TV

O talento inato de Cristina Ferreira não pode ofuscar, nem tão pouco fazer esquecer o trabalho e o empenho de quem a “esculpiu”. Em televisão, como em qualquer outra profissão, ninguém cresce sozinho.
Desafios perigosos

Desafios perigosos

Abdicar da maturidade de Júlia Pinheiro nas manhãs da SIC, ao que tudo indica, pela irreverência de João Baião, não me parece que irá beliscar, quanto mais ferir de morte a concorrência.
Ma(donna) disto tudo

Ma(donna) disto tudo

Como é possível não conseguir vislumbrar que a presença de uma figura pública como Madonna, no nosso País, é benéfica? Afinal o que é mais provinciano? Ceder privilégios a uma figura pública com este perfil, ou permitir que a “nossa” "pequenez" se arvore e a amesquinhe.
Orgulhosamente só

Orgulhosamente só

O presidente que durante tanto tempo arrastou multidões, que de forma hábil conseguiu urdir um plano para (pelo menos) fazer frente às estratégias de Benfica e FC Porto, está cada vez mais só.
Salvador sem salvação

Salvador sem salvação

Não tenho esperança em testemunhar a redenção de Salvador Sobral. Ele segue acelerado garantindo que a cocaína o ajuda muito a pisar os palcos e a fazer cumprir o desejo de quem acompanha a sua carreira. Normalmente não desisto das pessoas, mas considero que o "rei" português da Eurovisão já não tem salvação.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável