Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por Detrás da Câmara

Notícia

Liberdade. Sempre!

"Amordaçar" a imprensa é um ato hediondo que deve ser reprovado e denunciado por todos aqueles que fazem do jornalismo a sua profissão.
03 de novembro de 2018 às 19:11
...
Liberdade. Sempre!

Foi com apreensão que adormeci há uma semana depois de Jair Bolsonaro ter vencido as eleições presidenciais no Brasil. Por norma, registo num moleskine preto, estados de espírito sobre factos que de alguma forma me inquietam.

A 28 de outubro escrevi: "Ninguém me disse, mas esta noite vou sonhar sofrendo com o Rio sem o Corcovado e com as ruas sem o retumbar dos batuques do samba... resta-me esperar pelo despertar para voltar a sentir o calor de uma terra que foi esculpida por Deus."

Parte da minha angústia – mais até do que as ameaças insanas extremistas de Bolsonaro sobre os homossexuais e a raça negra – devia-se à conversa mantida com dois jornalistas da 'Folha de São Paulo', poucos dias antes da realização da segunda volta das eleições.

"A 'Folha de São Paulo' está em risco de fechar porque escreve aquilo que o Jair Bolsonaro não quer", partilhavam comigo, dando exemplos claros de uma perseguição que atenta contra os princípios básicos da liberdade de imprensa e de um país que se diz democrático.

"Amordaçar" a imprensa é um ato hediondo que deve ser reprovado e denunciado por todos aqueles que fazem do jornalismo a sua profissão. 

Depois de assistir à entrevista feita pelo pivot da Globo, William Bonner, a Bolsonaro percebi que ainda existem profissionais que colocam, acima dos órgãos de comunicação social que representam, a liberdade de imprensa.

Sem pedir licença a ninguém, Bonner questionou o presidente brasileiro sobre a intenção clara de acabar com a 'Folha de São Paulo' e ainda defendeu o título reafirmando a importância acumulada no âmbito da democracia brasileira. 

A atitude de Wllliam Bonner, em relação à concorrência, que tantas vezes criticou o espaço informativo que edita, fez renascer a esperança de que um dia isso seja possível em Portugal. Existir uma classe que se defenda em nome de um valor insubstituível: a liberdade.

Mais notícias de Por detrás da câmara

Maria, a mal-amada

Maria, a mal-amada

“Ela é muito calada”, ou “não tem a mesma energia da Cristina Ferreira” e ainda “para apresentadora é pouco empática”, têm sido algumas das farpas lançadas a um rosto que está no ar, na TVI, desde o dia 2 de janeiro de 2019.
Água na fervura

Água na fervura

Alerto para o facto de que a guerra pelas manhãs ainda agora começou. E quando falamos de uma maratona está a parecer-me excessiva a forma como se exalta o feito de Cristina Ferreira ao mesmo tempo que já se fez o funeral a Manuel Luís Goucha e a Maria Cerqueira Gomes.
CMTV encanta brasileiros

CMTV encanta brasileiros

Bruna Marquezine garante ter ficado marcada pela “receção e energia do povo português”. Da nossa parte, tão cedo não vamos esquecer a sua visita. É por existirem mulheres como ela que a vida pode mesmo ser cor-de-rosa. Aqui e nos antípodas.
Perdeu o futebol

Perdeu o futebol

É tempo de acabar com o “chico-espertismo” que intoxica e compromete a paixão pelo futebol. A liderança despótica de Bruno de Carvalho e respectivas consequências negativas não afetam apenas o Sporting. Com ele perdeu o futebol.
Liberdade. Sempre!

Liberdade. Sempre!

"Amordaçar" a imprensa é um ato hediondo que deve ser reprovado e denunciado por todos aqueles que fazem do jornalismo a sua profissão.
Pimenta na língua

Pimenta na língua

O comentário, que Paulo Dentinho continua a garantir não ser um juízo de valor, uma referência direta ao verão louco de CR7 em 2009, fragilizou o homem forte da informação da RTP e conseguiu afastá-lo da direção, algo que as investidas do ex-colega Carlos Daniel não conseguiram sequer beliscar.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!