Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt POR DETRÁS DA CÂMARA

Notícia

Meghan Markle: vítima ou vilã?

Não me parece justo, nem tão pouco equilibrado que se coloque todo o ónus da decisão de um casal apenas sobre Meghan Markle. E Harry? Afinal foi ele que nasceu com sangue azul e que tem desde o berço obrigações ancestrais para com coroa britânica.
14 de janeiro de 2020 às 16:58
...
Meghan Markle: vítima ou vilã?

A decisão de Meghan Markle e Harry em passar a viver longe da família real acicatou a curiosidade dos media em relação a um casal que luta desde o primeiro dia pela felicidade. Assim que comunicaram ao mundo a intenção de descolar o mais possível dos protocolos da monarquia começaram desde logo a surgir as mais diversas teorias da conspiração.

Os fãs da monarquia britânica e principalmente os haters da antiga atriz mobilizam-se desde então numa cruzada implacável contra a mulher de Harry. Para os tablóides britânicos ela, que ainda nem sequer se manifestou, para além do que escreveu a quatro mãos com o filho mais novo de Diana em comunicado, já ganhou o epiteto de vilã, de traidora. O famoso jornalista inglês Piers Morgan é o rosto do ódio que se destila em Inglaterra. Em entrevista ao 'Daily Mail', não poupou nas críticas e arrasou por completo os duques de Sussex, principalmente Meghan, acusando-os de se "vitimizarem" e de serem "egoístas e chorões." Em Portugal, imagine-se, até já lhe chamaram "rata velha" em direto num canal de televisão.

Não me parece justo, nem tão pouco equilibrado que se coloque todo o ónus da decisão de um casal apenas sobre Meghan Markle. E Harry? Afinal foi ele que nasceu com sangue azul e que tem desde o berço obrigações ancestrais para com coroa britânica. Sinto que de um modo geral está a ganhar a teoria simplista de que a Meghan lhe fez a cabeça, que urdiu um plano pérfido para o afastar do núcleo familiar sem com isso perder estatuto e popularidade.

O quotidiano da família real britânica está longe de ser um conto de fadas e Harry conseguiu perceber isso de forma mais crua assim que ganhou mundo ao lado da mãe do filho. As polémicas começaram muito antes de surgir Meghan Markle e vão continuar a aparecer muito depois da sua existência. Muito se tem falado sobre o que a americana ganhou com o casamento. E o que perdeu? Não entra na equação? Deixou de representar, apagou redes sociais, deixou de se vestir como queria, foi alvo de vários ataques racistas, viu o passado escalpelizado pela imprensa.

Harry, atento a tudo isto, interveio e clamou por respeito. Mas de nada valeram as suas palavras. Depois de serem publicamente apoiados por Isabel II, os duques de Sussex estão ainda longe de perceber o que lhes reserva o futuro. Já Meghan terá de se habituar a viver com a fama de ter destruído a harmonia da família real britânica. Afinal, ela é vítima ou vilã?

Mais notícias de POR DETRÁS DA CÂMARA

O poder da fé

O poder da fé

Na década de 90 Marco Paulo fintou o destino. A crença, a vontade de viver e servir uma autêntica legião de fãs agarraram-no à vida. Agora não será diferente.
Não pode valer tudo!

Não pode valer tudo!

Bastet e João Cabeleira são acusados de abandonar seis cães à fome. O alerta foi dado pelos vizinhos das figuras públicas e denunciado por Maya nas redes sociais. A ex-mulher do guitarrista dos Xutos e Pontapés aceitou explicar a situação, em direto, na CMTV mas desistiu no último segundo.
Meghan Markle: vítima ou vilã?

Meghan Markle: vítima ou vilã?

Não me parece justo, nem tão pouco equilibrado que se coloque todo o ónus da decisão de um casal apenas sobre Meghan Markle. E Harry? Afinal foi ele que nasceu com sangue azul e que tem desde o berço obrigações ancestrais para com coroa britânica.
Duas décadas de lealdade

Duas décadas de lealdade

Com Cristina Ferreira a cimentar a liderança nas manhãs, eis que acontece algo que merece aplausos. No dia 22 de novembro, ‘A Praça da Alegria’ foi o programa mais visto na televisão portuguesa, durante 20 minutos, ultrapassando o programa da SIC.
Calvário na televisão

Calvário na televisão

Embora legítima, não deixa de surpreender a opção de Ângelo Rodrigues em aceitar o convite da estação onde trabalha para expor o que já disse prezar acima de tudo: a vida privada.
Audiências: Share e Rating. O que é isso?

Audiências: Share e Rating. O que é isso?

Têm sido cada vez mais os espectadores atentos e interessados que me questionam sobre a diferença entre rating e share. A compreensão destas duas ferramentas é fundamental para melhor perceber o que está em jogo na guerra das audiências televisivas.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
;