Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

Sair de cena

Comparo Teresa Guilherme às estrelas de futebol que não conseguem assumir que chegou o momento de arrumar as chuteiras e passar a abraçar outra profissão ou atividade. A margem de manobra de Teresa Guilherme, na TVI, foi-se perdendo com o tempo.
30 de novembro de 2017 às 22:20
...
Sair de cena
Foto: LIliana Pereira

Decidi esperar alguns dias até que a notícia maturasse e sobre ela se fizessem todo o tipo de análises e leituras. Teresa Guilherme já não será o rosto do novo 'reality show' da TVI que arranca no início do próximo ano. "A culpa é de Cristina Ferreira", diz-se à boca pequena nos bastidores da televisão, a começar pelos corredores da estação de Queluz de Baixo. 

A rivalidade antiga, que confirmo, mas que não interessa agora desfiar, está muito longe de ser a única causa, ou até mesmo a mais determinante, para o afastamento de Teresa Guilherme. Não obstante o respeito e a admiração pelo caminho que trilhou na caixinha mágica, entendo que a apresentadora, produtora e atriz está a ser vítima de si própria.

Comparo Teresa Guilherme às estrelas de futebol que não conseguem assumir que chegou o momento de arrumar as chuteiras e passar a abraçar outra profissão ou atividade. A margem de manobra de Teresa Guilherme, na TVI, foi-se perdendo com o tempo e acabou por se tornar ainda mais exígua graças à confrangedora audiência alcançada pelo programa ‘Biggest Deal’, o culminar de uma série de maus resultados.

Saber sair de cena é algo que se impõe a qualquer um. Teresa Guilherme não estaria hoje a ser banida de um modo tão cru, caso tivesse optado por trocar as câmaras pelo trabalho de bastidores; não estaria a ser acossada por ser o rosto do insucesso; não estaria preocupada com o que agora se poderá escrever sobre o seu desempenho; não saberia pela imprensa que o seu nome já não contava para nada. Faltou a Teresa Guilherme perceber que a luz da fama não alumia para sempre.

Tal como escreve o pensador Rafael Pavani: "O mais importante do espetáculo da vida é saber a hora de sair de cena"

Mais notícias de POR DETRÁS DA CÂMARA

Golo 700 com sabor amargo

Golo 700 com sabor amargo

Que me perdoe Ronaldo mas hoje, terça-feira, dia 15 de outubro, quem está de parabéns é mesmo Vítor Baía. A eterna lenda das balizas faz 50 anos. O ex-guarda-redes do FC Porto chega ao meio século como sendo o jogador com mais títulos na história do futebol português.
Goucha na Segunda Liga?

Goucha na Segunda Liga?

Quem deseja construir uma televisão familiar não pode empurrar Manuel Luís Goucha para fora das manhãs sem apresentar uma solução à altura.
Sem prazo de validade

Sem prazo de validade

No Casino do Estoril tive a oportunidade de tirar o pulso a uma mulher, a quem a vida já pregou algumas partidas, mas que ainda assim continua a sonhar. Tanto a nível pessoal como profissional. O carisma e a alegria de Fernanda Serrano ajudaram a iluminar a noite de gala do canal do Correio da Manhã.
Xeque-mate

Xeque-mate

Os pergaminhos de Ricardo Araújo Pereira dispensam qualquer tipo de encómio. O talento e a genialidade comumente reconhecidos aliados aos rasgos únicos de espontaneidade fazem dele um trunfo que qualquer canal de televisão gostaria de ter.
Orgulho em ser português!

Orgulho em ser português!

Venho, desde há uns tempos a esta parte a olhar com outros olhos para o cinema português. É gritante a evolução e a maturidade adquirida nos últimos anos. Realização, produção e elencos fortes começam a fazer acreditar que um dia a voz da sétima arte lusitana vai fazer-se ouvir com estrondo além-fronteiras.
Vira o disco e toca o mesmo

Vira o disco e toca o mesmo

Os tempos continuam a ser difíceis para a estação de Queluz de Baixo. Do primeiro mês de liderança de Filipa Garnel, ainda com margem de manobra para explanar as suas ideias, fica a certeza de que a RTP passou a ser uma ameaça e o fosso para a SIC torna-se cada vez maior.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!