A política brasileira que enfrentava o sistema e foi assassinada

Homens armados cercaram o carro onde seguia Marielle Franco, a sua assessora e o motorista na noite desta quarta-feira e dispararam 9 tiros, 4 atingiram a cabeça da vereadora

A vereadora da câmara do Rio de Janeiro apresentava-se como mulher negra, lésbica e favelada (foi criada na Maré) e não continha os comentários na hora de denunciar desigualdades

Foi a quinta vereadora mais votada no Rio de Janeiro nas eleições de 2016

Socióloga, apresentou como tese de mestrado em Administração Pública o tema “UPP: a redução da favela a três letras”, em que denunciava a atuação da polícia militar no Rio de Janeiro

O seu último Twitter, na terça-feira, tem comovido o mundo. Marielle Franco fazia mais uma crítica: "Mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da PM [Polícia Militar]. Matheus Melo estava saindo da igreja. Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?"

Notícia