As 10 respostas mais estranhas do nosso corpo

O nosso corpo tem reações muito curiosas. Nós explicamos porquê

BOCEJAR - Há lá coisa mais contagiosa que o bocejo! Só de olharmos para alguém que esteja a bocejar, ficamos logo cm vontade de o fazer também. Um estudo recente explica que o corpo boceja para refrescar o cérebro. Bocejar faz-nos inspirar ar frio e aumenta a circulação do oxigénio no cérebro, removendo o excesso de calor. É sabido que o nosso cérebro aquece durante situações de stress e antes de exercícios, bem como quando estamos cansados ou entediados. Neste último caso, o bocejo melhora a oxigenação do cérebro, tornando-o mais alerta. E por que é contagioso? Isso, os cientistas ainda não descobriram

ESPIRRAR - O espirro serve para que os vírus e as bactérias sejam expelidos do organismo, pois podem causar reações alérgicas ou até mesmo doenças mais perigosas

ESPREGUIÇAR - O gesto de espreguiçar serve como uma forma de preparação do dia a dia, ou seja, para ativar os músculos com a existência de alongamentos, o que consequentemente vai ajudar à circulação sanguínea

DEDOS ENRUGADOS - De certeza que já reparou que os dedos das mãos e dos pés ficam todos enrugados após longos banhos, seja no mar ou em casa. Isto acontece porque o corpo acredita que nos encontramos num ambiente escorregadio e enruga as mãos de forma a que seja mais fácil segurar em superfícies lisas. Acredita-se que isto tenha ajudado os nossos ancestrais a melhorar o uso de ferramentas em ambientes aquáticos. Tais habilidades aprimoradas aumentaram sua perspectiva de sobrevivência, levando o gene que causa dedos enrugados a difundir-se pela espécie humana

PELE DE GALINHA - Aquele arrepio intenso na espinha acontece por algumas razões. Uma delas é nos momentos de stress, quando nos sentimos em perigo, por exemplo. Isso afeta o hipotálamo, a parte do cérebro que controla algumas funções do sistema nervoso. Ele que libera grandes quantidades de adrenalina para ajudar o corpo a preparar-se para reagir a certa situação. Isso faz com que os músculos se contraiam e os pêlos do corpo se arrepiem. A mesma reação que acontece quando sentimos emoções intensas, como o amor, a felicidade ou o choque. A música também é capaz de produzir arrepios na espinha, pois induz a fortes emoções nos seres humanos, fazendo com que o cérebro liberte adrenalina

LÁGRIMAS - Para além de lubrificarem os olhos, são também uma forma de defesa emocional

VIBRAÇÃO FANTASMA - De certeza que já teve aquela sensação de sentir o telefone a vibrar, dentro do bolso ou mala, e quando vai olhar percebe que ele não tocou nem recebeu mensagens. A isso chama-se síndrome de vibração fantasma. Isto acontece porque o cérebro interpreta erroneamente outras informações sensoriais (tais como um pequeno movimento em roupas, por exemplo) como vibração

SOLUÇOS - Cientistas acreditam que os soluços evoluíram como um mecanismo para ajudar os bebés a expelir o ar do estômago, permitindo-lhes arrotar e, efetivamente, sugar o leite. Esta teoria é corroborada pelo fato de que, somente, os mamíferos soluçam

CÓCEGAS - A investigadora Christine Harris afirma que pode ser uma maneira de nos ensinar habilidades de combate e táticas de sobrevivência. Ela ressalta que cócegas são frequentemente provocadas por membros da família, fazendo com que o alvo delas se contorça e tente "escapar" da sensação rapidamente. Ele aprende, desta maneira, a evitar e a fugir de um atacante sem causar danos físicos ou psicológicos a ninguém

NÓ NA GARGANTA - Todos nós já sentimos este nó na garganta quando ficamos tristes ou prestes a chorar. A sensação de nó na garganta é consequência da resposta de luta ou fuga nos seres humanos, que é induzida quando uma pessoa é colocada em perigo ou sob um stress intenso. Nestas situações emocionais, o corpo bombeia o sangue e oxigénio para o cérebro e músculos para permitir que ele reaja mais rapidamente. Isso tem o efeito adicional de fazer com que o coração bombeie com mais força e a respiração se torne mais intensa. Para facilitar este processo, as cordas vocais, na região conhecida como a "glote," expandem-se para permitir que mais ar passe através da garganta. No entanto, quando uma pessoa tenta engolir, a glote precisa fechar. Os músculos ai trabalham uns contra os outros, criando a sensação de protuberância que nos acompanha em momentos tensos

Notícia

;