Corpo da criança terá sido congelado

A imagem de Maddie, aquando do seu desaparecimento, no dia 3 de maio de 2007.

A roupa que a criança teria vestida na altura do alegado rapto e que terá sido trocada por outra.

Gonçalo Amaral, antigo inspetor da PJ, acabou por ser afastado do caso. Não acredita na inocência dos pais e avança que o corpo da criança terá sido congelado e assim largado fluídos, ao descongelar, no carro alegado pelos McCann meses mais tarde.

A reconstituição do que terá acontecido no automóvel alugado pelos pais de Maddie, ao regressarem a Portugal, meses após o suposto rapto.

Os McCann junto à viatura onde foram encontrados os vestígios de sangue e odor a cadáver, pelos inspetores da polícia inglesa.

O casal continua a afirmar que a filha desapareceu. Gonçalo Amaral não acredita na inocência dos pais da menina.

Um dos cães ingleses a vistoriar o automóvel onde encontrou odor de cadáver e fluídos corporais.

O quarto onde Maddie e os irmãos dormiam. Na janela, pó vermelho que serve para descobrir vestígios úteis para a investigação policial.

Kate e Gerry McCann mostram a fotografia da filha e continuam a apelar a informações sobre o paradeiro da filha.

Gonçalo Amaral no resort Ocean Club, junto ao apartamento onde os McCann se instalaram e de onde desapareceu Maddie.

A cama onde a menina estaria a dormir, enquanto os pais jantavam no restaurante do aldeamento, na praia da Luz, Algarve.

O cão pisteiro no quarto que era ocupado pelos pais da criança e onde também farejou odor a cadáver.

O antigo inspetor da PJ, autor do livro "A Verdade da Mentira" foi processado pelos McCann mas acabou por ser absolvido, já em terceira, instância, no Supremo Tribunal de Justiça.

Uma vista geral da praia da Luz, onde Maddie foi vista, com vida, pela última vez.

Notícia

;