'

Notícia

THE MAG - The weekly magazine by Flash!

Aperta-se o cerco em torno da diretora da TVI! "Lobo" José Eduardo Moniz faz xeque à rainha Cristina Ferreira

A maior estrela da estação da TVI já admitiu que os últimos dois anos têm sido difíceis de gerir. Com os resultados a ficarem muito aquém das [altas] expectativas que criou dentro e fora da estação, a diretora de Entretenimento e Ficção tem sido atacada de muitos lados. Não lidando bem com as críticas nem com quem lhe possa fazer frente, a "menina da Malveira" começa a delinear uma estratégia que pode não passar pela televisão, mas que lhe continuará a encher os bolsos e a dar-lhe a tão ambicionada visibilidade. Não dá ponto sem nó!
Ana Cristina Esteveira
Ana Cristina Esteveira
19 de janeiro de 2023 às 23:50
O ano de todas as loucuras de Cristina Ferreira
A apresentadora admitiu que desde que conheceu Kasha criou novos hábitos: "Estes muitos anos que eu passei sozinha, só focada no trabalho, me fazem olhar para um período de vida que percebi que perdi algumas coisas, e as quero recuperar agora". E assim foram as noites de diversão em 2022...
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira

Quase dois anos depois de ter virado costas à TVI, estação onde se fez uma estrela do entretenimento, para colocar a SIC novamente no topo das preferências dos portugueses, Cristina Ferreira aceitou fazer o caminho inverso. Regressou a Queluz de Baixo com poderes reforçados. Além de diretora - cargo que sempre ambicionou e que de forma profética disse a Manuel Luís Goucha que um dia chegaria à cadeira do poder - também passou a ser accionista e administradora da Media Capital, realizando assim um sonho já antigo.

A sua chegada colocou as expectativas - dentro e fora da TVI - demasiado altas, mas foi a própria apresentadora que contribuiu para que assim acontecesse. O chavão "Setembro é já amanhã", repetido vezes sem conta ao longo dos meses de verão de 2020 pela boca de Cristina, foi o grande impulsionador para a ideia que se gerou entre os portugueses de que a toda poderosa diretora e mulher que "vive" a televisão como poucos, iria conseguir colocar o "seu" canal a liderar e fazer dele, uma vez mais, um projeto vencedor [a primeira vez que isso aconteceu foi sob a liderança de José Eduardo Moniz]. Só que em janeiro de 2023, a estação de Queluz de Baixo ainda não conseguiu atingir os resultados pretendidos e está longe de alcançar uma liderança consistente. A SIC fechou o ano a liderar há 46 anos meses consecutivos.

AS EXPLICAÇÕES DE CRISTINA 

Perante isto, os olhos e os dedos acusatórios têm-se virado todos para Cristina Ferreira e nunca a expressão "a montanha pariu um rato" foi tão usada de forma recorrente. Há quem acuse a apresentadora de ter falhado rotundamente os seus propósitos. A auto-confiança que fez questão de exibir no seu regresso à casa que diz ser sua foi vista como arrogância, sobranceria.

E esse terá sido o seu primeiro e grande erro: acreditar que bastaria aparecer perante as câmaras para inverter os números
e voltar a fazer com que os portugueses retomassem o hábito de carregar no 4 do comando da televisão. Engano puro! Mas ainda assim a apresentadora justifica-se: "Eu saí e a TVI passa por um período, de facto, complicado e, de repente, quando eu regresso há a ideia generalizada no país de que agora e de um momento para o outro isto vai ser ao contrário e passa a TVI... e eu sabia que não era assim", explicou a diretora na entrevista que deu na passada quarta-feira, 18 de janeiro, ao programa 'Goucha'. Prossegue na sua defesa: "Quando eu vou, a SIC está a três pontos da TVI; quando eu regresso a TVI está a sete pontos da SIC. Se as pessoas tivessem noção do quanto custa recuperar. Além do mais, quando eu vou é para estar todos os dias em antena e eu não venho para isso. Mas as coisas não dependem de mim. Dependem das equipas, dependem de como está a televisão, depende da forma toda como nos unimos, como fazemos", explica.

Questiona ainda Manuel Luís Goucha: "Quanto tempo demoramos nós no 'Você na TV' até sermos a escolha de todos? Demoramos quase dois anos... E quando eu digo "Setembro é já amanhã" é porque é em setembro que eu vou começar a trabalhar. Não era porque em setembro íamos ganhar" fundamenta.

A carregar o vídeo ...
O telefonema de Marcelo para Cristina Ferreira que todos falam

"ESTIVE DURANTE MUITO TEMPO NUM CAMPO DE BATALHA"

Cristina Ferreira justifica ainda o seu insucesso - pelo menos até à data - com uma questão que já realçou em diferentes ocasiões: "Neste país percebe-se o crescimento até determinado ponto. Quando passa determinado ponto que não é possível perceber... A Cristina tinha vindo do nada, a Cristina sozinha tinha feito o seu caminho, a Cristina tinha conseguido chegar lá, mas chegar lá não é chegar muito para lá", atirou convicta. Já Goucha contrapõe: "Mas podes chegar lá se a tua autoconfiança não se transformar em arrogância".

Perante isto e questionada pelo amigo se teve uma postura errada ao chegar (de novo) à TVI, a apresentadora assume: "Não acho que seja errada. Era a minha defesa em relação a tudo aquilo que estava a acontecer. Se olhar agora, talvez inconscientemente não tenha percebido que às vezes as respostas que dava, ter muita energia e muita garra não é bem compreendido por todos". Admite também que isso se possa confundir com arrogância: "Entendo que as pessoas olhem para isso dessa maneira. Era apenas a minha vontade de fazer. Eu estava num campo de batalha. Estive durante muito tempo num campo de batalha", confessou o que lhe vai na alma. 

JOSÉ EDUARDO MONIZ, O "GENERAL"

Mas se Cristina Ferreira dá a entender que isso é passado, parece que não é bem assim. Há fortes sinais de que a batalha está mais viva do que nunca. Ao fim de mais dois anos de um estado de graça, parece que a TVI já não está mais disposta a esperar que a diretora de Entretenimento e Ficção em conjunto com a sua equipa apresente frutos satisfatórios e que comecem a trazer dinheiro para a estação. Mário Ferreira, presidente do Grupo Media Capital, como qualquer empresário quer resultados. Terá sido por isso que foi buscar (oficialmente) um homem que no passado colocou a estação de Queluz de Baixo a ganhar e a ser líder de audiências: José Eduardo Moniz, o "general" como é conhecido no canal.

E é ele que está a liderar as mexidas que vão acontecer já este fim-de-semana. Cristina Ferreira, que passou a responder a Moniz, mesmo sendo acionista minoritária (com 2,5% do capital social da Media Capital) e ocupando o cargo de diretora de Entretenimento e Ficção, teve de aceitar as decisões do seu superior, como o facto do reality show 'A Ex-periência' deixar o horário nobre dos domingos à noite e passar para os sábados, depois de mais um episódio especial da novela 'Festa é Festa', o mesmo acontecendo ao domingo. Já o 'Somos Portugal' também já conta com um "dedinho" do diretor-geral. Pedro Teixeira, Mafalda Castro acompanharão Mónica Jardim numa edição que fica ainda marcada pela estreia da rubrica 'O Palco é Seu', um espaço em que vai ser dada a oportunidade a um espectador de subir ao palco e mostrar os seus dotes vocais.

As novas ocupações de Cristina Ferreira na TVI
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira

Mas há mais. No dia em que Cristina Ferreira falava de "lobos" na entrevista a Manuel Luís Goucha, José Eduardo Moniz fez um plenário de redação no qual anunciou que o 'Jornal das 8', o principal espaço de notícias da TVI vai mudar de nome. A partir do dia 20 de fevereiro, aquele noticiário voltará a chamar-se 'Jornal Nacional'. Recorde-se que durante muitos anos o principal rosto deste espaço informativo foi Manuela Moura Guedes, mulher do temido mas competente diretor-geral.

Por falar na jornalista - afastada em 2010 da estação na sequência
 da polémica relacionada com o primeiro-ministro de então, José Sócrates - também não gosta de Cristina Ferreira. Ainda há pouco tempo, Moura Guedes não se coibiu de criticar publicamente a apresentadora. Sobre os sucessos e insucessos da estrela da Malveira na TVI opinou: "Tem a 'Festa é Festa'. O resto foram tudo fracassos. Aquilo que objetivamente vejo é que foram só fracassos. Tirando a novela e o 'Big Brother', que sempre foi um sucesso independentemente dela, todos os outros programas foram um fracasso. E foi só gastar um balúrdio". Acrescentou, sem se preocupar se as suas palavras trariam algum desconforto ao marido como diretor-geral e obrigado a trabalhar com Cristina: "Perdeu um pouco a noção dos limites, do que deve ser a gestão de uma carreira" e considerou ainda que é "uma pena a Cristina Ferreira ter deitado fora aquilo que ela tem de bom, que é ser apresentadora para um determinado tipo de formatos".

A carregar o vídeo ...
'Estou toda destruída'. Cristina Ferreira chora baba e ranho e lamenta dois anos de pesadelo

ENFRENTAR OS LOBOS 

É José Eduardo Moniz um dos "lobos" de que Cristina Ferreira fala? Não há certezas quanto a isso, mas a apresentadora diz-se pronta para enfrentá-los: "O que eu disse é que pedia desculpa a todos aqueles [funcionários da TVI] que esperavam a Cristina cheia de energia e de brilho no olhar e não a tiveram. Mas hoje têm. E foi na última semana. Acredita. Foi um processo longo, um processo em que eu percebi que não estava resolvido há pouco tempo. Tu tens, imagina, as armas apontadas a ti e tu tens duas hipóteses que são: vais-te embora e acaba a guerra ou enfrentas.", começou por explicar na já referida entrevista ao programa 'Goucha'. "Quando enfrentas, não te podes mostrar frágil, se te mostras frágil eles (os lobos) vão-te comer. Portanto, a única coisa que tens de fazer é tornar-te mais dura, não deixar que te compreendam, não deixar que te vejam", assumiu a estratégia.

Contudo, diz a Manuel Luís Goucha que os "lobos" já "foram embora" e que já percebeu que não é através da conversa que chegará a algum lado. Frisa: "Já percebi que não chego a lado nenhum. Portanto, se não chego a lado nenhum, há duas coisas a fazer: ou os assusto, que os lobos também têm medos, e vão embora; ou vamos à guerra a sério e depois deixa ver quem é que sai mordido. Quem é que fica. Nunca pensei desistir. Estou de pedra e cal na TVI", afiançou olhos nos olhos a Manuel Luís Goucha.

A VIDA FORA DA TELEVISÃO

Usando uma metáfora da própria Cristina Ferreira,  o que acontecerá se for ela a ser "mordida" e a ter de sair da TVI? Se isso acontecer, há já um plano a ser preparado, pois a apresentadora não é mulher de deixar o seu futuro à mercê da vontade dos outros. Além disso, triste com as críticas, consegue conceber os seus dias longe da televisão, pelo menos conforme ainda a concebemos, ou seja, num canal generalista.

No prazo de apenas um mês, admitiu duas vezes que poderá deixar a televisão. As palestras motivacionais e/ou inspiracionais podem ser uma parte da sua estratégia. "Eu sei o que aquelas pessoas me pedem. Vêm à procura de luz, de um caminho. Se este é um propósito, se isto é uma forma qualquer de ajudar. É como um programa de televisão. Quantas pessoas não ajudamos, Manuel? Aquilo [o Cristina Talks] é só um programa de televisão, só que não é na televisão", começou por abrir um pouco o véu do que lhe vai na cabeça. Pormenoriza: "A minha vida é cheia de amor. A minha vida é cheia de tentar que o outro melhor. A minha vida é cheia de algo que eu acho que posso ajudar os outros a encontrar. Isto não tem nada de profético. Eu fiz mal a alguém? Eu, naquele sábado fiz mal a alguém? Então, porque é que eu não posso continuar a fazer? Porque é que eu ontem, numa hora e meia [referindo-se à venda dos bilhetes para o Cristina Talks em Guimarães] tive aquelas pessoas todas a quererem ir? Porque é que eu não posso fazer e os Coldplay podem?", interrogou a "menina da Malveira" que poderá vir a fazer fortuna também longe das câmaras de televisão. Além do mais, se este for o seu caminho, é garantido que passará a ser idolatrada. Ainda mais do que já é!

Saber mais sobre

Vai gostar de

você vai gostar de...