Notícia

Atualidade

Harvey Weinstein considerado culpado de violação

O poderoso produtor de Hollywood foi considerado culpado de duas acusações e pode vir a ser condenado a prisão perpétua.
24 de fevereiro de 2020 às 16:56
Harvey Weinstein aparece no tribunal de andarilho
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Notícia atualizada.

Harvey Weinstein foi esta segunda-feira, 24, considerado culpado de violação por um júri nova-iorquino. O júri composto por sete homens e cinco mulheres demorou cinco dias a chegar à decisão. Agora pode enfrentar pena perpétua.

O poderoso produtor de Hollywood foi considerado culpado de duas acusações, tendo outras três caído. De acordo com o jornal 'The New York Times', Weinstein foi considerado culpado de ter perpetuado um crime sexual e de violação, mas foi absolvido das acusações de comportamento sexual predatório. 

Seis alegadas vítimas de abuso sexual testemunharam contra o homem de 67 anos de idade, informa a 'Sábado'.

O júri considerou provado que Miriam Haleyi, uma assistente de produção da empresa de Weinstein, foi forçada a receber sexo oral do produtor em 2006, e a aspirante a atriz Jessica Mann, foi violada num quarto de hotel de Manhattan em 2013. 

Sobre as acusações de que é alvo, Weinstein, detido em maio de 2018, sempre negou os abusos e garantiu que todas as relações sexuais que teve com estas duas mulheres foram consensuais. 

10 celebridades que perderam trabalho após acusações de assédio sexual
A acusação de assédio sexual do jovem ator Jimmy Bennett contra Asia Argento já está a marcar a carreira da atriz e realizadora. Esta segunda-feira, 27 de agosto, Asia foi dispensada da versão italiana 'X Factor', onde era jurada
José Mayer foi acusado de assédio sexual no ano passado pela assistente de produção da Globo Susllem Tonania, de 29 anos. Após uma onda de protestos no Brasil, a emissora decidiu afastar o galã de 68 anos da novela 'O Sétimo Guardião', de Aguinaldo Silva, na qual iria ser protagonista
Kevin Spacey é uma das estrelas a sofrer mais consequências desde que o ator Anthony Rapp decidiu declarar ser vítima de assédio sexual num caso que remonta a 1986, quando Anthony tinha 14 anos. Kevin perdeu o seu papel de protagonista na série 'House of Cards', da Netflix, e viu o filme 'Todo o Dinheiro do Mundo' ser regravado faltando apenas 1 mês e meio para estreia, para que excluíssem as suas cenas - Christopher Plummer substituiu Kevin e foi indicado ao Óscar de Melhor Ator Secundário
Mario Testino perdeu este ano a colaboração com a a Condé Nast, empresa que edita várias revistas, entre elas a Vogue, que publicou alguns dos melhores trabalhos do fotógrafo
Tal como Mario Testino, também o fotógrafo Bruce Weber perdeu os trabalhos com a Condé Nast, após acusações de modelos
Jeffrey Tambor foi despedido da série 'Transparent', da Amazon, apesar de ter negado as acusações de
O realizador do sucesso 'Toy Story', John Lasseter, foi despedido da Pixar e Disney no final do ano passado
O humorista Louis CK perdeu contratos com a Netflix e o papel como dobrador do filme de animação 'A Vida Secreta dos Nossos Bichos'
O ator T.J. Miller perdeu o papel na série 'Sillicon Valley' e foi substituído por Olivia Munn na apresentação da gala do Critics’Choice Awards
Por fim, o rosto mais importante da onda de acusações de assédio sexual em Hollywood: o magnata Harvey Weinstein. Antes mesmo de ser formalmente acusado de violação, um dos homens mais poderosos de Los Angeles foi despedido do conselho de administração da sua própria produtora. Em fevereiro deste ano, a Weinstein Co. abriu falência
Asia Argento
Ao júri do Supremo, Haleyi, agora com 42 anos, contou que tentou fugir. "Disse-lhe que não queria que aquilo acontecesse. ‘Isto não vai acontecer, estou com o período’". Depois disso, segundo diz, Weinstein tirou-lhe o tampão e fez-lhe sexo oral enquanto a agarrava. Questionada pela defesa do ex-produtor de Hollywood, Miriam Haleyi admitiu ter aceitado viagens para Los Angeles e Londres já depois do ataque. Defendeu que precisava de trabalho.

Jessica Mann, que acusa Weinstein de violação, assegurou em tribunal que começou uma relação "degradante" com o antigo produtor que não envolveu relações sexuais até ao dia em que ele a violou. 

"Eu sei que a minha relação com ele foi complicada. Isso não altera o facto de que ele me violou", disse depois de ser interrogada pela defesa de Weinstein. 

O julgamento ocorre cerca de dois anos após o jornal 'The New York Times' e de a revista 'The New Yorker' terem publicado, em outubro de 2017, reportagens a denunciar o escândalo sexual no meio cinematográfico norte-americano.

Foi a partir dessas reportagens que se gerou o movimento coletivo espontâneo de denúncia e partilha #MeToo.

A carregar o vídeo ...

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;