'

C-Studio

C-Studio i

Débora Monteiro alerta para a anemia na gravidez

A atriz, que foi mãe de gémeas, viveu na gestação uma baixa de ferro. Agora, pretende alertar outras mulheres.
26 de novembro de 2020 às 10:27
2020-11-25_17_12_27 Débora Monteiro_3.jpg

A vivacidade e a alegria que Débora Monteiro transmite em cada trabalho que faz e em cada fotografia que publica transparecem uma mulher ativa, cheia de garra e de energia. Com duas filhas gémeas, pequenas, algum cansaço é natural, mas a atriz sabe que tem de estar atenta aos sinais do corpo.

Durante a gravidez, a atriz começou a sentir "um cansaço extremo", que primeiramente justificou com o facto de estar grávida de gémeas. Mas os sintomas persistiram e, como sempre teve as defesas de ferro em baixo, sabia o que poderia ser.

"É importante valorizarmos o que sentimos"

Em Portugal, estima-se que duas em cada cinco mulheres sofram com baixos níveis de ferro. Há dois fatores exclusivos do público feminino que poderão potenciar uma baixa de ferro ou anemia: a menstruação - que torna o desequilíbrio frequente - e a gravidez.

Alguns sintomas podem dar o alerta: a palidez, a fadiga, o cabelo a cair, as unhas mais quebradiças… Podem parecer pequenas mudanças, mas é importante que não se descurem sintomas, como salienta Débora Monteiro: "É importante valorizarmos o que sentimos, para não cairmos na tentação de associar o cansaço à agitação diária ou a queda de cabelo à mudança de estação."

Há outros fatores igualmente impactantes, ainda que não visíveis, a que deve estar atenta. Por exemplo, a deficiência de ferro causa, muitas vezes, uma dificuldade em respirar, com a sensação de falta de fôlego. A prevalência de outras patologias, como muitas constipações ou muitas dores de cabeça, também poderá estar associada à deficiência de ferro.

 
  "Ficava sem perceber porque é que as pessoas à minha volta estavam no mesmo ritmo que eu, cheias de energia, e eu não."    

  Débora Monteiro, atriz


Débora recorda o impacto dos sintomas na sua vida quotidiana: "Não é fácil lidar, tendo em conta o facto de precisar de decorar textos e de ter energia para trabalhar." A memória a curto prazo é outro dos problemas que poderão advir da deficiência de ferro ou da anemia.

Estes sintomas, que são muitas vezes desvalorizados, podem ter um grande impacto na qualidade de vida, bem como nas relações com os filhos, o marido, os amigos ou os colegas de trabalho. É preciso estar muito atento e, à mínima desconfiança, falar com um médico. Só ele lhe poderá descartar doenças ou recomendar tratamentos da forma mais indicada.

"A mudança de energia é gigante"

Uma deficiência de ferro pode agravar para anemia, quando não tratada, e estas patologias podem ser a porta de entrada para outras doenças. Recorrer ao médico com alguns sintomas que lhe possam parecer pouco relevantes faz a diferença e ajuda a um tratamento mais eficaz e mais precoce.

O diagnóstico é simples e rápido: um hemograma consegue detetar a deficiência de ferro no sangue, e através de um indicador designado como ferritina é possível saber, também, os níveis de reservas de ferro.

Caso se confirme um quadro anímico ou uma deficiência de ferro, o médico indicar-lhe-á o tratamento mais indicado, que poderá passar por ferro endovenoso.

Foi, aliás, este o curso de tratamento indicado para Débora: "Não demora nada, é rápido, e a mudança de energia é gigante." E resume:


 
  "É essencial fazer exames regularmente e se o médico achar  que o tratamento de ferro endovenoso é o melhor, então é porque é mesmo a melhor opção. Os níveis de energia melhoram bastante, e todos os sinais de fraqueza, de queda de cabelo e outros sintomas mudam para melhor."

  Débora Monteiro, atriz


Hoje, dia 26 de novembro, assinala-se o Dia da Anemia. Saiba mais sobre a anemia e a deficiência de ferro em: www.umasaudedeferro.pt

 

Partilhar