'

Notícia

Nacional

João Paulo Sousa trabalhou em funerária a vestir mortos para ajudar a família humilde

Um das jovens apostas da SIC recorda momentos difíceis em que se questionava porque não podia ter o mesmo que os outros adolescentes.
06 de março de 2020 às 14:15
Os melhores momentos do novo "vizinho" de Cristina
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira
joão paulo sousa, cristina ferreira

É uma das caras da nova geração de atores e apresentadores, mas a vida de João Paulo Sousa nem sempre foi fácil. Pelo contrário. O ator e apresentador já teve de trabalhar numa funerária... onde se viu confrontado com a necessidade de vestir cadáveres. Um deles foi o da avó, funeral que ajudou a preparar.

Tudo porque um tio tinha uma funerária e João Paulo tinha de trabalhar para poder ter as suas coisas, já que a família humilde não permitia ter roupas de marcas como outros adolescentes.

"Houve uma altura em que questionava o porquê de não poder ter as mesmas coisas que os outros. Houve aquelas birras do porque é que alguém tinha as sapatilhas da nike e eu tinha da mike? E umas calças de fato de treino da didolas em vez de serem da adidas? Ainda hoje as tenho. Na altura odiava-as, agora acho piada", revelou o também animador da rádio Cidade.

Mas o pior aconteceu quando tinha 17 anos e tinha de trabalhar na funerária, já depois de ter experimentado as obras. "Era um trabalho de fim de semana. O meu primo também trabalhava lá", recorda. "Andava dentro da carrinha funerária, tinha de vestir as pessoas mortas", afirma.

Agora os tempos são outros: está constantemente no 'Programa da Cristina', onde se mostra muito à vontade como "vizinho" de Cristina Ferreira, apesar de não ter o estatuto que tinha Cláudio Ramos.

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever