'

Notícia

Surpresa

Vergonha do seu próprio corpo. Atriz Mafalda Luís de Castro assume problemas de auto-confiança e critica ideal da mulher perfeita

Mafalda Luís de Castro, de 33 anos, refletiu sobre a cultura da "mulher ideal" e deixou repto.
22 de setembro de 2022 às 15:06
Mafalda Luís de Castro abre o coração em Fortaleza
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro
Mafalda Luís de Castro

Mafalda Luís de Castro admitiu sempre ter tido "muitos complexos" em relação ao corpo e fez uma reflexão sobre os motivos pelos quais nunca apreciou a sua imagem exterior, tal como a cultura da "mulher ideal" que conduz a comportamentos e pensamentos pouco saudáveis.

"Vou contar-vos uma coisa. Eu nunca amei o meu corpo como devia. Sempre tive e tenho muitos complexos, resultado de feridas antigas que nunca sararam por completo. Feridas causadas por uma sociedade que me ensinou que a "mulher ideal" tem de ser magra, seca, pele lisa, sem celulite nem estrias ou cicatrizes e com curvas. Nunca fui nada disso e quis sempre muito", começou por escrever a atriz numa publicação no seu Instagram pessoal.

"Cresci nos anos 90, época em que as modelos ainda eram mesmo muito magras a roçar a anorexia. Fiz rítmica desportiva de competição durante 5 anos, onde infelizmente ouvi um comentário por parte de uma das treinadoras e nunca me vou esquecer desse dia. Eu sei que não fez por mal. Disse-o até com um tom carinhoso: ‘a minha menina gordinha’, mas posso dizer que desde aquele momento, nada ficou igual. Eu nem sequer era gorda mas sempre fui a mais rechoncha de todas e cresci a ver as mulheres da minha família a fazerem constantes dietas duras (sempre com efeito ioiô) e a acreditar no culto do corpo magro", acrescentou.

"Que comentem menos os corpos das outras pessoas, que não reajam com cara de felicidade quando veem alguém que emagreceu sem antes saberem o motivo, que olhem para as nuances únicas dos seus corpos e as amem, nem que seja por um bocadinho, e que um dia, este, seja um mundo onde ser é mais importante do que o que queremos aparentar. Muito amor para todas/os!", rematou Mafalda Luís de Castro, recebendo na caixa de comentários mensagens positivas por parte de amigos e colegas como Fernando Rocha, José Carlos Pereira ou Ana Moura.

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever