'

Notícia

Casas Reais

Os gémeos Jacques e Gabriella sofrem com a ausência da mãe, a princesa Charlene, que está retida na África do Sul

Há seis meses que a mulher do príncipe Alberto não põe os pés no Mónaco. Retida na África do Sul, são os filhos de apenas seis anos que mais sofrem com saudades.
29 de junho de 2021 às 14:48
As espetaculares imagens dos príncipes do Mónaco no grande prémio de Fórmula 1 no Principado
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
Mónaco
A antiga nadadora sul-africana terá contraído, em janeiro, uma infeção durante uma expedição na savana cuja causa é alertar o mundo para extinção dos rinocerontes. Desde então, a princesa já foi submetida a várias intervencões cirúrgicas. A última delas muito recentemente.

Em recuperação, Charlene continua a não ter autorização médica para viajar, pelo que já é oficial que a mulher do príncipe Alberto não vai estar junto do marido no próximo dia 1 de julho, data em que celebram 10 anos de casamento.

Perante isto, os monegascos vão continuar à espera que a princesa regresse ao principado e ao palácio da família Grimaldi. Mas quem mais tem sofrido com a ausência de Charlene são os dois filhos, os gémeos Jacques e Grabriella, de apenas 6 anos.

As crianças permanecem no Mónaco ao lado do pai e, nestes seis meses, apenas viajaram uma vez para a África do Sul para matar saudades da mãe. Foi uma visita rápida, na companhia do príncipe Alberto, mas deu para as crianças ficarem um pouco mais tranquilas.

Saber mais sobre

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas