'

Notícia

THE MAG - The weekly magazine by Flash!

"Operação Portugal". Juan Carlos volta "a casa". Já tem duas mansões de luxo à sua espera em Cascais e adivinhe quem está a negociar o "regresso"...

O rei emérito, que vive um exílio de ouro em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, diz-se saturado. Tem saudades de “casa”, mas para não prejudicar o filho aceita vir para Portugal. País que conhece bem, onde tem amigos e que, pela proximidade, lhe facilita viagens em segredo a Espanha. Marcelo Rebelo de Sousa já estará ao corrente de tudo.
Ana Cristina Esteveira
Ana Cristina Esteveira
05 de novembro de 2021 às 00:15
A carregar o vídeo ...

Em Espanha, a imprensa não tem dúvidas. O rei emérito está decidido a sair dos Emirados Árabes Unidos. Está farto e quer voltar a casa. Mas o filho, o rei Felipe VI, e amigos próximos de Juan Carlos têm tentado demovê-lo de voltar para Espanha. Pelo menos, nos próximos tempos. Recorde-se que embora não exista um mandado de captura, o regresso ao seu país, neste momento, só iria prejudicar a coroa. Além disso, pedem-lhe que faça mais um sacrifício até que o processo que ainda incorre contra si seja arquivado, pois tudo indica que a Procuradoria do Supremo Tribunal poderá encerrar, em breve, as três investigações abertas sobre o emérito.

Isto significa que Juan Carlos venha a ser beneficiado pelo arquivamento dos casos, escapando, assim, a que seja apresentada uma queixa formal pelos seus supostos crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção. Esta decisão, a acontecer não deixará de suscitar alguma indignação, é justificada pelo facto de os alegados crimes terem ocorrido quando o monarca ainda tinha imunidade e pela impossibilidade de processar os crimes antes da abdicação em 2014, mas também pelas regularizações fiscais já efetuadas e pela falta de provas mais consistentes. Apenas na Suíça, as coisas parecem não ser tão favoráveis ao pai do rei de Espanha. Mais rigorosos e exigentes, as autoridades suíças insistem em manter a investigação em curso.

Convencido que, de facto, mais vale aguardar mais um pouco antes de regressar ao seu país, Juan Carlos quer, no entanto, abandonar o médio oriente. A hipótese de se fixar temporariamente em Portugal é a que mais lhe agrada. Conhece bem o país, desde o tempo que cá viveu quando o seu pai, Juan de Borbón, foi obrigado a exilar-se com a família no Estoril. Desses tempos de juventude, tem ainda muitos amigos, como é o caso de Francisco Pinto Balsemão e Vasco Pereira Coutinho.

A vida de Juan Carlos em Portugal
Juan carlos, o rei emérito de Espanha
O livro do historiador José Maria Zavala
A coroação de Juan Carlos como rei de Espanha
Juan Carlos, Sofia e os três filhos, na juventude. Ao colo de Sofía está Felipe, o atual monarca espanhol
Felipe VI sucedeu ao pai, o rei Juan Carlos. O rei emérito ficou zangado com o filho por não ter sido convidado para as comemorações dos 40 anos das primeiras eleições democráticas, em Espanha
Juan Carlos quando subiu ao trono
Juan Carlos com o general Franco
Juan Carlos, antes de abdicar do trono
Os reis Juan Carlos e Sofia
As três mais acarinhadas figuras da realeza espanhola, Juan Carlos, Sofia e o atual rei, Felipe VI
Juan Carlos no Estoril
Os condes de Barcelona com os quatro filhos durante o exílio no Estoril
Juan Carlos em criança com o pai, Dom Juan
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos
Juan Carlos

Outra vantagem de Portugal é a sua proximidade a Espanha. Tranquilamente e de forma bastante discreta, Juan Carlos poderá viajar para Madrid e, sobretudo, até à Sanxenxo, na Galiza, localidade que é um dos seus refúgios prediletos e onde vive o seu melhor amigo, Pedro Campos. Além do mais, a vantagem da proximidade também joga no sentido inverso, ou seja, o rei emérito poderá ser visitado tanto pelas filhas, Elena e Cristina, com maior frequência, como pelos netos – que não vê desde que se exilou nos Emirados Árabes Unidos – e amigos mais próximos. Não será espectável que a mulher, a rainha Sofia, o venha visitar. Os pais de Felipe VI há muito que já não fazem o frete de fingir que ainda são um casal.


Outro detalhe a favor da vinda do antigo monarca espanhol para o nosso país, tem a ver com o facto de ser muito mais fácil realizar o seu desejo de morrer em Espanha e ter um funeral mais digno. Caso a morte aconteça  em Portugal, a trasladação do corpo seria mais rápida e mais fácil. Se, por outro lado, adoecesse gravemente, também poderia ser transferido para o país vizinho para que o último suspiro ocorresse, conforme seu desejo, na sua pátria. As duas hipóteses permitem que o emérito tenha "o final que merece" antes de ser sepultado no Panteão do El Escorial, em Madrid.

A carregar o vídeo ...
Corinna Larsen decidiu ceder uma imagem privada do seu álbum fotográfico, colocando o rei emérito de Espanha novamente na boca do mundo.

Por todas estas vantagens, Juan Carlos mostra-se conformado e percebe que ainda não é a altura certa para regressar ao seu país.  O Palácio da Zarzuela como o Palácio da Moncloa (residência oficial do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez) "estão já à procura de possíveis residências na zona do Estoril e Cascais". Tanto assim é, que parece que já "existe uma urbanização que se adataria na perfeição às exigências necessárias para acolher alguém com o estatuto de Juan Carlos", avança ‘Vozpópuli’. Este diário digital, que está a ser citado inclusivamente pela edição espanhola da ‘Vanity Fair’, garante que já existe inclusivamente uma moradia na Quinta da Marinha (Cascais), que está a ser considerada como a nova residência de Juan Carlos. Como se sabe, esta é uma zona elitista, discreta e muito restrita.


VÁRIAS CASAS PARA O REI 

Mas a Quinta da Marinha não é a única opção para o pai de Felipe VI, já que a sua irmã, Margarita tem casa no Estoril. Trata-se de um T3, com duas casas de banho, sala e cozinha. Uma simplicidade que nada tem com a falada mansão da Quinta da Marinha. Ainda assim, o antigo monarca espanhola poderá aceitar o convite da duquesa de Soria, já que o apartamento do Estoril está muito próximo da Villa Giralda, onde os duques de Barcelona e os quatro filhos passaram tanto tempo. Mas não se pode deixar de referir que esta é uma casa de má memória para Juan Carlos, pois foi ali que por acidente que este matou o seu irmão mais novo, Afonso, quando manejava uma arma.

O site ‘Vanitatis’, por sua vez, revela que o Estoril é o "paraíso" da infanta Margarita, que como se sabe é cega. Não prescinde de passar largas temporadas por cá. O único verão que não veio para o Estoril foi em 2020 por conta do confinamento obrigatório. Ter o irmão a viver consigo ou perto de si, traria certamente grande felicidade à senhora que conta já com 82 anos de idade.

Presidente Marcelo recebe reis de Espanha em Portugal
Felipe VI e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI, Letizia e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI, Letizia e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI, Letizia e Marcelo Rebelo de Sousa
Felipe VI, Letizia e Marcelo Rebelo de Sousa

A certeza de que Juan Carlos fixará residência muito em breve no nosso país, seja no Estoril ou em Cascais, é dada, uma vez mais, pelo diário digital ‘Vozpópuli’ que garante que Felipe VI já recorreu às boas relações que mantém com Marcelo Rebelo de Sousa, para o informar da "operação" que estará em curso e, apelando, inclusivamente, à ajuda do o Presidente da República de Portugal.




Vai gostar de

você vai gostar de...

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever