'

Notícia

THE MAG - The weekly magazine by Flash!

Vingança serve-se fria: o regresso pela porta grande de Monica Lewinsky, para que não se adultere a história "daquela mulher”

Que pecados cometemos aos 22 anos? Ela fez sexo e gostou. Mais de duas décadas depois ainda estamos a julgá-la por isso. Mesmo com um movimento #metoo pelo meio... Agora a "estagiária" mais perseguida da história americana está de volta. Para contar a "sua" verdade.
Amarílis Borges
Amarílis Borges
09 de setembro de 2021 às 23:44
Como Monica Lewinsky transformou o passado de vergonha a seu favor
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Com Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky

Será que chegou o momento de Monica Lewinsky ter o seu pedido de desculpas? Foram necessários quase 20 anos para a ex-estagiária da Casa Branca sair de um stress pós-traumático, enterrar o vestido azul que quase tirou Bill Clinton da presidência dos Estados Unidos e encontrar a sua voz.

Após uma década de silêncio, a agora cronista da ‘Vanity Fair’ e ativista contra o ‘bullying’ agarrou na oportunidade de contar o seu lado da história. Este trajeto começou há sete anos num ensaio em que a estagiária mais famosa do mundo declarou que estava pronta para "queimar a boina e enterrar o vestido azul", criando "um propósito para o passado". Em 2015, Lewinsky foi convidada pela Ted Talk para falar de humilhação pública. E agora, aos 48 anos de idade, tem dois novos projetos como produtora.

No próximo mês, Lewinsky vai lançar na HBO Max o documentário ‘15 Minutes of Shame’, com o realizador Max Joseph; Ao mesmo tempo, os telespetadores dos Estados Unidos já podem ver o drama 'Impeachment: American Crime Story’, de Ryan Murphy, na FX. A série vai entrar também no catálogo da Netflix, mas só no próximo ano.

Todo o guião de 'Impeachment’ passou pelas mãos de Lewinsky, mesmo as cenas mais embaraçosas com o chefe, o homem casado por quem sentiu desejo. "Às vezes é difícil usar os dois chapéus, de personagem e produtora", afirmou em entrevista ao ‘Today’. O momento marcante em que mostra as cuecas a Bill Clinton é isso mesmo. "Percebi, como produtora, que, precisamente porque estava envolvida, a credibilidade da série seria significativamente afetada [se tirassem a cena], não achei que fosse justo para os outros. Mas foi mais do que isso: Eu não devia ter tratamento diferenciado e isso é difícil. Agora preciso de mais terapia!"

Em julho, na apresentação do primeiro episódio da série, Lewinsky deixou os convidados reunidos à frente do ecrã e saiu para uma sessão de terapia afirmando, segundo o ‘The New York Times’, que não tinha necessidade de rever o período mais humilhante da sua vida numa sala cheia de estranhos.

As mulheres que acusaram Bill Clinton de assédio sexual nos anos 90
Com Monica Lewinsky
Monica Lewinsky numa fotografia recente
Paula Jones
Paula Jones numa fotografia recente
Paula Jones
Monica Lewinsky
Paula Jones
Com Monica Lewinsky
Paula Jones
Paula Jones
Monica Lewinsky
Monica Lewinsky
Paula Jones
Monica Lewinsky numa fotografia recente
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones
bill clinton, monica lewinsky, paula jones

Lewinsky teve uma relação de 18 meses com o presidente dos Estados Unidos, o que a transformou na amante mais perseguida da política norte-americana, o primeiro caso de ciberbullying. Ele é um filantropo. Nem o facto de Bill Clinton ter sido apanhado a mentir de dedo no ar com a famosa frase "nunca fiz sexo com aquela mulher" acalmou os ataques e as piadas.

"Poucas coisas são mais ameaçadoras para a América puritana e moralmente histérica do que uma jovem fazer sexo e gostar. É precisamente disso que Lewinsky era culpada, e a punição era - e continua a ser – fazê-la passar vergonha", definiu Allison Yarrow no livro ‘90s Bitch: Media, Culture and the Failed Promise of Gender Equality’.  

No Google, as informações mais pesquisadas sobre ela até esta semana são perguntas sobre o seu vestido, os seus rendimentos e se é casada.

A verdade é que a produtora nunca foi casada, apesar de manter o desejo de vir a formar uma família. Quanto à sua fortuna, calcula-se que ronde 1,5 milhões de dólares. Do vestido azul manchado, que serviu de prova que Bill Clinton mentiu sobre o ‘affair’, não há muitas certezas do que lhe aconteceu, a única coisa que se sabe é que, em 2015, Lewinsky recebeu uma proposta de um milhão de dólares para o expor num museu erótico de Las Vegas. Ela não respondeu.

Vai gostar de

você vai gostar de...

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever